Descoberta a primeira fuga de metano no fundo do mar da Antártida (e está a escapar para a atmosfera)

Pela primeira vez, os cientistas detetaram uma fuga ativa de metano, um gás de efeito de estufa com um potencial de aquecimento climático 25 vezes maior do que o dióxido de carbono, no fundo do mar da Antártida.

Embora fugas de metano submarinas tenham sido detetadas em todo o mundo anteriormente, os micróbios ajudavam a manter a fuga sob controlo, devorando o gás antes que conseguisse escapar para a atmosfera. Porém, esta fuga na Antártida não parece ser o caso.

Os cientistas descobriram que os micróbios que consomem metano demoraram aproximadamente cinco anos para responder à fuga na Antártida e, mesmo assim, não consumiram o gás completamente.

De acordo com Andrew Thurber, ecologista marinho da Universidade Estadual do Oregon, a fuga subaquática quase certamente fez com que o metano penetrasse na atmosfera nesses cinco anos – um fenómeno que os modelos climáticos atuais não têm em conta ao prever a extensão do aquecimento atmosférico futuro.

“O atraso [no consumo de metano] é a descoberta mais importante”, disse Thurber, em declarações ao jornal britânico The Guardian. “Não são boas notícias.”

O metano é um subproduto de matéria antiga em decomposição, enterrada no fundo do mar ou presa no permafrost polar. A mudança climática já está a fazer com que parte do permafrost derreta, libertando lentamente os vastos stocks de gases de efeito de estufa no subsolo. No entanto, os impactos das fugas subaquáticas de metano ainda são pouco estudados, especialmente na inóspita Antártida, porque são difíceis de encontrar.

De acordo com um comunicado, a fuga recente, localizada a cerca de 10 metros abaixo do mar de Ross, perto da plataforma de gelo Ross – foi descoberta por acaso quando mergulhadores civis nadavam em 2011.

Quando Thurber e os colegas visitaram o local no final do ano, o fundo do mar mostrava sinais reveladores de uma fuga de metano: “mantas” brancas de microrganismos que existem numa relação simbiótica com micróbios consumidores de metano numa linha de mais de 20 metros de comprimento ao longo do fundo do mar.

Andrew Thurber / Oregon State University

“Mantas” microbianas brancos podem indicar presença de metano

Uma análise de sedimentos confirmou que o metano estava a escapar do fundo do mar. Quando a equipa voltou ao local, cinco anos depois, apareceram mais micróbios, mas o metano continuou a fluir.

Para Thurber, a descoberta é “incrivelmente preocupante”, já que a maioria dos modelos climáticos conta com bactérias que comem metano para remover esta ameaça subaquática quase imediatamente. Esta resposta microbiana lenta, juntamente com a profundidade rasa da fuga, sugere que quantidades significativas de metano estão a fugir para a atmosfera acima do mar de Ross há anos.

O estudo foi publicado na semana passada na revista científica Proceedings of the Royal Society B.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Segunda fase da vacinação. Peritos propõem extensa lista de novas (e raras) doenças

A segunda fase de vacinação contra a covid-19 já arrancou em alguns centros de saúde. Os peritos estão a propor uma nova e extensa lista de doenças de maior risco que passam também a ser …

Dietas veganas são boas para o coração? A Ciência sugere que não

Não há evidências científicas que sustentem a alegação de que uma dieta vegetariana faz bem ao coração. No entanto, há outros benefícios neste tipo de alimentação. Cerca de meio milhão de britânicos são agora veganos, de …

Tribunal da Concorrência corta para metade coimas aplicadas ao Montepio

O Tribunal da Concorrência reduziu esta sexta-feira de mais de cinco milhões de euros para pouco mais de dois milhões de euros as coimas aplicadas ao Montepio e a sete antigos administradores pelo Banco de …

"Contornos de desumanidade". Utentes querem poder sair dos lares (e DGS garante que vai rever norma)

Depois de uma semana em que não se registaram nenhumas mortes em lares desde o início da pandemia, as instituições pediram ao Governo que se regresse a um regime mais facilitado de saída dos utentes. Apesar …

Governo admite aumentar quotas de avaliação, mas só em 2023. FESAP exige início de 2022

A revisão do sistema de avaliação dos funcionários públicos vai produzir efeitos em 2023 e deverá manter as quotas para a nota mais elevada, embora relacionadas com o desempenho dos serviços, anunciou esta sexta-feira o …

Vida marinha está a fugir do equador (e isso pode levar a uma extinção em massa)

As alterações climáticas causadas pelo homem estão a fazer com que a vida marinha esteja a fugir do equador em direção aos polos. Isto pode levar a um novo evento de extinção em massa. A água …

"Auditores não são polícias". PwC descarta responsabilidades no capital inicial do Novo Banco

A audição conjunta de dois responsáveis da PwC na comissão de inquérito ao Novo Banco começou esta sexta-feira à porta fechada devido a questões de segredo profissional, mas o banco autorizou-os a falar publicamente e …

Um raio cósmico extremamente poderoso "rasgou" a Via Láctea (e ninguém sabe de onde veio)

Um enorme complexo de telescópios no Tibete capturou a primeira evidência de raios gama de energia ultra-alta espalhados pela Via Láctea.  Desde 1990, dezenas de investigadores da China e do Japão caçaram raios gama cósmicos de …

Cientistas criam nova forma de desencriptar mensagens secretas

Uma equipa de engenheiros chineses está a criar uma nova forma de transmitir mensagens secretas ou aceder a locais de acesso reservado através das nossas mãos. A equipa demonstrou como é que a radiação infravermelha (ou …

Arqueólogos descobrem uma "Pompeia egípcia". Estava escondida debaixo do deserto

Uma equipa de arqueólogos anunciou esta quinta-feira a descoberta de uma grande cidade faraónica antiga que permaneceu "invisível" durante séculos perto de alguns dos monumentos mais conhecidos do Egito. A cidade foi construída há mais de …