Cerca de 19 mil pessoas foram detidas em centros de prisão preventiva na Venezuela no primeiro semestre

Jeffrey Arguedas / EPA

Cerca de 19 mil pessoas foram detidas no primeiro semestre na Venezuela e colocadas em centros de prisão preventiva, cuja capacidade é de 3.734 detidos, informou na terça-feira a organização não-governamental (ONG) Janela à Liberdade (JAL).

Os dados foram anunciados pela porta-voz daquela ONG, Magaly Huggins, durante uma conferência de imprensa sobre os Direitos Humanos, em Caracas. Segundo a JAL, no primeiro semestre foram detidas naquelas circunstâncias 19.082 pessoas, noticiou o Expresso, citando a agência Lusa.

“A Venezuela é um país em alerta. No (primeiro) semestre o contexto foram os protestos políticos que tiveram uma resposta imediata do Governo, que foi violência e repressão. A sobrelotação nos centros aumentou porque os detidos nos protestos públicos eram levados de imediato” para estes espaços, afirmou Magaly Huggins.

A JAL esclareceu que os centros de prisão preventiva são espaços que não têm áreas especiais para mulheres, algumas das quais estão grávidas. “A iniciativa do pessoal (prisional) é que se separem as mulheres dos homens dentro dos calabouços policiais”.

Já Carlos Nieto, coordenador da JAL, precisou que no primeiro semestre de 2019 morreram 119 pessoas destes centros e outras 30 na prisão de Acarígua, onde são levados os condenados.

Apesar de a legislação venezuelana prever que a permanência dos detidos nos centros não possa exceder as 48 horas (período em que devem ser apresentados perante um juiz), existem presos que estão há sete anos naqueles recintos.

“Falamos de presos, muitos deles, de alta perigosidade, envolvidos em homicídios, sequestros ou roubos (alguns dos quais) fogem e voltam às ruas, provavelmente para atentar outra vez contra os cidadãos”, esclareceu Carlos Nieto.

Segundo este dirigente, alguns presos estão “a morrer de doenças como a tuberculose, e de fome” porque não existe orçamento para estes centros de prisão preventiva. “Dependem dos familiares, mas muitos presos não têm familiares”, frisou ainda o responsável da ONG.

Regime libertou 64 presos políticos nos últimos 20 dias

De acordo com a ONG Forum Penal Venezuelano (FPV), um total de 64 presos políticos foram libertados na Venezuela no espaço de 20 dias. Segundo o presidente da organização, Alfredo Romero, comparativamente a 09 de julho passado, o número de presos políticos caiu de 614 para 550, referiu o Expresso, citando a Lusa.

“São 550 os presos políticos na Venezuela, segundo listagem atualizada do Forum Penal”, disse, indicando que a listagem será enviada à Organização de Estados Americanos “para verificação e certificação”. Do total, 443 são civis e 107 militares, dividindo-se entre 498 homens e 52 mulheres. Dividem-se ainda em 538 adultos e 12 adolescentes.

Entre os presos políticos na Venezuela está o politólogo luso venezuelano Vasco da Costa, que na terça-feira foi impedido, por falta de transporte, de fazer uma Biomicroscopia Ultrassónica para determinar se há perigo de expansão de um tumor cancerígeno que lhe foi extraído recentemente do olho esquerdo, disse à Lusa a irmã, Ana Maria da Costa.

TP, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Marcelo. O que os portugueses querem (e o que não querem)

No seu discurso de vitória após as eleições presidenciais deste domingo, Marcelo Rebelo de Sousa começou por recordar as vítimas da pandemia de Covid-19 em Portugal. "Deixem-me dizer, de coração aberto, como me sinto profundamente honrado …

Entre o "contributo singular" de João Ferreira e a "onda liberal" de Mayan, Marisa Matias assume derrota

Marisa Matias foi uma das grandes derrotadas da noite de eleições presidenciais, ficando-se pelo quinto lugar, atrás de João Ferreira, o candidato do PCP. Já Tiago Mayan Gonçalves ficou no sexto lugar, à frente de …

Ana Gomes aponta o dedo a Costa e à esquerda e diz que travou Ventura sozinha

Ana Gomes considera que a sua candidatura conseguiu travar "a progressão da extrema direita" quando os partidos de esquerda se preocuparam apenas com as suas "agendas políticas". No rescaldo da reeleição de Marcelo Rebelo de …

De diferentes cidades, mas com o mesmo nome. Quatro estranhos chamados Paul O'Sullivan formaram uma banda

A banda Paul O'Sullivan apresenta Paul O'Sullivan no baixo, guitarra, bateria e voz. Porém, não é uma banda de um homem só. Cada membro é um músico diferente com o mesmo nome: Paul O'Sullivan. "Uma noite, …

Ventura celebrou "noite histórica", demitiu-se do Chega e avisou o PSD

André Ventura começou por assinalar a "noite histórica" face aos resultados que obteve nas eleições presidenciais 2021. Mas como ficou em 3º lugar, atrás de Ana Gomes, anunciou a demissão do Chega. "Fiquei aquém dos 15% …

Região italiana da Lombardia esteve confinada durante uma semana por engano

A Lombardia, coração económico do norte de Itália, foi confinada e classificada como zona vermelha por engano durante uma semana, devido a estatísticas erradas sobre covid-19, e só ontem um decreto governamental retificou a situação. Devido …

Rio destaca "esmagamento da esquerda" e pede a Marcelo para ser "um bocadinho mais exigente"

"A marca mais forte" destas eleições presidenciais é "a derrota do PS". A análise é de Rui Rio, presidente do PSD, que fala do "esmagamento da esquerda" e da "vitória do candidato do centro", apelando …

Há uma nova explicação para o facto de bebés amamentados terem sistemas imunitários mais saudáveis

Um novo estudo realizado por investigadores da Universidade de Birmingham, no Reino Unido, descobriu que o leite materno promove o crescimento de importantes células imunitárias que ajudam a controlar eventuais inflamações. De acordo com o site …

PS diz que Marcelo deve vitória aos socialistas (e cobra-lhe apoio em tempos difíceis)

"A democracia venceu na primeira volta e o extremismo de direita foi derrotado". É desta forma que o presidente do PS, Carlos César, comenta os resultados das eleições presidenciais ganhas por Marcelo Rebelo de Sousa, …

"Liberdade para a Dinamarca". Novos incidentes em manifestação contra restrições

Uma manifestação contra as restrições impostas para conter a pandemia, organizada por um grupo radical, em Copenhaga, originou novos incidentes na noite de sábado e resultou em cinco detenções, relataram a polícia e os meios …