Povo do Paleolítico pode ter amputado os próprios dedos em forma de ritual

Na arte rupestre de todo o mundo, há um motivo em particular que aparece repetidamente: marcas das mãos das pessoas que visitaram as cavernas há muito tempo, impressas ou estampadas.

Ainda assim, em algumas cavernas decoradas pelos habitantes do Paleolítico de França e Espanha, algo curioso foi observado: parece que faltam dedos a um número muito alto destas mãos.

Durante muitos anos, esta peculiaridade tem sido objeto de intenso debate. Para os cientistas, parece que seria extremamente descuidado que tantos indivíduos perdessem tantos dedos acidentalmente.

Alguns arqueólogos argumentam que os artistas dobravam os dedos. Outros argumentam que as pessoas que habitavam aquelas regiões se envolviam numa prática comum: amputar os próprios dedos.

De acordo com um novo estudo, publicado a 21 de novembro no Journal of Paleolithic Archaeology, a amputação de dedos foi um comportamento comum em muitas regiões no passado.

“Os dados disponíveis parecem encaixar-se razoavelmente bem com a hipótese de que algumas pessoas do Paleolítico Superior se envolverem na amputação de dedos como um sacrifício religioso, disse Mark Collard, arqueólogo da Universidade Simon Fraser, no Canadá.

Existem várias evidências que a equipa de investigação recorre para as suas conclusões. Na Grotte de Gargas, em Hautes-Pyrénées, em França, foram registados 231 marcas de mão, feitos por cerca de 45 a 50 pessoas. Destes, 114 estão faltando um ou mais dedos.

Na Cosquer Cave, também em França, faltam 28 dedos em 49 mãos. Em Maltravieso, no oeste de Espanha, em 61 das 71 imagens da mão faltam dedos.

Há também evidências que sugerem que havia pessoas a quem faltavam dedos a fazer arte. Em Grotte de Gargas, o arqueólogo C. Barrière relatou em 1976, que há impressões de membros humanos encontrados em lama endurecida – alguns dos quais não têm dedos. Essas impressões têm a mesma idade que as marcas de mãos.

É possível que algumas pessoas no Paleolítico Superior tenham perdido dedos ou partes de dedos acidentalmente, por exemplo, por congelamento. Mas muitas das marcas de mão parecem ter falta de dedos – dois, três ou até quatro em alguns casos.

É aqui que a equipa traça uma linha diferente. Pesquisaram os Arquivos de Área de Relação Humana – um banco de dados de etnografias humanas globais – e encontraram 121 sociedades recentes em todo o mundo que praticam a amputação ritual do dedo, demonstrando que é uma prática real e difundida atualmente, ainda que esteja em processo de extinção.

“Fiquei chocado”, disse Collard. “Ainda continuamos a encontrar grupo após grupo que fez isto.”

As razões são variadas: foi praticado como uma expressão de extrema tristeza pela perda de um ente querido; como forma de identificação; como forma de marcar casamento; ou como uma forma de punição.

Pode também ser praticado como um ritual de sacrifício. Esta é a justificação que os investigadores  acreditam ser a explicação mais provável para o facto de as pessoas do Paleolítico Superior terem cortado os próprios dedos, oferecendo-os a uma divindade ou poder sobrenatural.

Isto poderá explicar a dinâmica de grupo, uma vez que os rituais religiosos mostraram fortalecer os laços interpessoais. Mas nem todo a gente está convencida.

“Nenhum dos casos etnográficos citados coincide com o padrão distinto visto nas marcas de mão da era do gelo – ou seja, um encurtamento sequencial do quinto, quarto e terceiro dedos, com o polegar poupado”, disse o arqueólogo Ian Gilligan, da Universidade de Sydney, que não participou na investigação. “Este padrão corresponde aos efeitos do congelamento. Corresponde à suscetibilidade diferente dos dedos ao congelamento”

Os arqueólogos da Universidade de Durham acreditam que a mutilação deliberada desta natureza seria equivalente ao suicídio – portanto, o ganho nas relações interpessoais não valeria o custo. Os investigadores sugerem que os dedos foram dobrados ou pintados por cima como uma forma de comunicação simbólica.

Mas nem a equipa de investigação afirma que a amputação é definitivamente o que ocorreu. “Embora o argumento para favorecer a hipótese da amputação não seja hermético, somos da opinião de que é forte o suficiente para garantir o tratamento da hipótese como se fosse correta para fins de investigação posterior”.

 

PARTILHAR

RESPONDER

Os animais começaram a fazer sons para poderem conversar no escuro

O reino animal está cheio de diferentes vocalizações. A produção sonora apareceu há entre 100 milhões e 200 milhões de anos e a sua origem está fortemente ligada à vida no escuro. Os vertebrados são animais …

O novo líder do CDS reclama uma nova direita (e quer um partido "sexy")

Francisco Rodrigues dos Santos sagrou-se este domingo o 10º presidente do CDS, reclamando no seu discurso de vitória a herança de todos os seus antecessores, desde o fundador, Freitas do Amaral, a Assunção Cristas. O tom …

Paços 0 - 2 Benfica | “Águia” não vacila e passa pressão

O Benfica foi a Paços de Ferreira vencer por 2-0, colocando pressão sobre o FC Porto, segundo classificado, que na próxima terça-feira recebe o Gil Vicente. A formação “encarnada” foi superior na maioria dos principais momentos …

Governo reabre processo para corrigir mapa das freguesias

O Governo reabriu o processo para a correção ao mapa de freguesias, num compromisso com as associações de municípios e de freguesias, anunciou o secretário de Estado da Descentralização e Administração Local, Jorge Botelho. “Iremos retomar …

Google cria modelo de cérebro mais detalhado (e com maior resolução) de sempre

A recriação 3D do cérebro de uma mosca da fruta - que mostra 20 milhões de sinapses e 25 mil neurónios - é a que tem a maior resolução até ao momento. Uma equipa de …

Morreu Kobe Bryant, uma das maiores estrelas de sempre da NBA

Kobe Bryant, um dos maiores basquetebolistas de sempre, morreu na manhã deste domingo em Calabasas, Califórnia, num desastre de helicóptero. De acordo com a TMZ, Bryant viajava com, pelo menos, três outras pessoas num helicóptero privado, …

Há seis queixas de violência policial por semana

Em Portugal, são apresentadas em média seis queixas semanais por violência policial, escreve o semanário Expresso na sua edição deste fim-de-semana, citando os dados mais recentes da Procuradoria-Geral da República. De acordo com os números, relativos …

CRISPR tornou galinhas resistentes a um vírus comum

A técnica de edição genética CRISPR tem sido usada para tornar as galinhas resistentes a um vírus comum, uma abordagem que poderia aumentar a produção de ovos e de carne em todo o mundo. Mesmo quando …

A Cybertruck de Musk poderá ser "incrivelmente barata" de produzir

A Cybertruck de Elon Musk, CEO da Tesla e da Space X, pode ser "incrivelmente barata" de produzir graças à sua inovadora tecnologia de carroçaria, afirmou um especialista em entrevista à Autoline Network. O engenheiro Sandy …

Novo estudo associa o burnout a uma consequência fatal

Uma nova investigação associa o burnout a um aumento de até 20% no risco de desenvolver fibrilhação auricular, a arritmia crónica mais frequente. O burnout é uma perturbação psicológica causada pelo stress excessivo devido a uma …