O fim do mistério? Presidente do Comité Olímpico fez videochamada com Peng Shuai. Organizações internacionais dizem que é insuficiente

WTA / Twitter

A tenista chinesa de 35 anos, Peng Shuai.

A tenista chinesa de 35 anos, Peng Shuai.

Associação internacional de ténis feminino não está satisfeita com as imagens divulgadas pelo Comité Olímpico Internacional, organismo que acusam de estar envolvido numa “jogada publicitária”.

Depois de semanas dada como desaparecida e com inúmeras imagens divulgadas por parte dos meios de comunicação para comprovar que estava bem de saúde — apesar das dúvidas subsistirem —, o mistério do paradeiro de Peng Shuai (de 35 anos)nãpo, tenista chinesa que acusou Zhang Gaoli, um antigo vice primeiro-ministro chinês de violação, parece finalmente resolvido.

Ao longo do dia de domingo, Peng Shuai terá feito uma videochamada com o presidente do Comité Olímpico Internacional (Thomas Bach), com a líder da Comissão de Atletas (Emma Terho) e com Li Lingwei, membro do Comité Olímpico chinês. De acordo com o organismo, a conversa terá durado 30 minutos.

Numa comunicação emitida de seguida, pode ler-se que a tenista está “sã e salva, em Pequim, e quer que a sua privacidade respeitada”. “Ela prefere passar tempo com os seus amigos e família neste momento. Ainda assim, vai continuar envolvida no ténias, a modalidade que ela adora. Já Emma Terho, afirmou ter ficado “aliviada” por ver que Peng Shuai estava bem, a “principal preocupação” dos intervenientes da vídeochamada. “Parecia relaxada, e ofereci-lhe apoio”, declarou.

Bach convidou ainda a tenista para jantar em janeiro do próximo ano, quando visitará o país a caminho dos Jogos Olímpicos de Inverno, marcados para a capital chinesa.

Depois de uma onda de indignação internacional, incluindo das Nações Unidas e de algumas das maiores estrelas do ténis, os media estatais chineses lançaram alguns vídeos da tenista com o objetivo de mostrar que está tudo bem. Peng Shuai apareceu este domingo num torneio de ténis em Pequim, de acordo com fotografias oficiais do evento.

No entanto, as associações internacionais (tanto de desporto como de direitos humanos) reagiram negativamente ao anúncio do Comité Olímpico Internacional, o qual acusam de complacência com o regime chinês.

A Associação Feminina de Ténis (WTA‘s), por exemplo, ressalvou que apesar de ser “bom” ver Peng Shuai em vídeos recentes, estes “não aliviam ou respondem às preocupações relacionadas com o bem-estar e capacidade de comunicar sem censura ou coerção. “Este vídeo não muda o nosso apelo para uma investigação total, justa e transparente às alegações de abuso sexual, que é o assunto que levantou toda esta questão.”

A denúncia da atleta foi feita pelas redes sociais, com a publicação a ser eliminada logo de seguida — acredita-se, por membros do Partido Comunista Chinês. Desde então, os meios de comunicação social chineses também estão proibidos de se referirem ao caso.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE