“O Senhor Não” que foi “bicho papão” da Europa. Reeleição de Mark Rutte em risco

Stephanie Lecocq / EPA

O primeiro-ministro holandês, Mark Rutte.

A imprensa holandesa ressalva os esforços de Mark Rutte, mas critica a falta de resultados concretos. A reeleição do primeiro-ministro holandês pode estar em risco.

O Conselho Europeu aprovou esta terça-feira um acordo para retoma da economia comunitária pós-crise da covid-19. Após cinco dias e quatro noites, os líderes europeus encontraram uma fórmula para distribuir pelas economias europeias 1,84 biliões de euros.

Muitos apontam que a demora nas negociações teve um nome: Mark Rutte. O primeiro-ministro holandês deixou evidentes as visões distintas do projeto europeu que os vários Estados membros têm.

Rutte liderou um bloco dos países ‘frugais’ – Holanda, Áustria, Suécia e Dinamarca -, que rejeitava a mutualização da dívida europeia e às transferências diretas entre países. A sua oposição não invabilizou a solução desenhada para garantir um financiamento “rápido e robusto”, capaz de responder às necessidades urgentes dos Governos e agentes económicos.

Embora seja visto como o líder das nações ‘frugais’, no seu país natal muitos acreditam que o chefe do Executivo não foi ‘frugal’ o suficiente. Rutte conseguiu alterar o saldo de subvenções e empréstimos no fundo de recuperação da UE, um desconto na contribuição anual da Holanda para o orçamento europeu e rendimento extra de direitos alfandegários.

No entanto, os holandeses consideram que esta foi uma vitória magra. “Rutte ganhou algumas batalhas, mas perdeu a guerra para o imperialista francês Macron”, escreveu o correspondente em Bruxelas da revista semanal EW. A publicação elogia, todavia, os esforços feitos por Rutte.

“O primeiro-ministro vendeu cara a pele, conseguiu alguma vantagem financeira para o nosso país e também adquiriu o apelido de ‘O Senhor Não’“, escreveu, por sua vez, o De Telegraaf, citado pela revista Sábado. “Os países do Sul foram capazes de obter benefícios financeiros significativos” num acordo que, segundo o jornal de maior circulação na Holanda, “é historicamente mau”.

O diário de centro-esquerda Volksrant comenta a boa prestação de Rutte nas negociações, mas realça que “para manter a União unida política e economicamente era necessário mostrar uma forma tangível de solidariedade com o duro golpe no sul europeu”.

“Os países do Norte da Europa queriam, com razão, tornar as subvenções dependentes de reformas, especialmente porque esses mesmos países fizeram cortes dolorosos após a crise financeira de 2008”, lê-se no diário holandês.

O POLITICO escreve que uma sondagem recente constatou que 61% dos eleitores holandeses não apoiavam o plano de recuperação da UE proposta pela Comissão Europeia (antes de ser alterado). Apenas 4% disseram estar totalmente satisfeitos.

O líder da extrema direita do Partido pela Liberdade, Geert Wilders, disse que o acordo de terça-feira foi um “resultado horrivelmente mau”. Outro partido de extrema-direita, o Fórum para a Democracia, disse que demasiado dinheiro era destinado aos países sulistas e denunciou o excesso de gastos no orçamento.

Em declarações ao diário holandês NRC, a deputada Anne Mulder disse que o primeiro-ministro “prefere não interferir nas pensões da Itália, mas os italianos estão a forçar-nos a fazê-lo. Como a Comissão Europeia não está a fazer o seu trabalho, Mark Rutte precisa de ser o bicho-papão para fazer cumprir essas reformas”.

O resultado das negociações pode ter um efeito devastador no futuro de Mark Rutte. O atual primeiro-ministro disse que só vai decidir em dezembro, a três meses das eleições, se vai continuar como líder do partido e, consequentemente, recandidatar-se ao cargo.

Daniel Costa DC, ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Rutte mais moderado e menos forreta que a população holandesa. Na altura que a Holanda (Paises Baixos) se enchem com agua do Mar do Norte e eles precisarão da solidariedade dos países secos, vamos ver.
    A Holanda, embora maior beneficiário líquido da UE, mesmo assim conseguiu exprimir mais uns trocos para um país tão rico que até precisam de esconder os fundos de pensões acumulados, para não haver inflação da moeda Euro. Corsários por natureza (Piet Heijn) e vivendo como pulga da artéria económica Alemã, tiveram ainda a sorte de viver em cima de uma bolha de Gás Natural, não se percebe o que eles querem com tanta riqueza, sendo eles frugais.
    Em contrapartida e olhando só para Portugal, tenho também as minhas dúvidas acerca do saco que vai albergar o bolo enorme deste Plano Marshall. Até parece que há sempre alguns elementos no poder apenas a espera do aparecimento de algum evento como este, para ‘aproveitar’ as arrestes que caiem enquanto se lima a execução dos gastos.
    Só acho que as minhas razões e medos são os mais realistas.
    Ainda acerca da ‘re-industrialização’ da Europa e com o clima neo-liberal que manda na UE em mente, será impossível isto pegar sem proteccionismo do mercado interno.
    Então, Portugal poderia voltar a produzir tachos de alumínio e aguidares, etcetera 🙂

  2. Estes hipócritas holandeses, mamam à fartasana os impostos de empresas do sul da Europa que estacionam nesse pais. O equilíbrio fiscal na Europa é mandatário e nos os prejudicadas devemos começar a dar os murros na mesa.

RESPONDER

Proporção divina. Antiga fórmula grega pode ser responsável pelo sucesso dos musicais

Desde 1972, quando "Jesus Christ Superstar" estreou na Broadway, os mais populares musicais quase unanimemente empregaram uma fórmula centenária conhecida como “a proporção divina” - e, surpreendentemente, parecem tê-lo feito acidentalmente. A proporção divina é um …

Egito já iniciou obras de alargamento do Canal do Suez

A Autoridade do Canal do Suez iniciou este sábado obras para ampliar dez quilómetros do troço sul, onde o navio Ever Given encalhou em março passado, causando o bloqueio de uma das vias de navegação …

Museu do Prado descobre erro de 500 anos numa das suas esculturas

O Museu do Prado, em Madrid, descobriu que uma das suas esculturas, que se pensava ser do século XV, é afinal uma obra do século XX. Em comunicado, o museu espanhol explicou que a escultura – …

Costa entrou em “modo avestruz” e Cabrita é uma “mancha”. Líder do CSD não poupa nas críticas

Francisco Rodrigues dos Santos fez duras críticas ao primeiro-ministro, António Costa, e ao ministro da Administração Interna, Eduarda Cabrita. O presidente do CDS-PP disse que o primeiro-ministro entrou "em modo avestruz no caso João Galamba" referindo-se …

Morreu o prefeito de São Paulo que venceu a covid-19, mas que perdeu a batalha para o cancro

O prefeito da cidade brasileira de São Paulo, Bruno Covas, morreu este domingo, aos 41 anos, vítima de cancro, segundo a imprensa brasileira e várias personalidades que nas redes sociais têm lamentado a sua morte. Bruno …

China não está a conseguir macacos de laboratório suficientes para responder à procura da comunidade científica

A proibição do comércio de animais selvagens e o crescimento da investigação científica estão a causar uma escassez de macacos de laboratório na China. A oferta cada vez menor de macacos de laboratório, amplamente usados em …

Câmara do Porto recusa hastear bandeira LGBT no dia contra a homofobia

A Câmara Municipal do Porto recusou hastear a bandeira LGBTI+ na próxima segunda-feira, dia 17 de Maio, data em que se assinala o Dia Internacional Contra a Homofobia, Bifobia e Transfobia. Segundo o Público, a autarquia …

E se fosse possível passar um mês no Palácio de Buckingham? O preço não seria para qualquer bolso

Viver num palácio pode ser o sonho de muitos, mas não é para a carteira de qualquer um. Agora, já se sabe quanto custaria alugar, durante um mês, uma das casas reais mais conhecidas da …

Cavaco Silva considera que seria "chocante" PSD aprovar reforma das Forças Armadas

O ex-Presidente da República defende que é "um erro grave" a reforma das Forças Armadas que o ministro da Defesa pretende fazer, afirmando que seria para si "chocante" ver o PSD aprová-la. "Considero um erro grave …

Risco de ser hospitalizado ou morrer de covid diminui 90% após vacinação

O risco de um adulto ser hospitalizado ou morrer por covid-19 diminui 90% a 95% passados 35 dias sobre o início da vacinação, conclui um estudo divulgado este sábado pelo Instituto Nacional de Saúde de …