Anã branca apanhada a devorar os restos de um planeta semelhante à Terra

d.r. David A. Aguilar / CfA

Astrónomos norte-americanos descobriram um sistema estelar em que uma anã branca, estrela semelhante ao Sol na última fase da sua vida, está a desintegrar restos de um corpo planetário rochoso com uma composição química parecida com a da Terra.

A descoberta, que confirma a teoria de que as anãs brancas são capazes de destruir possíveis vestígios de planetas que sobreviveram no seu sistema estelar, foi publicada esta quarta-feira na revista “Nature”.

Com base em imagens do telescópio espacial Kepler e de observatórios terrestres, investigadores identificaram fragmentos de rocha que orbitam a estrela WD 1145+017, em períodos de 4,5 a 4,9 horas.

A maioria dos exoplanetas, ou planetas fora do Sistema Solar, descobertos até à data, orbita estrelas da chamada sequência principal, ou seja, as que se encontram numa fase estável, em metade da sua vida activa.

Os corpos celestes detectados por Andrew Vanderburg, do Centro Harvard-Smithsonian para a Astrofísica, nos Estados Unidos, e a sua equipa giram em torno de uma estrela moribunda, que esgotou o seu combustível nuclear.

Contudo, a anã branca WD 1145+017 está a fragmentar os objectos que a orbitam, devido à alta radiação e à força gravítica.

As anãs brancas são corpos de enorme densidade, em que uma massa semelhante à do Sol fica reduzida a um volume parecido ao da Terra.

O trânsito dos objectos identificados pelos cientistas chega a bloquear 40 por cento da luz emitida pela anã branca, em torno da qual se formou um disco de partículas com elementos pesados como magnésio, alumínio, cálcio, ferro e níquel.

Os astrónomos crêem que este pó foi gerado no último milhão de anos, a partir de colisões entre corpos rochosos como asteróides e planetas de pequeno tamanho, um cenário que poderá ser idêntico ao que se viverá no Sistema Solar, quando o Sol esgotar o seu combustível.

Quando tal ocorrer, o Sol irá tornar-se numa gigante vermelha e expandir-se para lá das órbitas de Mercúrio e Vénus.

Os cientistas questionam ainda se, nestes termos, a Terra será engolida pela sua estrela.

No final da sua vida, o Sol perderá grande parte da sua massa original e será uma anã branca, um processo que desestabilizará as órbitas de outros planetas do Sistema Solar e que poderá provocar colisões entre eles.

Segundo os modelos actuais, alguns dos planetas poderão ficar reduzidos a fragmentos rochosos semelhantes a asteróides.

E, se estiverem muito perto da superfície da estrela, formarão sobre ela um disco de pó com composição química parecida com a do corpo original, tal como aconteceu com a WD 1145+017.

ZAP / Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Grande tempestade de areia pode ter ditado o fim de um império da Mesopotâmia

O Império Acádio da Mesopotâmia entrou em colapso devido a uma enorme tempestade de areia, sugeriu uma nova investigação levada a cabo por cientistas da Universidade de Hokkaido, no Japão. Em comunicado, os especialistas explicam …

Encontrado templo milenar usado em rituais pagãos de veneração da água

O local tem 3.000 anos, onde investigadores encontraram 21 sepulturas, bem como várias peças de cerâmica e anéis de cobre. O templo era usado em rituais pagãos de veneração da água. Uma equipa de arqueólogos encontrou …

Elon Musk diz que inovações da Neuralink vão conseguir curar o autismo

Musk disse que a sua empresa Neuralink iria "solucionar uma série de doenças neurológicas", entre as quais o autismo. Contudo, o autismo não é uma doença relacionada com o cérebro, mas sim uma perturbação do …

"Indivíduos desconhecidos" terão obrigado Marinha a apagar vídeo do incidente do USS Nimitz com um OVNI

Vários membros da Marinha que testemunharam o famoso Incidente do USS Nimitiz, em 2004, disseram que "indivíduos desconhecidos" apareceram depois do acontecimento e obrigaram-nos a apagar as gravações de vídeo. Em novembro de 2004, um porta-aviões …

Coreia do Norte detonou bomba atómica equivalente a 17 "Hiroshimas"

Dados de um satélite japonês revelam que a explosão de um teste nuclear na Coreia do Norte, em 2017, terá sido 17 vezes mais poderosa do que a bomba de Hiroshima. A Coreia do Norte estimou que …

Invenção financiada por Bill Gates pode invisivelmente resolver a malnutrição

Uma invenção financiada por Bill e Melinda Gates pode ser a solução para resolver o problema da malnutrição a nível mundial. O próximo passo é conseguir o apoio dos Governos locais. A malnutrição é um problema …

Com a ajuda de um radar, cientistas revelaram pegadas de mamutes e humanos pré-históricos

Espalhados pelo Monumento Nacional de White Sands, nos Estados Unidos, encontram-se os "rastos fantasma" de mamutes mortos há milhares de anos. Agora, investigadores conseguiram revelar pegadas de humanos. De acordo com o Science Alert, esta descoberta, …

A desertificação está progredir na Índia. Mas a solução pode estar no conhecimento tradicional

Quase 45% da área de Maharashtra está a transformar-se em deserto, assim como uma grande parte da Índia. De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), o ritmo da desertificação no país é agora …

Um dos videojogos mais famosos do mundo é acusado de propaganda anti-Rússia

Call of Duty é uma das franquias de maior sucesso na história dos videojogos, mas atualmente existem pedidos para boicotar o seu último lançamento devido à descrição de conflitos militares do jogo. Call of Duty: Modern …

Nova aplicação rastreia todos os seus passos em troca de descontos

Todas as pessoas gostam de aproveitar descontos, negócios e saldos. A Miles é uma nova aplicação que lhe oferece isso em troca de algo: a sua privacidade. A app rastreia todos os seus movimentos, disponibilizando descontos …