Primeiro-ministro demissionário libanês acolhido em França

Dalati Nohra / EPA

O primeiro-ministro do Líbano, Saad Hariri

O primeiro-ministro demissionário libanês, que chegou este sábado a Paris procedente da Arábia Saudita, vai regressar ao Líbano na próxima quarta-feira para participar na festa nacional, informou a Agência Nacional de Notícias.

Saad Hariri, que se demitiu no passado dia 4 a partir de Riade, na Arábia Saudita, mergulhando o Líbano numa crise política, informou o presidente da República, Michel Aoun, que estará presente na Festa da Independência, que se realiza na quarta-feira.

A ANN pormenorizou que Hariri quando chegou a Paris, acompanhado pela mulher e por um dos seus filhos, telefonou ao Presidente libanês, Michel Aoun, para o informar de que regressaria ao Líbano a partir de França.

Este foi o primeiro contacto, desde que se demitiu, entre Hariri e Aoun, que exigiu reiteradamente ao primeiro-ministro que regresse ao Líbano para apresentar a renúncia, que ainda não foi aceite pelo chefe de Estado.

Aoun acusou a Arábia Saudita de manter Hariri retido contra a sua vontade em Riade, afirmação que foi desmentida com a viagem do chefe de Governo a Paris, duas semanas depois de se ter demitido.

Hariri encontrou-se hoje na sua casa em Paris com o ministro do Interior libanês, Nuhad Machnuk, e com o seu conselheiro e chefe pessoal, Nader Hariri, que viajaram na noite passada para a capital francesa para se reunirem com o primeiro-ministro demissionário, informaram meios de comunicação libaneses.

Hoje também está previsto que o ex-primeiro-ministro se encontre no Palácio do Eliseu com o Presidente francês, Emmanuel Macron, que convidou Hariri e a sua família para se deslocarem a Paris para tentar acalmar a tensão entre a Arábia Saudita e o Líbano desencadeada pela estadia do primeiro-ministro em Riade.

Depois de uma conversa entre os dois dirigentes, deverá juntar-se ao almoço a família de Hariri, cuja chegada está prevista para as 12h30 (11h30 em Lisboa).

O convite feito a Hariri é amigável. Vou acolhê-lo com as honras que devem ser dadas a um primeiro-ministro, ainda que demissionário, porque essa demissão não foi reconhecida no seu país, uma vez que não regressou”, disse Macron na sexta-feira em Gutemburgo, no final da cimeira social europeia.

O encontro de hoje ocorre depois do convite de Macron a Hariri para viajar para a capital francesa e acabar com a sua permanência na Arábia Saudita, que tinha acentuado a crise política desencadeada em Beirute pela sua renúncia.

Hariri negou em várias ocasiões que estivesse retido contra a sua vontade e na sexta-feira destacou no Twitter que a sua presença naquele país tinha como objetivo “fazer consultas sobre o futuro da situação no Líbano e a sua relação com o mundo árabe”.

Na altura da sua demissão, o primeiro-ministro libanês acusou o movimento xiita Hezbollah e o seu aliado iraniano de “controlo” sobre o Líbano e afirmando recear ser assassinado.

Hariri afirmou que o Líbano vive uma situação semelhante àquela que existia em 2005 antes do assassinato do seu pai, Rafik Hariri, que foi primeiro-ministro por duas vezes. Quatro membros do Hezbollah foram relacionados com esta morte.

A demissão inesperada gerou receios de que o Líbano, um país profundamente dividido entre um campo liderado por Hariri e por outro dirigido pelo Hezbollah, possa mergulhar novamente na violência.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Quatro pessoas morreram nos Estados Unidos depois de beberem desinfetante para as mãos

Quatro pessoas morreram nos Estados Unidos depois de ingerirem desinfetante para as mãos à base de álcool, revelou um relatório do Centros de Controlo e Prevenção de Doenças (CDC) do país esta quarta-feira publicado. De …

Jim Hackett deixa a Ford após três anos de liderança

Ao fim de três anos como CEO da Ford, Jim Hackett será substituído por Jim Farley. Um mandato que fica marcado por problemas financeiros, de produção e pela morte dos três volumes e utilitários. O mandato …

Covid-19: Portugal tem mais 186 casos e quatro pessoas morreram desde sexta-feira

Portugal regista hoje mais quatro mortos e 186 novos casos de infeção por covid-19 em relação a sexta-feira, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde. De acordo com o relatório da DGS sobre a situação …

Versão americana da Eurovisão chega em 2021

O Festival Eurovisão da Canção — o maior espetáculo de entretenimento televisivo do mundo — vai chegar aos Estados Unidos no final do próximo ano. A novidade foi divulgada, esta sexta-feira (7), em comunicado oficial. A …

Contratações na TVI após apoios financeiros "suscitam preocupação"

O professor universitário e ex-ministro Miguel Poiares Maduro manifestou "preocupação" relativamente às contratações na TVI, da Media Capital, grupo que beneficia do apoio do Estado, através da compra antecipada de publicidade institucional. Em entrevista à Lusa, …

Invocando Sá Carneiro, Miguel Albuquerque também defende diálogo entre PSD e Chega

O Presidente do Governo Regional da Madeira, Miguel Albuquerque, defendeu que o PSD deve dialogar com vários partidos, incluindo o Chega de André Ventura. Depois de Rui Rio admitir em entrevista à RTP que poderá vir …

Sobe para 18 o número de mortos no acidente de avião na Índia

As autoridades indianas atualizara para 18 o número de mortes no acidente com o avião da Air India Express, que voava do Dubai para Kozhikode, no sul da Índia, e que se partiu em dois …

Luz verde para reabertura de centros de dia. DGS sugere dois metros de distância entre idosos

Os centros de dia vão poder reabrir a partir de 15 de agosto, mas de forma faseada e condicionados a uma avaliação prévia da Segurança Social e entidade de saúde local sempre que funcionem juntamente …

Vacina russa para a covid-19 preocupa cientistas. País pode estar a saltar etapas

Países de todo o mundo continuam na corrida por uma vacina contra a covid-19. A Rússia diz estar prestes a anunciar a vacina, deixando preocupada a comunidade científica, ao passo que Itália avança para os …

Bastonário dos Médicos sugere uso obrigatório de máscara na rua (e em todo o país)

O bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães, sugere que o Governo pondere decretar o uso obrigatório de máscara no espaços exteriores de todo o país, à semelhança do que fez a Região Autónoma da …