Quanto mais depressa andamos, mais tempo vivemos

Um estudo realizado na Universidade de Sydney, na Austrália, revela que andar mais rápido pode aumentar a nossa longevidade.

Investigadores da Universidade de Sydney juntaram-se aos da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, para analisar os resultados de 11 questionários realizados na Inglaterra e na Escócia, entre 1994 e 1998, nos quais os participantes relataram em que ritmo costumam caminhar frequentemente.

Os cientistas levaram em consideração a duração dos exercícios físicos realizados, intensidade, idade, sexo e massa corpórea.

De acordo com a investigação, andar a um ritmo normal está associado a uma redução de 20% do risco da mortalidade, comparado com um ritmo mais lento. Pelo contrário, um ritmo mais acelerado significa 24% de redução do risco da mortalidade.

“5 a 7 km/h corresponde a um ritmo rápido de caminhada, embora isso dependa da forma de cada pessoa. Ainda assim, um indicador alternativo é andar a um ritmo que nos deixa suados e com a respiração levemente acelerada”, refere Emmanuel Stamatikis, investigador da Universidade de Sydney.

Na experiência, os cientistas observaram também que as pessoas com mais de 60 anos que andam a um ritmo médio tiveram 46% de redução do risco de morte por motivos cardiovasculares, enquanto que aqueles que caminham rapidamente tiveram uma redução de 53%.

No que diz respeito aos indicadores, enquanto o sexo e a massa corpórea não parecem influenciar os resultados, andar a um ritmo médio ou rápido está associado ao risco reduzido de todas as causas de mortalidade e doenças cardiovasculares. Todavia, o ritmo não pareceu influenciar na probabilidade de uma pessoa morrer de cancro.

O principal objetivo dos cientistas com esta investigação é enfatizar a importância do ritmo da caminhada na saúde das pessoas.

“Há situações que nos impedem de andar mais, quer seja por pressões de tempo ou questões ambientais que impossibilitam a caminhada. Nessas situações, andar mais rápido pode ser uma boa opção para aumentar o ritmo cardíaco, uma opção que a maior parte das pessoas pode adotar no seu dia a dia”, conclui o investigador.

PARTILHAR

7 COMENTÁRIOS

  1. Correlação não é nexo de causalidade! Andar mais rápido pode aumentar a longevidade, mas também pode acontecer simplesmente que pessoas mais saudáveis (potencialmente mais longevas) tendam a caminhar mais rápido. A navalha de Occam tenderia a apontar mais para a segunda hipótese, mas para ter a certeza seria necessário estudar mais o assunto.

    • Ó caro Rui. A sua teoria é muito linda mas está longe de ser exaustiva:
      – Quem caminha mais rápido pode ser mais stressado
      – Quem caminha mais rápido de algo pode estar a fugir
      E neste caso para onde apontaria o martelo-pneumático do occam?

  2. Meu caro, eu não tenho teoria nenhuma. Só alertei para o facto de que não é por A estar correlacionado com B que A é necessariamente a causa de B. Pode ser, pode não ser.

    PS: No tempo de Occam não havia martelos pneumáticos.

  3. ummm sim principalmente se estivermos a ser perseguidos por alguem com mas intençoes 😉 evolutivamente ,somos mais altos para correr atras dos animais ( comida )

Responder a Rui Cancelar resposta

Detetadas "partículas fantasmagóricas" que o Modelo Padrão não pode explicar

O observatório IceCube, localizado no Pólo Sul, revelou que a Antena Antena Antártida de Impulso Transitivo (ANITA) detetou alguns "sinais muito estranhos" que "não pode ser explicados" pelo Modelo Padrão da Física. O projeto ANITA, …

Descoberto primeiro asteróide que se move apenas dentro da órbita de Vénus

Uma rede de telescópios robóticos operados à distância observou um asteróide que, além de ser o asteróide mais próximo do Sol, é também o primeiro asteróide descoberto que se move completamente dentro da órbita de …

Mark Zuckerberg tem medo do TikTok (e já se sabe porquê)

Mark Zuckerberg já deixou claro, mais do que uma vez, que não gosta do TikTok. No entanto, agora sabemos o que está por trás desta hostilidade pelo rival: a aplicação está a crescer muito, mesmo …

A empresa mãe da Google já vale um bilião de dólares

Esta quinta-feira, a Alphabet, empresa mãe da Google, conseguiu uma cotação na bolsa de 1 bilião de dólares, cerca de 900 mil milhões de euros. A Alphabet tornou-se, esta quinta-feira, a quarta empresa norte-americana a conseguir …

Cientistas criam "cimento vivo" capaz de se "curar"

Uma equipa de cientistas dos Estados Unidos criou um "cimento vivo" juntando areia e bactérias num material de construção capaz de se auto-reproduzir, de absorver dióxido de carbono e manter a resistência. "Já usamos materiais biológicos …

Sporting 0-2 Benfica | Águia vence dérbi e foge na frente

O Benfica foi o grande vencedor do dérbi lisboeta. Na visita ao Sporting, os “encarnados” marcaram dois golos sem resposta, ambos na segunda parte, por Rafa Silva, entrado no decorrer da segunda parte, após ter …

Um em cada seis homens é vítima de abuso sexual antes dos 18 anos

Um em cada seis homens é vítima de abuso sexual antes dos 18 anos e podem levam décadas até pedir ajuda, por nem sempre aceitarem e entenderem que sofreram violência sexual. Na maior parte dos …

"Messiah", da Netflix, reacende controvérsia sobre os limites da liberdade de expressão

A série Messiah, disponível na plataforma de streaming Netflix, acende a controvérsia em torno dos limites da liberdade de expressão e da criatividade no mundo das artes e do entretenimento. Messiah, uma série produzida por Michael …

Quadro encontrado por jardineiro era mesmo a obra desaparecida de Klimt

Em 1997, Retrato de uma Senhora desapareceu da Galeria de Arte Moderna Ricci Oddi, em Piacenza. Em dezembro, o quadro foi descoberto. Estava escondido numa parede da instituição. O quadro encontrado em dezembro, escondido na reentrância …

Terramotos modificaram a geografia de Porto Rico (e a NASA mostra como)

Os terramotos que Porto Rico tem sentido desde dezembro passado, que causaram pelo menos um morto e milhões de dólares em prejuízos, estão também a mudar a geografia desta ilha das Caraíbas. A agência espacial …