Presidente turco acusa Merkel de usar “medidas nazis”

Tolga Bozoglu / EPA

O presidente da Turquia, Recep Erdogan

O presidente da Turquia, Recep Erdogan

O presidente da Turquia, Recep Erdogan, acusou este domingo a chanceler alemã de usar “medidas nazis”, depois de Berlim impedir que ministros turcos fizessem campanha no país para o referendo sobre o reforço dos poderes do líder turco.

“Quando lhes chamamos nazis, eles [europeus] ficam desconfortáveis. Reúnem-se em solidariedade. Especialmente, Merkel”, afirmou Erdogan num discurso televisivo, citado pela agência de notícias francesa AFP.

Mas tu estás a usar medidas nazis“, disse o presidente turco dirigindo-se a Angela Merkel.

“Contra quem? Contra os meus irmãos turcos que são cidadãos na Alemanha e os meus irmãos ministros” que se deslocaram à Alemanha com a intenção de organizar comícios de campanha para o voto no ‘sim’ no referendo que se vai realizar na Turquia a 16 de abril.

Segundo Erdogan, a crise nas relações com a Europa nos últimos dias “mostram que se abriu uma nova página na luta” que os países europeus estão a fazer contra a Turquia.

O líder turco acusou ainda a Europa de estar a proteger grupos terroristas fora da lei, numa referência à manifestação que decorreu no sábado em Frankfurt e juntou cerca de 30 mil curdos, que empunhavam cartazes e bandeiras alusivos ao Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK).

Por seu turno, a Alemanha está indignada com as acusações que enfrenta o jornalista turco-alemão Deniz Yucel, correspondente na Turquia do jornal alemão Die Welt.

Erdogan descreveu Yucel, cuja prisão causou preocupação a nível global, como um “agente terrorista” e “suposto jornalista”, acusando a Alemanha de abrigá-lo durante um mês no seu consulado de Istambul antes de ir à polícia para interrogatório.

Alemanha considera que presidente turco foi longe demais

O ministro alemão dos Negócios Estrangeiros, Sigmar Gabriel, citado pela Agência France Presse, considerou as declarações de Erdogan “chocantes”.

“Somos tolerantes mas não somos estúpidos. Por isso, fiz saber ao meu homólogo turco que foi ultrapassado um limite”, disse, em declarações ao jornal Passauer Neue Presse.

A vice-presidente da CDU, partido de Angela Merkel, também reagiu às declarações. “Terá o senhor Erdogan perdido o juízo“, questionou, dizendo aos jornalistas que incitava a União Europeia a congelar “a ajuda financeira de milhares de milhões de euros” à Turquia.

// Lusa

1 COMENTÁRIO

  1. Este Erdogan, é outro perigo…
    Está a utilizar esta campanha de vitimização a favor dos seus objetivos e obter mais poder presidencial.
    É uma pessoa que não interessa a ninguém.
    Os países europeus têm todo o direito de recusar que se faça campanha pelo populismo junto das suas populações.
    Está muito na moda o estilo decadente de Trump. É preciso ter muito cuidado com esta gentalha.

RESPONDER

FMI admite: Troika não protegeu os pobres (e a culpa foi do Governo)

O organismo de avaliação independente do FMI concluiu que as medidas aplicadas pela 'troika' em Portugal nem sempre protegeram as pessoas com menos rendimentos, apontando que a primeira preocupação do Fundo era a redução dos …

Bebidas dietéticas podem levar ao aumento de peso

Uma vez anunciados como substitutos do açúcar, os adoçantes artificiais como a sucralose e o aspartame foram bem recebidos pelo público - até há pouco tempo. Recentemente, os investigadores começaram a olhar com crescente suspeita para …

Pedrógão: PGR não explica segredo de justiça, Governo optou por não levantar

Uma empresária de Lisboa fez, por conta própria, um levantamento do número de mortos vítimas do incêndio. No final, chegou ao número 73 que contrasta com os 64 oficiais avançados pelas autoridades. Dúvidas instaladas, pede-se …

China diz à Índia para retirar tropas e não abusar da sorte

A China avisou a Índia para não subestimar a sua determinação em salvaguardar o que considera território seu, numa altura de renovada tensão entre os dois países vizinhos, em torno de uma área disputada nos …

Revolta de pais com problemas nas matrículas obrigou à intervenção da polícia

Um protesto de pais contra as alegadas irregularidades nas matrículas na Escola Secundária Pedro Nunes, em Lisboa, por causa de supostas moradas falsas, obrigou a polícia a intervir para acalmar os ânimos. O relato do caso …

Operadoras de telecomunicações obrigadas a baixar preços ou a aceitar rescisões

A Autoridade Nacional de Comunicações (ANACOM) anunciou "medidas correctivas" às operadoras de telecomunicações Meo, Nos, Nowo e Vodafone, no sentido de baixarem preços aos consumidores ou de permitirem a rescisão de contratos sem custos adicionais. Segundo …

Israel substitui detetores de metais por videovigilância na Esplanada das Mesquitas

As forças de segurança israelitas estão a remover os detetores de metais instalados à entrada da mesquita de Al-Aqsa, em Jerusalém Oriental ocupada, noticia a Al Jazeera, que cita o diretor da mesquita. Israel começou a …

Afinal, Cristiano Ronaldo vai continuar no Real Madrid

O internacional português garantiu que vai continuar no Real Madrid, acabando com os rumores que diziam que iria sair do clube por estar insatisfeito com a forma como o Fisco espanhol o tem tratado. Em declarações …

Homem armado com faca ataca posto de fronteiriço espanhol de Melilla

O atacante, que estava armado com uma faca, atacou o posto fronteiriço a gritar "Alá é Grande". Provocou ferimentos ligeiros num polícia e acabou por ser detido. Um homem munido de uma faca atacou o posto …

Investigação desmente Governo e confirma queda de helicóptero no incêndio de Alijó

O Ministério da Administração Interna tinha negado a tese de queda de um helicóptero no combate a um incêndio em Alijó, mas o relatório que investigou o caso desmente o Governo e confirma o acidente, …