O RB Leipzig detém o título de clube mais odiado da Alemanha, devido ao corporativismo com que é regido. Todavia, o clube tem sido um verdadeiro exemplo de sucesso.

“Red Bull dá-te asas” é um slogan bastante familiar a todos nós. Criação do bilionário Dietrich Mateschitz, a bebida energética nasceu na Áustria, em 1987. Inicialmente, a Red Bull foi banida na Alemanha, o que elevou bastante a sua popularidade. Jovens germânicos atravessavam a fronteira só para provar a “bebida proibida”.

Hoje, a Red Bull é mais do que uma bebida energética. A marca apoia e investe em vários tipos de desportos. No futebol, a Red Bull possui seis equipas: Red Bull Salzburgo, New York Red Bulls, Red Bull Ghana, Red Bull Brasil, Red Bull Bragantino e, finalmente, RB Leipzig.

O RB Leipzig tornou-se um verdadeiro exemplo de sucesso no futebol europeu. O clube foi fundado em 2009 com o nome RasenBallsport Leipzig, fugindo subtilmente ao nome da marca. No estatuto da Federação Alemã de Futebol (DFL), é proibido que uma equipa tenha o nome de uma marca, bem como um emblema que remeta diretamente para o logótipo da empresa.

Em pouco mais de dez anos, a equipa escalou da 5.ª divisão alemã até à Bundesliga. E mais: depois de terminar o campeonato em segundo lugar em 2016/17, o clube foi pela primeira vez à Liga dos Campeões. Acabou por não passar da fase de grupos, seguindo para a Liga Europa, onde se ficou pelos ‘quartos’.

Na fase de grupos, os germânicos apanharam o Benfica, com quem empataram um e venceram o outro encontro.

Muito mudou num par de anos. Nesta época que passou, o Leipzig quebrou a barreira do impensável e atingiu as meias-finais da Liga dos Campeões. O jovem emblema acabaria por cair da competição, derrotado pelo Paris Saint-Germain.

Mas como conseguiu o RB Leipzig crescer tanto em tão pouco tempo? Para além do óbvio investimento da marca de bebidas energéticas, o clube rege-se por uma rígida filosofia, apostando maioritariamente num plantel recheado de juventude e talento. Basta olhar para o seu treinador.

Julian Nagelsmann, também conhecido por ‘Baby Mourinho’, tem apenas 33 anos, mas já mostrou todo o seu valor no futebol europeu. Nagelsmann foi a mente responsável pelo sucesso do Hoffenheim nos anos recentes. Em 2017/18, terminou no terceiro lugar da Bundesliga, garantindo a qualificação para a Liga dos Campeões.

Em Leipzig, o técnico germânico sentiu-se velho ao lado dos seus jogadores. Com uma média de idades de 22,7 anos, o ‘Die Bullen’ tem um dos planteis mais jovens da Europa.

Da defesa ao ataque, o Leipzig reforçou-se com um conjunto de atletas novos e com muito talento bruto. Muitos deles custaram uma ‘ninharia’ e continuam ao serviço do clube, à medida que este vai crescendo a olhos vistos.

O Leipzig também contou com a colaboração do outro emblema mais notável da Red Bull, o Salzburgo.

Joshua Kimmich, Naby Keïta e Timo Werner são três exemplos de jogadores que passaram pelo emblema da Red Bull, mas que devido à sua qualidade acabaram por se aventurar noutras andanças. O último, o avançado internacional alemão Timo Werner, rumou ao Chelsea este verão, mediante o pagamento de uma verba de 53 milhões de euros.

O clube mais odiado da Alemanha

Desde cedo, o RB Leipzig enfrentou uma enorme onda de protestos na Alemanha. Muitos consideram que os valores do futebol germânico ficaram em xeque em virtude do oportunismo comercial. Em alguns casos, os adeptos rivais recusaram frequentar os jogos no estádio do Leipzig, a Red Bull Arena, com capacidade para cerca de 43 mil pessoas.

Num caso mais extremo, os adeptos do Dynamo Dresden até atiraram uma cabeça decapitada de um touro para o relvado.

A origem deste ódio pelo “corporativismo” do clube está enraizada na história do futebol alemão. Até 1998, o investimento privado era estritamente proibido, com todos os clubes a não terem fins lucrativos. Desde esse ano, os clubes que tenham investimento privado devem obedecer àquela que é conhecida como a regra “50+1”.

A regra determina que para um clube competir na Bundesliga tem de deter a maioria do capital do clube (ou seja, 51%). Idealmente, isto impede que investidores estrangeiros injetem dinheiro e assumam as rédeas do clube.

Há exceções: o Bayer Leverkusen (da farmacêutica Bayer) e o Wolfsburgo (da fabricante automóvel Volkswagen). Também o Hoffenheim, cujo dono já investe há muitos anos no clube, usou uma brecha permitida pela liga para comandar o ‘Hoffe’.

Enquanto, por exemplo, o Bayern Munique tem mais de 290 mil sócios, o RB Leipzig tem apenas 750. Os sócios do emblema da Baviera pagam, sensivelmente, entre 30 e 60 euros por ano. Por sua vez, os sócios do Leipzig têm de pagar uma ‘joia’ de 100 euros de entrada, mais 800 euros por ano.

Embora a regra “50+1” seja cumprida pelo Leipzig, a maioria dos sócios do clube são empregados da Red Bull. Foi esta a maneira encontrada pela direção do clube para se esquivar à regulamentação da federação alemã.

DC, ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

O misterioso escurecimento da Betelgeuse foi oficialmente desvendado

A causa da misteriosa perda de brilho da estrela foi causada por uma nuvem gigante de poeira, expelida pela própria supergigante vermelha. O "Grande Escurecimento da Betelgeuse", como passou a ser conhecido, foi um fenómeno que …

Entre cursos de água e "kahns", a Alemanha ainda alberga uma minoria étnica de língua eslava

As nações europeias nasceram e desvaneceram ao longo do tempo, mas há uma minoria étnica de língua eslava que permanece dentro da Alemanha. Lehde é uma pacata vila, com cerca 150 habitantes, de ilhas pantanosas interligadas …

Itália 3-0 Suíça | Squadra Azzurra volta a ganhar e a encantar

A Itália tornou-se hoje a primeira seleção a garantir o apuramento para os oitavos de final do Euro2020 de futebol, ao vencer a Suíça por 3-0, em encontro da segunda jornada do Grupo A, disputado …

Sony apresenta o seu primeiro drone, o Airpeak S1

Há algum tempo que a Sony planeava lançar um drone, agora, é oficial. A empresa de tecnologia apresentou um drone chamado Airpeak S1 que será, muito provavelmente, o primeiro de muitos. A Sony anunciou oficialmente o …

Candidaturas a astronauta da Agência Espacial Europeia encerram na sexta-feira

Os candidatos têm de ter, pelo menos, um mestrado e experiência profissional, serem fluentes em inglês e ter mais de 1,30 metros.  O prazo para apresentação de candidaturas a vagas para novos astronautas da Agência Espacial …

Dois meses no escuro. Valentina Miozzo passou a quarentena sozinha no Ártico

A pandemia de covid-19 foi um duro golpe de solidão forçada para a maioria das pessoas, mas para a italiana Valentina Miozzo foi a oportunidade perfeita para usufruir de alguns momentos a sós. A meio da …

Pedras misteriosas provocam "corrida aos diamantes" na África do Sul

Uma verdadeira "febre de diamantes" assolou a vila de KwaHlathi, na província de KwaZulu-Natal, litoral da África do Sul. Centenas de pessoas, com utensílios caseiros a servir de engenhos de mineração, ocuparam um terreno à …

Designer cria um "terceiro olho" para quem vive agarrado ao telemóvel

Um designer industrial sul-coreano criou, recentemente, um “terceiro olho” para ajudar aqueles que, mesmo em andamento, não conseguem tirar os olhos do telemóvel. O designer industrial Minwook Paeng criou recentemente o The Third Eye ('terceiro olho' …

Depois de Ronaldo e da Coca Cola, Pogba imitou-o com a Heineken (e a UEFA podia castigar Portugal e França)

Após Cristiano Ronaldo ter removido duas garrafas de Coca Cola da mesa onde se sentou para uma conferência de imprensa no Euro 2020, foi a vez do francês Paul Pogba ter feito o mesmo com …

Adeptos portugueses proibidos de entrar na "fan zone" de Budapeste

Momento confuso numa zona da capital da Hungria, na véspera do jogo com Portugal, na estreia no Europeu 2020. A Hungria não escapou ao coronavírus mas, entre os países que recebem jogos do Europeu 2020, é …