Restaurantes pedem descida temporária de IVA para aliviar as quebras

Usien / Wikimedia

A Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal diz ver refletidos contributos do guia que preparou para os restaurantes nas orientações da Direção-Geral da Saúde (DGS).

A Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) propôs a aplicação temporária da taxa reduzida de IVA aos serviços de alimentação e bebidas, para estimular a retoma da atividade e salvar empregos.

“A AHRESP defende a aplicação da taxa reduzida de IVA aos serviços de alimentação e bebidas. Esta decisão, a ser acolhida, representará um importante estímulo à retoma da atividade e poderá garantir a sobrevivência de milhares de empresas e a manutenção de centenas de milhares de postos de trabalho”, lê-se no boletim da AHRESP de 8 de maio.

A associação congratula-se, ainda, com a orientação da Direção-Geral da Saúde (DGS), publicada na sexta-feira, que vem indicar os procedimentos a adotar pelos estabelecimentos de restauração e bebidas.

A AHRESP diz reconhecer na orientação muitos dos contributos expressos no Guia de Boas Práticas para a Restauração e Bebidas, que elaborou na sequência de uma reunião com Antonio Costa, em 21 de abril, para dar conta das condições em que o setor da restauração e bebidas poderia reabrir a sua atividade.

Assim, quanto ao plano de contingência, as empresas deverão levar em consideração o Guia de Orientação para estabelecimentos HORECA (área de atividade económica relativa aos hotéis, restaurantes e cafés), elaborado pela AHRESP, com base na Orientação n.º 6/2020 da DGS.

  ZAP // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.