Cerca de 19 mil pessoas foram detidas em centros de prisão preventiva na Venezuela no primeiro semestre

Jeffrey Arguedas / EPA

Cerca de 19 mil pessoas foram detidas no primeiro semestre na Venezuela e colocadas em centros de prisão preventiva, cuja capacidade é de 3.734 detidos, informou na terça-feira a organização não-governamental (ONG) Janela à Liberdade (JAL).

Os dados foram anunciados pela porta-voz daquela ONG, Magaly Huggins, durante uma conferência de imprensa sobre os Direitos Humanos, em Caracas. Segundo a JAL, no primeiro semestre foram detidas naquelas circunstâncias 19.082 pessoas, noticiou o Expresso, citando a agência Lusa.

“A Venezuela é um país em alerta. No (primeiro) semestre o contexto foram os protestos políticos que tiveram uma resposta imediata do Governo, que foi violência e repressão. A sobrelotação nos centros aumentou porque os detidos nos protestos públicos eram levados de imediato” para estes espaços, afirmou Magaly Huggins.

A JAL esclareceu que os centros de prisão preventiva são espaços que não têm áreas especiais para mulheres, algumas das quais estão grávidas. “A iniciativa do pessoal (prisional) é que se separem as mulheres dos homens dentro dos calabouços policiais”.

Já Carlos Nieto, coordenador da JAL, precisou que no primeiro semestre de 2019 morreram 119 pessoas destes centros e outras 30 na prisão de Acarígua, onde são levados os condenados.

Apesar de a legislação venezuelana prever que a permanência dos detidos nos centros não possa exceder as 48 horas (período em que devem ser apresentados perante um juiz), existem presos que estão há sete anos naqueles recintos.

“Falamos de presos, muitos deles, de alta perigosidade, envolvidos em homicídios, sequestros ou roubos (alguns dos quais) fogem e voltam às ruas, provavelmente para atentar outra vez contra os cidadãos”, esclareceu Carlos Nieto.

Segundo este dirigente, alguns presos estão “a morrer de doenças como a tuberculose, e de fome” porque não existe orçamento para estes centros de prisão preventiva. “Dependem dos familiares, mas muitos presos não têm familiares”, frisou ainda o responsável da ONG.

Regime libertou 64 presos políticos nos últimos 20 dias

De acordo com a ONG Forum Penal Venezuelano (FPV), um total de 64 presos políticos foram libertados na Venezuela no espaço de 20 dias. Segundo o presidente da organização, Alfredo Romero, comparativamente a 09 de julho passado, o número de presos políticos caiu de 614 para 550, referiu o Expresso, citando a Lusa.

“São 550 os presos políticos na Venezuela, segundo listagem atualizada do Forum Penal”, disse, indicando que a listagem será enviada à Organização de Estados Americanos “para verificação e certificação”. Do total, 443 são civis e 107 militares, dividindo-se entre 498 homens e 52 mulheres. Dividem-se ainda em 538 adultos e 12 adolescentes.

Entre os presos políticos na Venezuela está o politólogo luso venezuelano Vasco da Costa, que na terça-feira foi impedido, por falta de transporte, de fazer uma Biomicroscopia Ultrassónica para determinar se há perigo de expansão de um tumor cancerígeno que lhe foi extraído recentemente do olho esquerdo, disse à Lusa a irmã, Ana Maria da Costa.

TP, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Investigação portuguesa descobriu 14 espécies marinhas com potencial para produção de antibióticos

Uma investigação conjunta da Universidade de Aveiro e da Universidade Católica descobriu 14 novas espécies e um género de fungos marinhos, com potencial para produção de antibióticos, revelou esta segunda-feira fonte académica. "Neste momento, estão a …

Impossíveis de cumprir. Directores preocupados com novas regras para as escolas

As orientações da Direcção Geral de Saúde (DGS) para as escolas com vista ao regresso das aulas presenciais, em Setembro, estão a preocupar os directores dos estabelecimentos de ensino. Isto porque as consideram impossíveis de …

Homicídios disparam na maioria das cidades norte-americanas durante a pandemia

O número de homicídios cometidos em solo norte-americano disparou na maioria das cidades do país na primeira metade de 2020, comparativamente com o mesmo período do ano passado, revela uma investigação do New York Times. …

Investigadores desenvolvem robô-cientista (e já descobriu um novo catalisador)

Uma equipa de cientistas da Universidade de Liverpool, no Reino Unido, construiu um robô-cientista móvel inteligente, que realiza experiências sem ajuda humana. O novo robô-cientista toma decisões sozinho e já descobriu um novo catalisador. Segundo a …

Sérgio Figueiredo deixa direção de informação da TVI

Sérgio Figueiredo saiu do cargo de diretor de informação da TVI, anuncia a estação de televisão em comunicado enviado às redações. A cessação de funções é efetiva a partir desta sexta (10) e põe fim a …

Dinamarca lança "passaporte covid-19"

O Governo da Dinamarca lançou o "passaporte covid-19", um documento que atesta que o portador do mesmo não teve um resultado positivo ao novo coronavírus recentemente. Deverá ser utilizado em viagens internas ou externas. De …

Mais oito mortes e 342 novos casos. Mais 305 pessoas dadas como recuperadas

Portugal regista este sábado mais oito mortes por covid-19 e mais 342 casos confirmados em relação a sexta-feira, segundo dados da Direção-Geral de Saúde. De acordo com o boletim epidemiológico diário da DGS, há 46.221 casos …

Ainda há esperança para os gorilas mais raros do mundo. Foram fotografados com crias

Os gorilas do rio Cross, os mais raros do mundo, foram fotografados na Nigéria com algumas crias, aumentando a esperança para esta espécie de primatas. A fotografias foram divulgadas por uma organização não-governamental nigeriana, a …

"Já sofreu muito". Trump comuta pena de prisão do seu amigo e antigo conselheiro Roger Stone

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, comutou a pena de prisão do seu amigo e antigo conselheiro Roger Stone, que foi condenado em fevereiro a 40 meses de prisão, anunciou sexta-feira a Casa Branca. Roger …

Armas, droga, sucata e prostituição financiam neonazis portugueses (mas lucros não vão todos para a causa)

Os grupos neonazis portugueses são "bastante desorganizados" e financiam-se com dinheiro obtido em negócios ilícitos, como o tráfico de armas, de droga e de mulheres para prostituição e a sucata. Mas os ganhos obtidos não …