Rangel e outros 13 eurodeputados do PPE pedem expulsão de partido húngaro

O eurodeputado do PSD Paulo Rangel e outros 13 chefes de delegação do Partido Popular Europeu (PPE) pediram na terça-feira a expulsão do partido húngaro Fidesz, exigindo ao líder parlamentar daquela família política, Manfred Weber, uma “posição clara” sobre esta questão.

Numa carta enviada ao líder da bancada do PPE, à qual a agência Lusa teve acesso, os chefes das delegações portuguesa, luxemburguesa, dinamarquesa, sueca, finlandesa, belga (que tem dois líderes), polaca, maltesa, lituana, checa, eslovaca, holandesa e estoniana vincaram esperar “que o grupo assuma uma posição clara, que deve refletir, pelo menos, as decisões do partido, quando se trata de defender os seus valores fundamentais e convicções políticas”.

Dias depois de o parlamento húngaro ter autorizado o executivo do primeiro-ministro, Viktor Orbán, a governar indefinidamente por decreto para combater o novo coronavírus, os signatários da carta pedem que “se tirem as consequências necessárias deste ataque adicional [de Budapeste] aos valores europeus e aos valores fundadores do PPE”.

O partido de Viktor Orbán, o Fidesz, foi suspenso (sob condição de futura reavaliação) do PPE em março de 2019 por repetidas posições consideradas antieuropeias e contrárias aos princípios e valores do partido, mas mantém-se como membro desta família política.

Entretanto, no final de março passado, o parlamento húngaro aprovou uma reforma legislativa que permite ao executivo governar por decreto, prolongar o estado de emergência indefinidamente e suspender o calendário eleitoral, com a justificação de fazer face à pandemia de Covid-19.

“Embora existam certas medidas extraordinárias que podem ser consideradas necessárias por razões de saúde pública, continua a ser de extrema importância que permaneçam em vigor os escrutínios e os equilíbrios apropriados e que essas medidas possam ser revertidas quando a emergência passar”, vincaram os eurodeputados.

Assumindo estarem “profundamente preocupados com os desenvolvimentos na Hungria”, estes eleitos do PPE salientaram que “usar uma pandemia para reprimir as liberdades civis e promover uma agenda política iliberal, enquanto bode expiatório da União Europeia para fins políticos domésticos, é cínico”.

“O partido do PPE e o grupo do PPE [no Parlamento Europeu] têm a obrigação moral de defender a democracia liberal e o Estado de direito, especialmente em tempos como a profunda crise que estamos a atravessar”, adiantaram.

Em declarações à Lusa na semana passada, o eurodeputado do PSD e também vice-presidente do PPE, Paulo Rangel, admitiu “muita preocupação” com esta situação. “Estou muito preocupado com a questão do estado de emergência indeterminado na Hungria e acho que isso é problemático, não haver uma data limite, além de colocar a liberdade de imprensa fortemente sob pressão e coação”, referiu.

Essas declarações foram feitas um dia depois de o presidente do PPE, Donald Tusk, ter pedido aos membros desta família política – entre aos quais o PSD – que reconsiderassem, à primeira oportunidade, a expulsão do Fidesz.

Lusa //

PARTILHAR

RESPONDER

"Evento raro". Nasceu uma baleia-branca no maior aquário do mundo (e o momento foi gravado)

Whisper, uma baleia-branca de 20 anos, deu à luz uma cria saudável em 17 de maio após uma gravidez de 15 meses, marcando a chegada do mais novo cetáceo do Georgia Aquarium, numa altura em …

Telemóveis são uma ferramenta poderosa contra a desigualdade de género em África

Ao dar às mulheres acesso a informação que, de outra forma, era quase impossível de obter, os telemóveis estão a salvar e a transformar vidas. De acordo com o site IFLScience, o estudo responsável por esta …

Desde março, morreram mais de 100 elefantes no Botsuana. Ninguém sabe porquê

As autoridades do Botsuana estão a investigar a morte de 110 elefantes na região do Delta do Okavango desde março, anunciou esta semana o Ministério do Meio Ambiente, Conservação de Recursos Naturais e Turismo daquele …

Um robô aprendeu a fazer uma omelete. E ficou melhor do que o esperado

Uma equipa de engenheiros da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, treinou um robô a preparar uma omelete. Para os investigadores, avaliar se um robô cozinhou uma refeição com sucesso é uma fonte interessante de …

Covid-19 já matou mais no Reino Unido do que os bombardeamentos alemães da II Guerra

A pandemia de covid-19 já matou mais pessoas no Reino Unido do que os bombardeamentos alemães durante a II Guerra Mundial. O novo coronavírus oriundo da China já matou cerca de 50.000 pessoas em território …

Estudo mostra que os cães querem mesmo resgatar os seus donos do perigo

Um novo estudo mostra que os nossos amigos de quatro patas querem realmente salvar-nos em momentos de aflição, mas desde que saibam como o fazer. De acordo com o site Science Alert, os investigadores reuniram 60 cães …

Derek Chauvin foi detido, mas os precedentes mostram que o polícia pode sair impune

Derek Chauvin, o polícia responsável pela morte de George Floyd, foi detido e aguarda a sua primeira audiência. No entanto, há precedentes que sugerem que o agente pode sair impune. Derek Chauvin tem a sua primeira …

Cientistas encontram dois fragmentos do meteorito de Barcelona

Cientistas espanhóis encontraram dois pequenos fragmentos do chamado meteorito de Barcelona, que caiu, há mais de 300 anos, no dia de Natal. No dia 25 de dezembro de 1704, um meteorito rasgou os céus e caiu …

"Pressionaram-me para o denunciar". Higuita recorda amizade com Escobar

A relação de amizade entre René Higuita e Pablo Escobar levou a que o ex-futebolista fosse seguido pelas autoridades. A polícia chegou a pressioná-lo para denunciar Escobar. O antigo internacional colombiano René Higuita é provavelmente uma …

George Floyd. Portugal junta-se às manifestações mundiais contra o racismo

Cinco cidades portuguesas juntam-se hoje à campanha de solidariedade mundial contra o racismo, associando-se à luta pela dignidade humana na sequência da morte, a 25 de maio, do afro-americano George Floyd, sob custódia da polícia …