/

Maior produção e mais sustentável. Quintas verticais geridas por robôs podem ser o futuro da agricultura

Com a crescente população mundial, a responsabilidade de a alimentar está a ficar cada vez mais difícil. Os especialistas acreditam que a agricultura vertical é o futuro.

A Plenty, uma startup em San Francisco cofundada por Nate Storey, está a reinventar e a revolucionar a agricultura. As quintas verticais são internas e podem ser colocadas em qualquer lugar, o que as torna cruciais numa época em que as terras cultiváveis estão em declínio.

De acordo com o Interesting Engineering, a empresa permite que os produtos sejam cultivados durante todo o ano graças ao trabalho de robôs e inteligência artificial (IA), melhorando continuamente a qualidade do crescimento dos produtos agrícolas e usando 95% menos água e 99% menos terra.

“A realidade é que existem cinco lugares no mundo onde se pode cultivar frutas e vegetais frescos de forma realmente económica e toda essa terra é usada neste ponto. A agricultura vertical existe porque queremos aumentar a capacidade mundial de frutas e vegetais frescos e sabemos que é necessário”, explicou Storey, em entrevista à revista Forbes.

“Imagine uma quinta de 1.500 acres [607 hectares]. Agora, imagine isso a caber dentro da sua mercearia favorita, crescendo até 350 vezes mais. Isso é eficiente”, lê-se no site da Plenty.

As quintas internas climatizadas de Plenty são filas de plantas situadas lado a lado, crescendo verticalmente e penduradas no teto. Existem robôs para movê-las e a empresa usa IA para gerir a água, a temperatura e a luz.

Com luzes LED que imitam o Sol situadas acima delas, o ambiente das plantas é continuamente otimizado para garantir que tenham as melhores colheitas possíveis.

A água utilizada é reciclada e a água evaporada é captada para reaproveitamento. Além disso, a principal quinta em San Francisco também está a usar energia 100% renovável.

De acordo com o site da empresa, a tecnologia “liberta‌ ‌agricultura‌ ‌deas‌ ‌restrições‌ das condições meteorológicas, estações, ‌tempo, ‌distância, ‌pestes, ‌desastres naturais e clima” e produz plantas‌ livres de organismos geneticamente modificados em escala com‌ “sabor extraordinário‌”.

A quinta é tão bem-sucedida que produz 400 vezes mais alimentos por acre – cerca de mil vezes mais alimentos por hectare – do que uma quinta plana.

  Maria Campos, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.