Prédios de Hiroshima que sobreviveram à bomba atómica podem ser demolidos

Luca Sartoni / Flickr

O Antigo Centro de Exposição Comercial da Câmara de Hiroshima, localizado no Parque Memorial da Paz

A cidade japonesa de Hiroshima pretende demolir dois prédios que sobreviveram à bomba atómica de 1945, mas os moradores querem preservá-los e mantê-los como marcos históricos.

Os dois complexos, construídos em 1913, foram primeiramente utilizados como fábrica de uniformes militares e, depois, como acomodação para estudantes universitários. Serviu ainda como hospital de emergência após a bomba atómica atingir a cidade, noticiou a BBC.

Cerca de 80 mil pessoas foram mortas na sequência da bomba atómica e outras 35 mil ficaram feridas. Até 2018, 85 prédios construídos antes do ataque continuavam de pé, localizados a até cinco quilómetros do “marco zero” – o local onde a bomba caiu.

Os dois edifícios que podem agora ser derrubados sobreviveram à bomba porque foram feitos com concreto reforçado, com um exterior de tijolos vermelhos. Danos causados nas janelas de metal e nas portas ainda podem ser vistos.

Em 2017, as autoridades concluíram que esses prédios – hoje propriedade pública -, possivelmente cairiam ou sofreriam danos profundos em caso de forte terramoto. Como não são usados atualmente, e não estão abertos ao público, o governo local decidiu que devem ser demolidos até 2022.

Um terceiro prédio, no mesmo local, será preservado, e as suas paredes e teto serão restaurados e reforçados para resistir a terramotos, referiu a BBC.

No dia em que a bomba atómica atingiu Hiroshima, Iwao Nakanishi, agora com 89 anos, estava num dos prédios que devem ser demolidos. “Considerando a importância histórica de contar sobre essa tragédia às gerações futuras, não podemos aceitar a demolição”, disse ao jornal Mainichi, frisando que os mesmos devem ser usados para promover a “abolição de armas nucleares”.

A ruína mais famosa da cidade é a do Antigo Centro de Exposição Comercial da Câmara de Hiroshima, localizado no Parque Memorial da Paz, sendo considerado Património Mundial da UNESCO. O que restou do edifício passou por uma reforma para que se tornasse resistente a terramotos.

Hiroshima e Nagasaki

Durante a 2.ª Guerra Mundial, depois de os alemães se terem rendido, em maio de 1945, o Japão rejeitou um ultimato pela paz e continuou a guerra na Ásia. Os Estados Unidos atiraram então duas bombas nucleares, uma em Hiroshima e outra em Nagasaki, para forçar o país a render-se, sem por em risco a vida de soldados americanos.

A primeira bomba, lançada em Hiroshima a 06 de agosto, matou cerca de 140 mil pessoas – 80 mil morreram imediatamente ou nos dias que se seguiram e outras 60 mil devido a doenças provocadas pela radiação.

Esta foi a primeira vez que uma arma nuclear foi usada numa guerra. Quando uma rendição imediata não surgiu por parte do Japão, as forças norte-americanas lançaram uma segunda bomba, três dias depois, sobre a cidade de Nagasaki, matando mais de 70 mil pessoas. O Japão rendeu-se seis dias depois.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Cientistas revertem a doença de Parkinson em ratos

Uma equipa de cientistas conseguiu reverter totalmente a doença de Parkinson em ratos. Os animais deixaram de apresentar sintomas e recuperaram neurónios. A doença de Parkinson resulta da redução dos níveis de uma substância que funciona …

Entrevista a Carlos Cueva, autor de estudo inédito sobre os jogos à porta fechada

Carlos Cueva, 34 anos e professor na Universidade de Alicante há seis anos. Estudou em Inglaterra, onde completou um doutoramento em Economia. O ensino e a investigação ocupam o seu tempo. É especialista em investigação …

Ministro da Saúde do Brasil infetado com covid-19

Eduardo Pazuello, ministro da Saúde brasileiro, está infetado. Também esta quarta-feira, o governante foi admoestado por Jair Bolsonaro, que negou haver intenção do Brasil comprar 46 milhões de doses de vacina chinesa. O ministro da Saúde …

PSD vai votar contra o OE2021. PS acusa Rio de abandonar defesa do "interesse nacional"

O secretário-geral adjunto socialista disse esta quarta-feira que não surpreende o voto contra do PSD à proposta de Orçamento do Estado para 2021 (OE2021), considerando, no entanto, que Rui Rio “deixou cair” o valor do …

As vacas preferem interagir cara a cara com as pessoas. Ficam mais relaxadas

Um novo estudo descobriu que as vacas preferem interagir com os seres humanos cara a cara e que ficam os animais ficam mais relaxados com este tipo de interação do que quando ouvem uma voz …

Marcelo promulga diploma que reduz debates europeus para dois por semestre

O Presidente da República promulgou o diploma aprovado por PS e PSD que reduz os debates europeus no parlamento para dois por semestre, depois de ter vetado uma primeira versão que previa apenas um por …

Poderia o gato de Schrödinger existir na vida real? A Ciência pode responder em breve

Poderia o gato de Schrödinger existir na vida real? Uma equipa de investigadores propõe uma experiência que pode resolver essa questão espinhosa de uma vez por todas. Já alguma vez esteve em mais de um sítio …

As montanhas geladas de Plutão são fruto de um processo único (e inverso ao da Terra)

As montanhas descobertas em Plutão durante o "flyby" da nave New Horizons pelo planeta anão em 2015 estão cobertas por um manto de metano gelado, criando depósitos brilhantes impressionantemente parecidos aos das cadeias de montanhas …

"DeepNude". Inteligência Artificial "tirou a roupa" a mulheres nas redes sociais

A empresa de informação Sensity alertou que mais de 100 mil imagens foram carregadas para um canal de Telegram onde um bot "tirou a roupa" de mulheres. A empresa de segurança Sensity revelou recentemente que existe …

Poluição atmosférica "custa" a cada citadino europeu 1.276 euros por ano

A poluição atmosférica "custa" 1.276 euros por ano a cada cidadão europeu residente em cidades, de acordo com um estudo da Aliança Europeia de Saúde Pública (EPHA) divulgado esta quarta-feira. O estudo chegou ao valor médio …