PSD chumba coligação pré-eleitoral com o CDS e vai concorrer sozinho nas legislativas

Manuel de Almeida / Lusa

O presidente do CDS-PP, Francisco Rodrigues dos Santos e o presidente do PSD, Rui Rio

O PSD vai a votos sozinho nas legislativas depois da Comissão Política ter chumbado a proposta de coligação com o CDS. Rui Rio não se pronunciou sobre a decisão.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Ainda antes das directas, Rui Rio já tinha iniciado a discussão sobre uma eventual coligação o CDS antes das legislativas. Na altura, a maioria dos membros da direcção manifestou-se contra.

Depois da vitória de Rio contra Rangel, a questão voltou ao debate e o líder do PSD deu várias entrevistas onde namoriscava com o velho aliado eleitoral. No entanto, a Comissão Política Nacional do PSD, que está hoje reunida em Évora, chumbou a proposta de coligação, tendo apenas três votos a favor.

Segundo avança o Observador, com este chumbo, a proposta nem vai chegar ao Conselho Nacional que também se reúne este noite. Rui Rio não se pronunciou sobre a decisão.

Já aquando da primeira abordagem do líder sobre uma possível coligação com os centristas, os vice-presidentes Nuno Morais Sarmento, David Justino e André Coelho Lima tinham-se manifestado contra a ideia.

Recorde-se que Paulo Rangel já tinha descartado uma aliança com o CDS antes das eleições, mas Rui Rio nunca tinha fechado a porta à possibilidade.

A última vez que os dois partidos se coligaram foi nas legislativas de 2015, sob o nome PàF (Portugal à Frente), numa proposta de continuidade do governo de Pedro Passos Coelho.

A coligação foi força mais votada nas eleições, mas não conseguiu votos suficientes para ter maioria no parlamento, o que deu origem à “geringonça”, quando o segundo partido mais votado, o PS de António Costa, formou governo com o apoio do PCP, dos Verdes e do Bloco de Esquerda.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.