/

A sua próxima mota pode ter um motor feito com madeira

A japonesa Yamaha vai usar uma resina extraída de madeira para produzir os plásticos usados na fabricação dos seus motores.

Mesmo que seja um leigo em mecânica, quando pensa num motor, imagina algo pesado e resistente, feito de ferro e aço. Será difícil imaginar um motor, de qualquer tipo de veículo, feito com o que quer que seja relacionado com madeira.

A realidade é que a Yamaha começa a substituir alguns dos componentes plásticos dos seus motores por outros feitos de uma resina extraída de madeira.

Esses componentes são mais leves e mais facilmente recicláveis ​​e podem dar origem a uma nova geração de motores para transporte mais eficientes e menos poluentes do que os atuais, escreve o El Confidencial.

O novo compósito chama-se CNF (Cellulose Nanofiber Resin Composite) e é feito através da combinação de fibras de madeira com resinas como o polipropileno. Além de ser 25% mais leve que as resinas atualmente usadas, é muito mais reciclável.

Normalmente, os motores são feitos com aço, ferro fundido, liga de alumínio, outras ligas não ferrosas, plásticos, borracha, vidro e outro materiais. Segundo as estatísticas, 10% dos motores são plásticos, que agora podem ser feitos de forma mais ecológica, através da resina extraída da madeira.

A ideia da fabricante japonesa é usar os novos componentes nos motores de motas de água a partir de 2024. Este será apenas o primeiro passo, já que a Yamaha também planeia usá-los nos motores dos seus motociclos e outros produtos.

O CNF não será usado para as partes mais importantes dos motores, mas será reservado para fazer carcaças plásticas, termostatos, bombas de água ou polias de motores, explica o El Confidencial.

A utilização de materiais alternativos como o CNF pode reduzir o peso total dos motores, tornando-os mais eficientes e aumentando a eficiência de combustível. Além disso, o seu método de produção reduz a emissão de gases com efeito de estufa e são facilmente recicláveis.

  Daniel Costa, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.