Se quer um coração saudável, desligue a televisão e tome um bom pequeno-almoço

É conhecida como a refeição mais importante do dia e não é por acaso. Os hábitos de vida que seguimos diariamente têm um impacto direto na nossa saúde vascular.

Numa investigação recentemente apresentada na reunião anual do American College of Cardiology, Sotirios Tsalamandris, cardiologista e professor na Universidade de Atenas (Grécia), mostra que as mais pequenas e insignificantes escolhas do nosso dia-a-dia têm impacto no que toca à saúde do nosso coração.

Segundo o especialista, o estilo de vida é um fator de risco subvalorizado para doenças cardiovasculares. “Este estudo enfatiza os fatores que têm impacto sobre problemas cardíacos e mostra a necessidade de se tomar medidas preventivas”, esclarece.

Os cientistas analisaram dois fatores: o pequeno-almoço e quanto tempo investimos a ver televisão. Esta investigação grega analisou 2.000 adultos da região de Corinto, com idades compreendidas entre os 40 e os 99 anos, com uma idade média de 63. Entre os participantes estavam pessoas saudáveis, outros com risco de doença cardiovascular e alguns com doenças já diagnosticadas.

Os participantes responderam a vários questionários detalhados sobre os seus hábitos alimentares a atividade física e foram submetidos a dois testes não invasivos de forma a avaliar o estado das suas artérias e o risco de aterosclerose e acidente vascular cerebral (AVC).

No que diz respeito ao pequeno almoço, os participantes foram divididos em três grupos, de acordo com a quantidade de energia calórica diária obtida na primeira refeição do dia: alta energia (quando o pequeno-almoço forneceu mais de 20% das calorias diárias); baixa energia (entre 5 e 20% das calorias diárias) e ausência de pequeno-almoço (quando os participantes não tomaram a refeição ou quando forneceu menos de 5% das calorias diárias).

O EurekAlert adianta que 200 participantes ingeriram um pequeno-almoço de alta energia; quase 900 comeram um pequeno-almoço de baixa energia e 680 saltaram esta refeição.

Os cientistas descobriram que aqueles que comem um “forte” pequeno-almoço tentem a ter as artérias significativamente mais saudáveis do que aqueles que tomam um pequeno-almoço mais leve e aqueles que não o tomam de todo.

Tsalamandris aponta que “um pequeno-almoço completo e energético deve ser parte de um estilo de vida saudável” e que esta refeição supõe mais de 20% da ingestão calórica diária. O pequeno-almoço pode ter uma importância semelhante – ou até maior – do que seguir uma dieta mediterrânea, uma dieta com pouca gordura ou outro tipo de dieta.

Um pequeno-almoço energético é a maior arma

A investigação mostrou que a circulação arterial foi anormal em 15% daqueles que saltaram o café da manhã; 9,5% daqueles que comeram um pequeno-almoço de baixa energia e 8,7% daqueles que tomaram um pequeno-almoço rico em energia.

Além disso, os cientistas encontraram mais placas nas artérias carótidas de 28% das pessoas que não tomaram pequeno-almoço; 26% das pessoas que tomaram mas com menos calorias e 18% das que tomaram o pequeno-almoço mais energético.

O estudo mostra assim a associação direta entre um pequeno-almoço reforçado e uma melhor saúde cardiovascular. Este estudo não se sustenta nas causas, no entanto, estudos anteriores oferecem duas explicações plausíveis.

A primeira é que as pessoas que tomam um bom pequeno-almoço tendem a ter estilos de vida saudáveis. A segunda baseia-se nos benefícios para o coração provenientes dos ingredientes específicos deste tipo de pequeno-almoço – nomeadamente os lacticínios.

Desligue a televisão

A segunda parte da investigação concentrou-se em analisar o tempo que os participantes passavam sentados semanalmente em frente à televisão.

A equipa descobriu que aqueles que passavam mais tempo em frente à televisão – mais de 21 horas semanais – têm quase o dobro do risco de sofrer problemas cardiovasculares do que aqueles que passaram menos de sete horas por semana em frente ao aparelho.

Segundo Tsalamandris, a mensagem é clara: “Desligue a televisão e saia do sofá“, rejeitando assim um estilo de vida mais sedentário que irá prejudicar a saúde do seu coração. Mesmo atividades que envolvem um baixo gasto de energia, como sair com amigos ou fazer tarefas domésticas, podem ter um grande benefício para a sua saúde, alerta o investigador.

As doenças cardiovasculares são a principal causa de morte no mundo ocidental e, em grande medida, são evitáveis. Neste estudo recente, encontramos duas chaves muitos simples que devem ser convertidas em hábitos se quiser manter a saúde do seu coração: tome um bom pequeno-almoço e diga sim a uma vida mais ativa.

LM, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

"Lavar as mãos". Vídeo da DGS é o mais popular do ano no YouTube

2020 foi um ano atípico em vários aspetos do quotidiano, obrigando à introdução de novas rotinas e ao reforço de outras por muitos já descuradas. Reflexo dessa disrupção é o ranking anual do YouTube, divulgado esta …

Drenthe falido: "Não é muito importante"

Antigo futebolista do Real Madrid não está preocupado com a declaração feita por um tribunal dos Países Baixos. Drenthe joga numa equipa da terceira divisão nacional. Royston Ricky Drenthe foi, enquanto adolescente, considerado um dos melhores …

Sonda espacial chinesa conclui recolha de amostras da superfície lunar

A sonda chinesa Chang'e 5 concluiu a recolha e armazenamento de rochas e detritos da superfície lunar, e prepara-se para voltar à Terra, informou esta quinta-feira a Administração Espacial Nacional da China. "Às 22 horas de …

Seca obriga Namíbia a por à venda 170 elefantes

A Namíbia, que se encontra em risco de seca, pôs à venda 170 elefantes vivos para reduzir o seu número no território, em parte devido ao crescente conflito entre humanos e animais desta espécie ameaçada …

Benfica 4 - 0 Lech Poznań | “Saco cheio” rumo ao apuramento

Um, dois, três e quatro. Foram estes os golos – apontados por Vertonghen, Darwin Núñez, Pizzi e Weigl – que o Benfica marcou na goleada que aplicou na noite desta quinta-feira ao Lech Poznań, num …

Cientistas encontram evidências de uso de drogas psicadélicas numa caverna com arte rupestre

Uma flor vermelha redemoinhada rabiscada numa parede de uma caverna há cerca de 400 anos é a primeira evidência definitiva de que os nativos norte-americanos consumiam drogas psicadélicas em locais de arte rupestre. Descoberta na caverna …

Musk queria batizar a sua tequila de "Teslaquila", mas o México disse que não

O multimilionário Elon Musk, CEO da Tesla e da Space X, quis batizar a sua tequila de "Teslaquila", mas as autoridades mexicanas impediram a utilização do nome, invocando os direitos do uso da palavra e …

Namíbia acaba de eleger um deputado chamado Adolf Hitler. É ativista e "anti-apartheid"

A Namíbia acaba de eleger nas eleições regionais um deputado chamado Adolf Hitler, um conhecido ativista e "anti-apartheid" em Uunona, a sua cidade natal, localizada no norte do país africano. "Adolf Hitler teve uma vitória …

Empresário de media pró-democracia preso por acusação de fraude em Hong Kong

O dono do jornal antigoverno Apple Daily, Jimmy Lai, conhecido pela luta pela democracia em Hong Kong, foi detido sem fiança, acusado de irregularidades no contrato de 'leasing' do edifício onde está o órgão de …

Novos drones de resgate usam Inteligência Artificial para encontrar pessoas perdidas na floresta

Em situações em que as pessoas se perdem na floresta, o tempo é essencial para resgatá-las, pois quanto mais tempo ficam perdidas mais perigosa a situação se torna. Mas será que existem todas as ferramentas …