Novo aparelho consegue retirar água potável do ar seco do deserto

Investigadores da Universidade da Califórnia, em Berkeley, desenvolveram um dispositivo que consegue extrair quantidades de água potável do ar mais seco encontrado no deserto.

O grupo de investigadores diz que o novo colector de água pode produzir mais de 1,3 litros por quilograma de um determinado material absorvente de água, num só dia. A investigação publicada na revista ACS Central Science refere que a produção pode ser feita com menos de 40% de humidade relativa.

Pode não parecer uma grande quantidade de água, mas já é o suficiente para manter uma pessoa viva caso o estado de desidratação seja grave.

A máquina foi posta à prova, durante três dias, no deserto de Mojave, nos EUA. Durante esse período de tempo, o dispositivo produziu 0,7 litros de água por kg de material. Mesmo no dia mais seco, com humidade relativa a 7%, conseguiu recolher 200 ml de água.

O principal componente do recolhedor de água é um tipo de material conhecido como estrutura metal-orgânica (MOF). Este composto tem áreas de superfície grandes o suficiente para permitir que várias moléculas de água do ar se acumulem e condensem dentro delas à temperatura ambiente.

Mathieu Prévot / UC Berkeley

O aparelho de recolha de água é constituído por um ventilador que sopra o ar sobre cartuchos dos MOF’s dentro de uma caixa, que retira a água e a liberta num condensador

O aparelho é uma caixa de acrílico transparente, constituído por um ventilador que sopra o ar sobre cartuchos de MOF’s, que retiram a água. Essa água é então removida dos MOF’s com algum aquecimento e libertada para um condensador onde a água líquida se acumula.

Esta é a terceira versão de colector de água que a equipa de investigadores criou. Em 2017, o primeiro protótipo recolheu água do ar durante a noite, antes de usar o calor do sol no dia seguinte para colher e condensar. A segunda versão, de 2018, tinha melhorias que permitiam recolher até 100 ml de água por kg de MOF’s.

O grupo de cientistas afirma que a última versão é 10 vezes mais eficiente que o modelo do ano passado e 100 vezes mais eficiente do que o protótipo de 2017.

Isto deve-se à introdução do ventilador elétrico, que sopra mais ar sobre os MOF’s e aos aquecedores que permitem que a água seja libertada. Ambos consomem energia recolhida de painéis solares, para além de terem baterias que permitem ao dispositivo funcionar durante a noite.

Mathieu Prévot / UC Berkeley

Da esquerda, os investigadores Nikita Hanikel, Grant Glover e Mathieu Prévot com o dispositivo de recolha de água

Como a máquina é independente, podia ajustar-se a regiões rurais ou países em desenvolvimento, onde a escassez de água é um problema recorrente.

A equipa diz ainda que o dispositivo pode vir a funcionar em escalas. Uma startup criada pelo grupo está a testar uma versão do tamanho de um microondas que pode produzir entre sete a 10 litros de água por dia água potável suficiente para três adultos.

Uma versão ainda maior, do tamanho de um frigorífico, podia fornecer 200 a 250 litros por dia, o que satisfazia as necessidades de uma família inteira. O objetivo final seria um dispositivo muito maior que produzisse 20 mil litros por dia, ajudando vilas inteiras.

Omar Yaghi, investigador principal do projeto, sustenta que esta mobilidade de água pode vir a possibilitar que a água seja um direito humano. “Estamos a produzir água ultra pura, que tem potencial de vir a ser disponibilizada amplamente sem conexão com a rede de distribuição de água”, explica Omar.

DR, ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Restos mortais de morcego-vampiro podem desvendar mistérios sobre a espécie extinta

A descoberta da mandíbula de um morcego que viveu há 100 mil anos pode ajudar a responder a algumas incógnitas sobre a espécie extinta. Os restos mortais foram encontrados numa caverna na Argentina. De acordo com …

Vacinação de crianças saudáveis está aberta à "livre escolha dos pais"

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, salientou este sábado que as autoridades de saúde não proibiram a vacinação contra a covid-19 para crianças saudáveis, considerando que “esse espaço continua aberto à livre escolha …

Tal como nos humanos, a cafeína ajuda as abelhas a aumentar o foco e a eficácia

Um novo estudo indica que, tal como em muitos humanos, uma injeção de cafeína ajuda as abelhas a manterem-se mais concentradas e a realizarem o trabalho com mais eficiência. Uma equipa da Universidade de Greenwich percebeu …

Astrónomos detetam, claramente e pela primeira vez, um disco a formar satélites em torno de exoplaneta

Com o auxílio do ALMA, do qual o ESO é um parceiro, os astrónomos detetaram pela primeira vez de forma clara a presença de um disco em torno de um planeta fora do nosso Sistema …

E se a Terra parasse subitamente de girar?

O nosso planeta demora 23 horas e 56 minutos a completar uma volta em torno do seu eixo, movendo-se a cerca de 1.770 quilómetros por hora. Aprendemos estes pormenores sobre o planeta azul na escola, …

Sporting 2 - 1 Braga | Leão entra em 2021/22 a rugir

O Sporting parece querer manter a senda de sucesso da época passada e entrou em 2021/22 com o pé direito. Os “leões” bateram o Sporting de Braga por 2-1, num jogo que valeu, sobretudo, pela primeira …

Ensinar crianças a dizer palavrões? Uma cientista acha que é boa ideia

A auto-intitulada "cientista dos palavrões" acredita que ensinar as crianças a usá-los de forma eficiente ajuda os mais novos a perceber como este palavreado afecta outras pessoas. Já se sabia que dizer palavrões é um sinal …

Fósseis misteriosos podem ser uma das provas mais antigas de vida animal na Terra

Elizabeth Turner, cientista numa universidade do Canadá, poderá ter encontrado a prova mais antiga de vida animal na Terra. Uma cientista encontrou possíveis sinais de vida animal multicelular em restos de recifes microbianos de há 890 …

E se o mundo entrasse em colapso? Cientistas descobrem qual o país onde há maior probabilidade de sobreviver

Caso a civilização entre em colapso - uma possível consequência das alterações climáticas - os cientistas já descobriram qual o lugar do mundo onde há maior probabilidade de sobreviver: é na Nova Zelândia. Numa pesquisa, dois …

"Dança quem está na roda", responde Marcelo sobre ausência de Bolsonaro

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, disse este sábado que "dança quem está na roda" quando questionado pelos jornalistas sobre a ausência do homólogo brasileiro, Jair Bolsonaro, da cerimónia de reinauguração do Museu …