Resistência das bactérias aos antibióticos é finalmente desvendada

Cientistas britânicos descobriram como é que as bactérias conseguem resistir aos antibióticos. A OMS definiu este problema como uma das maiores ameaças à saúde global.

Investigadores da Universidade de Newcastle estudaram amostras de pacientes idosos que tinham infeções urinárias recorrentes e observaram como é que as bactérias perdem as paredes celulares para se camuflarem no corpo humano. Estas paredes são um alvo comum em vários grupos de antibióticos.

“Imagine que a parede é como se a bactéria estivesse com um colete refletor vestido. Isto dá-lhe um formato regular, tornando-a forte e protegendo-a, mas também deixando-a altamente visível, especialmente para o sistema imunitário humano e antibióticos como penicilina”, compara a cientista Katarzyna Michiewicz, em entrevista ao Phys.



“O que vimos é que na presença de antibióticos, a bactéria consegue mudar de uma forma de parede para um estado completamente aleatório, sem parede e em formato de L. Desta forma o corpo não consegue reconhecer facilmente a bactéria e então não a ataca, e os antibióticos também não“, explicou.

Quando estão neste formado de L, as bactérias ficam moles e fracas, mas algumas sobrevivem e escondem-se no corpo até que o antibiótico se ausente. Aí ela reconstrói a parede celular e volta ao seu formato normal. As células de um paciente voltaram ao formato normal apenas cinco horas depois de não haver mais penicilina no corpo.

Em pacientes saudáveis, a fraqueza da célula com formato L significa que o próprio sistema imunitário da pessoa consegue matar estas bactérias, mas em pacientes fragilizados ou idosos como os que foram utilizados no estudo, estas bactérias conseguem sobreviver. Isto pode explicar porque é que algumas pessoas têm infeções urinárias recorrentes.

“Para os médicos, isto pode significar ter em consideração uma combinação de tratamentos: primeiro um antibiótico que ataca a parede celular e depois um tipo diferente para qualquer célula com formato de L que esteja escondida”, explica a investigadora.

As bactérias em formato de L também ficam invisíveis em métodos tradicionais de identificação de infeções. Para conseguir realizar este estudo e identificar pela primeira vez a mudança de formato das bactérias, os cientistas usaram um método especial de deteção osmoprotetor.

Esta observação é revolucionária, já que destaca pela primeira vez que bactérias conseguem sobreviver sem uma parede celular. O trabalho foi publicado esta quinta-feira na revista Nature Communications.

Agora, os investigadores pretendem alargar a pesquisa a pacientes que já receberam tratamento contra a infeção. A resistência de bactérias a antibióticos foi identificada pela Organização Mundial da Saúde como uma das maiores ameaças à saúde global.

ZAP // HypeScience

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Euro2020. Eriksen cai inanimado no relvado. Dinamarca-Finlândia suspenso

O encontro entre Dinamarca e Finlândia, da primeira jornada do Grupo B do Euro2020, foi interrompido ao minuto 43 depois do médio Christian Eriksen ter caído inanimado do relvado. O jogador do Inter Milão, de 29 …

Hungria quer proibir conteúdos sobre homossexualidade a menores de 18

O Governo conservador húngaro preparou nova legislação que proíbe a exibição de material pornográfico de qualquer tipo e de quaisquer conteúdos que encorajem a mudança de género ou a homossexualidade a menores de 18 anos. O …

Boris "não hesitará" em suspender acordo por causa da Irlanda do Norte

O primeiro-ministro britânico afirmou, este sábado, que "não hesitará" em suspender o acordo do Brexit se a União Europeia (UE) não mostrar flexibilidade e aceitar aplicá-lo de forma "sensata". "Se o protocolo continua a ser aplicado …

País de Gales 1-1 Suíça | Desperdício helvético com preço alto

Dois golos nascidos em pontapés de canto ditaram, este sábado, um empate 1-1 entre um País de Gales aguerrido e uma Suíça penalizada pela ineficácia ofensiva, num embate da primeira jornada do grupo A do …

Sesimbra também não avança para a nova fase de desconfinamento

O concelho de Sesimbra não vai avançar para uma nova fase de desconfinamento, ao contrário do que estava previsto, devido ao aumento local de casos de covid-19, disse à agência Lusa o presidente da autarquia, …

Influente bispo alemão não vê "por que não" se pode abençoar casais homossexuais

"Se os homossexuais pedem alguma bênção, por que não?", disse, esta sexta-feira, um bispo alemão que foi recebido pelo papa Francisco no Vaticano, a propósito da delegação da Comissão Episcopal da União Europeia (Comece). Franz-Josef Overbeck, …

Mais 789 novos casos de covid-19 e uma morte em Portugal

Portugal registou, este sábado, mais uma morte e 789 casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o último boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da DGS, dos 789 novos …

Organização dos Jogos Olímpicos estima cerca de sete casos diários

Os organizadores dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio 2020 estimam que haverá cerca de sete casos de covid-19 por dia entre as pessoas envolvidas no evento, disse a emissora pública japonesa NHK. A estimativa foi …

Mais dois militares vão a julgamento por agressões em curso dos Comandos

Estão em causa dois cursos anteriores ao que levou à morte, em 2016, dos recrutas Hugo Abreu e Dylan da Silva. Um dos casos segue já para julgamento, o outro vai para a fase de …

Remodelação à vista (com saídas e trocas de pastas por "um Governo de combate")

O Governo de António Costa tem pela frente um mês de Julho decisivo que ficará marcado pela chegada dos fundos da bazuca europeia. E há dirigentes socialistas que acreditam que o primeiro-ministro deve aproveitar a …