PS defende que “Portugal não falhou”, PSD diz que Governo “andou atrás do prejuízo”

António Cotrim / Lusa

O debate do relatório sobre o estado de emergência foi hoje aproveitado por vários partidos para fazer um balanço deste regime, que termina sexta-feira, com o PS a defender que “Portugal não falhou” e o PSD a criticar o Governo.

“Muitos alertaram que Portugal iria falhar, mas Portugal não falhou neste combate e os portugueses não falharam: protegemos a saúde e os rendimentos”, defendeu o deputado socialista André Pinotes Batista.

O deputado socialista apelidou de “vampiros da liberdade” os que acicataram “o medo”, mas considerou que a Assembleia da República “no seu todo”, o Governo, o primeiro-ministro e o Presidente da República souberam ser “elementos de coesão”.

“Ainda estamos muito longe do fim, quero deixar um apelo à serenidade, para que vejam neste desconfinamento a celebração do seu contributo individual e não um momento de abertura. Mas, no fim, será certamente a democracia que irá triunfar”, afirmou.

Pelo PSD, o deputado António Cunha elogiou o “respeito dos portugueses” pelas medidas impostas, mas apontou atrasos ao Governo no início da testagem massiva e na chegada dos apoios a empresas e famílias.

“Agora, em vez de estado de emergência, devemos estar todos em estado de alerta. Importa que o Governo não só anuncie, mas faça. O Governo, que devia ter sido capaz de nos colocar à frente do vírus, andou sempre atrás do prejuízo”, lamentou.

No debate do relatório sobre a aplicação do estado de emergência entre de 17 a 31 de março, o deputado do BE Moisés Ferreira considerou que o mais relevante “é o facto de não existir o debate a seguir, da renovação” desse regime legal”.

“O fim do estado de emergência não é nem pode ser o fim das respostas e políticas públicas”, defendem, pedindo que se aproveite o momento de “relativa acalmia no Serviço Nacional de Saúde” para fazer a recuperação da atividade suspensa.

Na mesma linha, o líder parlamentar do PCP, João Oliveira, pôs a tónica, do lado da saúde, na vacinação, testagem e rastreio e, noutra vertente, nos apoios sociais.

“Os impactos para milhares e milhares de trabalhadores e pequenas e médias empresas é hoje um problema de fundo da situação nacional que tem de ser considerado”, defendeu, alertando que o Governo tem de travar “aproveitamentos da epidemia” para impor processos de despedimentos coletivo e fragilização das relações laborais.

Pelo CDS-PP, Ana Rita Bessa questionou o Governo se não seria possível “recorrer a farmácias ou aos privados” para a vacinação, não desviando recursos necessários nos cuidados primários.

Bebiana Cunha, do PAN, anteviu “tempos melhores” com o fim do estado de emergência, mas alertou que “os passos têm de ser conscientes” e o Governo de “apoiar mais os concelhos que se encontrem em piores situações”.

“Não pode haver nas políticas de saúde o que se está a passar em alguns locais com o pedido de devolução de horas extraordinárias”, frisou.

Mariana Silva, dos Verdes, lamentou que o relatório em análise não diga “quantos negócios não reabriram, nem quantos trabalhadores ficaram sem emprego”.

O deputado único e presidente da Iniciativa Liberal, João Cotrim Figueiredo, aproveitou o fim anunciado do estado de emergência para questionar a legalidade de algumas medidas no futuro.

“Que sentido faz manter medidas como teletrabalho obrigatório, limitação arbitrária de horários no comércio e restauração, a obrigatoriedade de máscaras em espaços amplos ou proibição de reabertura de espaços fechados há quase um ano, como bares e discotecas?”, questionou.

Já o deputado único André Ventura acusou o Governo de ter “afundado o país” com medidas como o encerramento do comércio e restauração às 13:00 ao fim de semana, e desafiou o executivo a dizer se será Espanha a decidir quando reabrem as fronteiras com Portugal, pergunta que ficou sem resposta.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

As discotecas vão reabrir a 1 de Outubro - mas 70% devem ir à falência até à Primavera

Apesar da reabertura dos espaços de diversão nocturna estar para breve, as associações que representam o sector queixam-se das burocracias e da falta de apoios e acreditam que muitas discotecas não vão voltar a abrir …

Candidato de Vila do Conde acusado de oferecer 50€ no supermercado por um voto no domingo

O candidato à Junta de Freguesia de Macieira da Maia, Filipe Santos, terá oferecido 100 euros a um casal idoso para votar no movimento independente, mas com uma condição: fotografar o boletim de voto com …

Terapia para bebés pode reduzir a probabilidade de diagnóstico de autismo

Um novo estudo sugere que terapia personalizada pode ajudar algumas crianças a desenvolver competências sociais antes da idade escolar, evitando assim o diagnóstico de autismo. Uma equipa de médicos internacional demonstrou que uma nova terapia dirigida …

PS admite perder entre 10 e 15 Câmaras Municipais nas autárquicas

A direcção socialista espera também segurar Almada e Coimbra e vencer em Viseu e em Portalegre, duas câmaras historicamente do PSD. Segundo avança o Público, a direcção do Partido Socialista já está a contar perder entre …

Lula ganharia as eleições presidenciais brasileiras à primeira volta

O ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva ganharia as eleições presidenciais na primeira volta se as eleições, marcadas para outubro de 2022, fossem realizadas hoje, de acordo com uma sondagem de opinião divulgada na …

Conselho de Ministros de hoje vai trazer de volta "antigo normal". Restauração abandona certificado

Governo vai reunir no dia de hoje para decidir quais os moldes em que avança a última fase do processo de desconfinamento. Regras só deverão entrar em vigor a partir de 1 de outubro. Após vários …

O que causou um enorme buraco na camada do ozono em 2020? A ciência já pode ter resposta

O grande buraco que se abriu na camada do ozono no ano passado pode ter sido desencadeado por temperaturas recordes, durante o inverno, no oceano Pacífico Norte, indicam novas análises. O enorme buraco, que se formou …

Rio diz que Governo “procura influenciar voto" com “notícia positiva” pré-eleições

O presidente do PSD defendeu que o Governo “se esforçou” por, em cima das autárquicas, dar uma notícia positiva aos portugueses sobre a pandemia, considerando que deveria tê-lo feito há mais tempo ou então só …

Um habitat demasiado perfeito pode ser pior para o acasalamento dos pandas

Apesar de serem necessários habitats para a sobrevivência dos pandas gigantes, estes animais têm uma maior tendência para reproduzir se não houver abundância de recursos. Este ano, as autoridades chinesas disseram que os pandas gigantes deixaram …

Computador quântico ajuda a criar um computador quântico melhor

Um computador quântico foi usado para projetar um qubit aprimorado que poderá alimentar a próxima geração de computadores quânticos mais pequenos, de alto desempenho e mais confiáveis. Da mesma forma que um bit binário é a …