Descobertos restos de um planeta destruído que mostram como poderá ser o futuro da Terra

Um fragmento de um planeta que sobreviveu à morte da sua estrela foi descoberto por astrónomos da Universidade de Warwick num disco de detritos formado a partir de planetas destruídos.

O planetesimal, rico em ferro e níquel, sobreviveu a um cataclismo de todo o sistema que se seguiu à morte da sua estrela hospedeira, SDSS J122859.93+104032.9. Acredita-se que, uma vez que fazia parte de um planeta maior, a sua sobrevivência é ainda mais surpreendente, pois orbita mais perto da sua estrela do que se pensava que fosse possível, contornando-a uma vez a cada duas horas.

A descoberta, publicada no início deste mês na revista Science, é a primeira vez que cientistas usam a espectroscopia para descobrir um corpo sólido em órbita em redor de uma anã branca, usando variações subtis na luz emitida para identificar o gás adicional que a planetesima está a gerar.

Usando o Gran Telescopio Canarias em La Palma, os cientistas estudaram um disco de detritos a orbitar uma anã branca a 410 anos-luz de distância, formada pelo rompimento de corpos rochosos compostos de elementos como ferro, magnésio, silício e oxigénio – os quatro principais blocos de construção da Terra e dos corpos mais rochosos.

Dentro desse disco, descobriram um anel de gás fluindo de um corpo sólido, como a cauda de um cometa. Este gás pode ser gerado pelo próprio corpo ou por evaporação de poeira, uma vez que colide com pequenos detritos dentro do disco.

Os astrónomos estimam que este corpo tem que ter pelo menos um quilómetro de tamanho, mas pode ser tão grande como algumas centenas de quilómetros de diâmetro, comparável aos maiores asteróides conhecidos no nosso Sistema Solar.

Anãs brancas são os restos de estrelas – como o nosso sol – que queimaram todo o seu combustível e derramaram as suas camadas externas, deixando para trás um núcleo denso que lentamente esfria com o tempo. Esta estrela em particular encolheu tão dramaticamente que a planetesimal orbita dentro do raio original do seu sol.

Evidências sugerem que já foi parte de um corpo maior no seu sistema solar e é provável que tenha sido um planeta dilacerado quando a estrela começou o processo de arrefecimento.

O autor principal, Christopher Manser, do Departamento de Física, disse: “A estrela teria originalmente cerca de duas massas solares, mas agora a anã branca é apenas 70% da massa do nosso Sol. Também é muito pequena – aproximadamente o tamanho da Terra – e isso torna a estrela e, em geral, todas as anãs brancas, extremamente densas”.

“A gravidade da anã branca é tão forte – cerca de 100 mil vezes a gravidade da Terra – que um asteróide típico será dilacerado por forças gravitacionais se passar muito perto da anã branca.”

O professor Boris Gaensicke, co-autor do Departamento de Física, acrescenta: “O planetesimal que descobrimos está dentro do poço gravitacional da anã branca, muito mais próximo do que esperamos encontrar algo ainda vivo. Isso só é possível porque deve ser muito denso e/ou muito provável ter força interna que o mantenha unido, por isso propomos quw seja composto em grande parte de ferro e níquel”.

“Se fosse ferro puro, poderia sobreviver onde vive agora, mas igualmente poderia ser um corpo rico em ferro, mas com força interna para mantê-lo unido, o que é consistente com o planetesimal sendo um fragmento bastante massivo de um núcleo planetário. Se estiver correto, o corpo original teria pelo menos centenas de quilómetros de diâmetro, porque é apenas nesse ponto que os planetas começam a diferenciar-se – como o óleo na água – e têm elementos mais pesados ​​afundando-se para formar um núcleo metálico”.

A descoberta oferece uma pista sobre que os planetas podem residir noutros sistemas solares e um vislumbre do futuro dos nossos.

Christopher Manser disse: “À medida que as estrelas envelhecem, transformam-se em gigantes vermelhos, que limpam a maior parte do sistema planetário. No Sistema Solar, o Sol expandir-se-á até onde a Terra orbita e apagará a Terra, Mercúrio e Vénus. Marte e além sobreviverão e mover-se-ão para longe.”

“O consenso geral é que daqui a entre cinco e seis mil milhões de anos, o Sistema Solar terá uma anã branca no lugar do Sol, orbitada por Marte, Júpiter, Saturno, os planetas exteriores, bem como asteróides e cometas. É provável que hajam interações gravitacionais nos remanescentes de sistemas planetários, o que significa que os planetas maiores podem facilmente empurrar os corpos menores para uma órbita que os aproxime da anã branca, onde são destruídos pela enorme gravidade”.

Aprender sobre as massas de asteróides, ou fragmentos planetários que podem alcançar uma anã branca, pode dizer-nos algo sobre os planetas que sabemos que devem estar mais avançados neste sistema, mas atualmente não há uma forma de detetá-los.

A descoberta é apenas o segundo planetesimal sólido encontrado numa órbita apertada em torno de uma anã branca. “Nós já conhecemos vários outros sistemas com discos de detritos muito semelhantes ao SDSS J122859.93+104032.9, que serão estudados a seguir. Estamos confiantes de que descobriremos planetesimais a orbitar anãs brancas, que nos permitirão aprender mais sobre as suas propriedades gerais ”.

ZAP // EurekAlert

PARTILHAR

RESPONDER

O escorbuto era uma doença comum entre piratas, mas pode estar de regresso

O número de casos de escorbuto no Reino Unido mais do que duplicou nos últimos anos. A desnutrição é um dos principais responsáveis pelo regresso desta doença. O escorbuto está em ascensão no Reino Unido e …

Dois veleiros robotizados vão medir alterações climáticas no Atlântico

Dois veleiros de navegação robotizada vão medir, durante os próximos quatro meses, a pegada das mudanças climáticas no oceano Atlântico e irão passar pela Madeira e Cabo Verde. A Plataforma Oceânica das Canárias (PLOCAN) libertou esta …

A educação científica está sob ataque legislativo nos Estados Unidos

São inúmeros os professores de ciências que trabalham diariamente nas escolas públicas dos Estados Unidos para garantir que os alunos estão equipados com o conhecimento teórico e prático necessário para enfrentar o futuro. No entanto, …

João Félix saiu lesionado com gravidade no jogo contra o Valência

João Félix, avançado português do Atlético de Madrid, saiu este sábado lesionado com "forte torção no tornozelo direito", ao minuto 78 do jogo contra o Valência, da nona jornada da Liga espanhola de futebol, disputado …

As traças ficaram mais escuras por causa da Revolução Industrial? Cientistas já sabem a resposta

No virar do século XIX, na Grã-Bretanha, traças de todo o país começaram a ficar gradualmente mais escuras em resposta à forte poluição provocada pela Revolução Industrial. A Revolução Industrial foi um período de grandes transformações …

Mais de mil médicos foram alvo de processos disciplinares. 45 foram condenados, nenhum foi expulso

Mais de 1.070 processos disciplinares a médicos foram abertos no ano passado pelos conselhos disciplinares da Ordem, tendo sido condenados 45, segundo dados este sábado divulgados. Segundo os dados da Ordem dos Médicos, os conselhos disciplinares …

Publicar no Instagram rende mais a Ronaldo do que jogar na Juve

As publicações pagas no Instagram rendem mais a Cristiano Ronaldo do que jogar na Juventus, revela um estudo do Buzz Bingo. O internacional português foi a personalidade mais bem paga neste rede social em 2018. De …

Brexit: Hoje era o Dia D (mas afinal, fica tudo na mesma)

Devia ter sido o dia decisivo para o Brexit no Parlamento do Reino Unido, mas o processo foi mais uma vez adiado.  Foi aprovada uma emenda que obriga o primeiro-ministro Boris Johnson a pedir um novo …

"Mais Siza e menos Centeno". Emprego e salários são as chaves do novo Governo de Costa

O novo Executivo para a próxima legislatura, que António Costa apresentou esta terça-feira ao Presidente da República, tem como chaves de governação o emprego e os salários, escreve este sábado o Expresso. De acordo com …

FBI já apurou a causa da morte de três turistas na República Dominicana

Testes toxicológicos apresentados esta semana pelo FBI determinaram que a morte de três turistas norte-americanos na República Dominicana se deveu a causas naturais, avança o jornal New York Times. De acordo com o diário, no caso …