Revelado o violento nascimento do continente oculto da Zelândia, forjado num anel de fogo

Uma equipa de investigadores zarpou rumo ao continente afundado da Zelândia e reuniu evidências que podem ajudar a explicar o seu violento nascimento.

Há três anos, a identificação da Zelândia como o sétimo continente valeu manchetes por todo o mundo.

Agora, os resultados de uma expedição científica de perfuração, publicados recentemente na revista científica Geology, revelam que o continente da Zelândia, amplamente submerso, que se estende por cinco milhões de quilómetros quadrados abaixo do sudoeste do Oceano Pacífico, foi moldado por dois eventos tectónicos.

Primeiro, foi arrancada da Austrália e da Antártida, e depois foi esculpida por forças que deram início ao Anel de Fogo do Pacífico.

A Zelândia tem uma geografia incomum para um continente. Mais de metade da superfície dos outros seis continentes da Terra é composta de terras baixas e mares rasos, e possui cadeias de montanhas relativamente estreitas e encostas continentais íngremes no oceano profundo.

Por outro lado, a Zelândia está oculta principalmente sob mais de um quilómetro de água e pode ser classificada como mais de 90% da inclinação continental. Isto faz com que seja um desafio explorá-la.

A primeira expedição de perfuração científica a ser realizada na região em que agora conhecemos a Zelândia foi realizada em 1972 entre a Austrália, Nova Zelândia e Nova Caledónia. Os resultados sugeriram que as forças tectónicas se esticaram e afinaram a crosta da Zelândia até que ela fosse arrancada do antigo supercontinente Gondwana há cerca de 85 milhões de anos, na era dos dinossauros. Isto criou um oceano profundo: o mar da Tasmânia.

As evidências continuam convincentes de que esta é, pelo menos, parte da resposta de como a geografia da Zelândia se formou. Porém, investigações detalhadas durante as décadas de 1990 e 2000 sugerem outros fatores.

Anel de Fogo do Pacífico moldou a Zelândia

Em 2017, uma expedição de nove semanas no sudoeste do Pacífico, com 32 cientistas a bordo do navio de pesquisa JOIDES Resolution, tinha como objetivo desvendar a razão pela qual a Zelândia é tão diferente dos outros continentes.

(dr) Michelle Drake

Os resultados publicados foram extraídos desta expedição 371, onde se recolheram novas amostras e se procurou testar a hipótese de que a formação do Anel de Fogo do Pacífico desempenhou um papel fundamental na formação da Zelândia.

Para tal, foram recolhidos núcleos de sedimentos de até 864 metros abaixo do fundo do mar em seis locais distantes da terra ou águas rasas. Foram usados fósseis de três dos locais para mostrar que o norte da Zelândia se tornou muito mais raso e provavelmente tinha áreas de terra entre 50 e 35 milhões de anos atrás. Naquela época, outros dois locais ficaram submersos em águas mais profundas e, de seguida, toda a região diminuiu um quilómetro adicional à sua profundidade atual.

IODP

Os locais que foram perfurados estão marcados com as estrelas.

O Anel de Fogo do Pacífico é uma zona de vulcões e terramotos que correm ao longo das costas oeste da América do Norte e do Sul, além do Alasca e do Japão, e depois pelo Pacífico ocidental até à Nova Zelândia. A violenta atividade geológica nesta zona reflete uma inquietação mais profunda nos limites das placas tectónicas, causada por “processos de subducção” — onde uma placa tectónica converge para outra e afunda de volta na terra.

Sabe-se que o Anel de Fogo do Pacífico formou-se há cerca de 50 milhões de anos, mas o processo permanece um mistério. Os especialistas propõe um “evento de rutura por subducção” — um processo semelhante a um grande terramoto de movimento lento — espalhado por todo o Pacífico ocidental naquela época.

Além disso, sugerem que este processo ressuscitou falhas antigas de subducção, que permaneceram adormecidas por muitos milhões de anos, mas foram preparadas para começar a mover-se novamente.

Este conceito é uma ideia nova e pode ajudar a explicar uma série de observações geológicas diferentes. O evento de rutura da subducção incluiu fenómenos geológicos únicos sem comparação nos dias de hoje, e pode ter havido menos de 100 eventos maciços desde a formação da Terra. A nova evidência sobre a Zelândia mostra que estes eventos podem alterar drasticamente a geografia dos continentes.

PARTILHAR

RESPONDER

Alunos do ensino profissional vão poder entrar no ensino superior sem exames nacionais

Os estudantes que terminem um curso profissional ou artístico terão melhores condições de acesso ao ensino superior já no próximo ano. O ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, anunciou esta quarta-feira que os …

Trump indulta ex-governador que tentou "vender" lugar de Obama no Senado

O Presidente dos Estados Unidos (EUA), Donald Trump, indultou na terça-feira o ex-governador de Illinois Rod Blagojevich, preso por corrupção após ser considerado culpado de tentar "vender" o lugar de Barack Obama no Senado, depois …

"Toca a reunir" no PS para aprovar eutanásia (e 6 médicos admitem que já a praticaram)

O PS está a mobilizar os seus deputados no sentido de garantir que, desta feita, a eutanásia passará no Parlamento. Tudo indica que venha a ser aprovada numa altura em que os médicos estão divididos …

CP está a escapar à multas por falhas nos serviços

A CP - Comboios de Portugal está a escapar às multas por falhas nos serviços, como atrasos e supressões de comboios, porque ainda não entrou em vigor o contrato de serviço público assinado com o …

Alegadas agressões a Taarabt valem processos a Marega e Pepe

A Comissão de Disciplina da FPF abriu processos disciplinares a Moussa Marega e Pepe devido a alegadas agressões sobre Taarabt, no jogo com o Benfica. Os jogadores do FC Porto Moussa Marega e Pepe vão ser …

Costa arrasa proposta "forreta" de orçamento europeu

A proposta de quadro financeiro plurianual para 2021-2027 do presidente do Conselho Europeu, Charles Michel, vai morrer na praia. António Costa diz que os líderes europeus não devem ceder à pressão dos quatro países “forretas”. "Esta …

Malásia suspeita que desaparecimento do voo MH370 foi ataque suicida

O ex-primeiro ministro australiano Tony Abbott disse que altos responsáveis do governo da Malásia suspeitam há muito tempo que o desaparecimento do avião da Malasian Airlines, há quase seis anos, tenha sido um ataque suicida …

Champions. O viking norueguês, a revolta de Neymar e a lição tática do "Cholismo"

Haaland foi a estrela da noite ao marcar os dois golos da vitória do Dortmund frente ao PSG. O Atlético de Madrid conseguiu ainda quebrar a invencibilidade do Liverpool. A Liga dos Campeões está de volta …

Auditoria ao Novo Banco vai custar três milhões. É o triplo do que custou a da CGD

A auditoria especial da Deloitte ao Novo Banco vai custar cerca de três milhões de euros, segundo avança o jornal ECO. Este valor é três vezes superior ao custo da auditoria da EY à Caixa …

Passos Coelho ataca falhas de Costa (e revela que segurou Maria Luís)

O antigo primeiro-ministro Passos Coelho esteve na apresentação do livro de Carlos Moedas no El Corte Inglés, onde aproveitou para criticar António Costa. Passos preferiu falar do passado, lembrando o momento em que esteve perto …