Povo do Paleolítico pode ter amputado os próprios dedos em forma de ritual

Na arte rupestre de todo o mundo, há um motivo em particular que aparece repetidamente: marcas das mãos das pessoas que visitaram as cavernas há muito tempo, impressas ou estampadas.

Ainda assim, em algumas cavernas decoradas pelos habitantes do Paleolítico de França e Espanha, algo curioso foi observado: parece que faltam dedos a um número muito alto destas mãos.

Durante muitos anos, esta peculiaridade tem sido objeto de intenso debate. Para os cientistas, parece que seria extremamente descuidado que tantos indivíduos perdessem tantos dedos acidentalmente.

Alguns arqueólogos argumentam que os artistas dobravam os dedos. Outros argumentam que as pessoas que habitavam aquelas regiões se envolviam numa prática comum: amputar os próprios dedos.

De acordo com um novo estudo, publicado a 21 de novembro no Journal of Paleolithic Archaeology, a amputação de dedos foi um comportamento comum em muitas regiões no passado.

“Os dados disponíveis parecem encaixar-se razoavelmente bem com a hipótese de que algumas pessoas do Paleolítico Superior se envolverem na amputação de dedos como um sacrifício religioso, disse Mark Collard, arqueólogo da Universidade Simon Fraser, no Canadá.

Existem várias evidências que a equipa de investigação recorre para as suas conclusões. Na Grotte de Gargas, em Hautes-Pyrénées, em França, foram registados 231 marcas de mão, feitos por cerca de 45 a 50 pessoas. Destes, 114 estão faltando um ou mais dedos.

Na Cosquer Cave, também em França, faltam 28 dedos em 49 mãos. Em Maltravieso, no oeste de Espanha, em 61 das 71 imagens da mão faltam dedos.

Há também evidências que sugerem que havia pessoas a quem faltavam dedos a fazer arte. Em Grotte de Gargas, o arqueólogo C. Barrière relatou em 1976, que há impressões de membros humanos encontrados em lama endurecida – alguns dos quais não têm dedos. Essas impressões têm a mesma idade que as marcas de mãos.

É possível que algumas pessoas no Paleolítico Superior tenham perdido dedos ou partes de dedos acidentalmente, por exemplo, por congelamento. Mas muitas das marcas de mão parecem ter falta de dedos – dois, três ou até quatro em alguns casos.

É aqui que a equipa traça uma linha diferente. Pesquisaram os Arquivos de Área de Relação Humana – um banco de dados de etnografias humanas globais – e encontraram 121 sociedades recentes em todo o mundo que praticam a amputação ritual do dedo, demonstrando que é uma prática real e difundida atualmente, ainda que esteja em processo de extinção.

“Fiquei chocado”, disse Collard. “Ainda continuamos a encontrar grupo após grupo que fez isto.”

As razões são variadas: foi praticado como uma expressão de extrema tristeza pela perda de um ente querido; como forma de identificação; como forma de marcar casamento; ou como uma forma de punição.

Pode também ser praticado como um ritual de sacrifício. Esta é a justificação que os investigadores  acreditam ser a explicação mais provável para o facto de as pessoas do Paleolítico Superior terem cortado os próprios dedos, oferecendo-os a uma divindade ou poder sobrenatural.

Isto poderá explicar a dinâmica de grupo, uma vez que os rituais religiosos mostraram fortalecer os laços interpessoais. Mas nem todo a gente está convencida.

“Nenhum dos casos etnográficos citados coincide com o padrão distinto visto nas marcas de mão da era do gelo – ou seja, um encurtamento sequencial do quinto, quarto e terceiro dedos, com o polegar poupado”, disse o arqueólogo Ian Gilligan, da Universidade de Sydney, que não participou na investigação. “Este padrão corresponde aos efeitos do congelamento. Corresponde à suscetibilidade diferente dos dedos ao congelamento”

Os arqueólogos da Universidade de Durham acreditam que a mutilação deliberada desta natureza seria equivalente ao suicídio – portanto, o ganho nas relações interpessoais não valeria o custo. Os investigadores sugerem que os dedos foram dobrados ou pintados por cima como uma forma de comunicação simbólica.

Mas nem a equipa de investigação afirma que a amputação é definitivamente o que ocorreu. “Embora o argumento para favorecer a hipótese da amputação não seja hermético, somos da opinião de que é forte o suficiente para garantir o tratamento da hipótese como se fosse correta para fins de investigação posterior”.

 

PARTILHAR

RESPONDER

Quase 40% dos americanos com dificuldades financeiras. Doar sangue é a sua maior receita

A economia dos Estados Unidos (EUA), considerada uma das maiores do mundo, permitiu avanços sociais e tecnológicos inestimáveis. Contudo, atualmente, cerca de 40% dos norte-americanos afirmam ter dificuldade em pagar por comida, por habitação, por …

"Políticos devem ser colocados contra a parede". Greta pede desculpa

A ativista do clima Greta Thunberg pediu desculpa por ter dito que os políticos devem ser colocados “contra a parede”, após diversas pessoas terem considerado que a jovem estava a defender a violência. A sueca de …

Carnaval belga retirado da lista de Património Imaterial da UNESCO após queixas de antissemitismo

As festas da cidade de Aalst, na Bélgica, foram retirada da lista do Património Imaterial da Humanidade, depois de a UNESCO ter sancionado a presença de carros carnavalescos contendo imagens antissemitas. O presidente da Câmara …

Conselho de Ministros aprova proposta de OE2020 (e foram quase 10 horas de reunião)

O Conselho de Ministros aprovou hoje a proposta de Orçamento do Estado para 2020, dez horas depois de a reunião extraordinária ter começado, anunciou hoje o primeiro-ministro na sua página na rede social Twitter. "O Conselho …

Nova espécie de baleia mostra como este animal evoluiu para conseguir nadar

Cientistas descobriram uma nova espécie de baleia, que existiu há 35 milhões de anos, que pode dar novas pistas sobre como as baleias evoluíram para conseguir nadar. De acordo com a revista Newsweek, os investigadores analisaram …

Casal separado após sobreviver a Auschwitz reencontra-se 72 anos depois em Nova Iorque

Em 1944, David Wisnia e Helen "Zippi" Spitzer eram dois prisioneiros judeus e secretamente namorados que, miraculosamente, conseguiram sobreviver ao campo de concentração nazi Auschwitz, na Polónia. Porém, no final da guerra, foram separados depois de …

Benfica 4-0 Famalicão | Pizzi entrega saco cheio de Natal

O Benfica terminou o seu ano de Liga NOS com mais uma vitória, de novo por 4-0, tal como havia acontecido na anterior partida no Estádio da Luz, ante o Marítimo. Desta vez frente ao …

Morreu o ator Danny Aiello

Morreu esta quinta-feira, em Nova Jérsia, o ator Danny Aiello, que recordamos pelos seus muitos êxitos dos anos 80. Tinha 86 anos. "É com profunda dor que comunicamos que Danny Aiello, amado marido, pai, avô, ator …

Videojogo chinês incita jogadores a atacar os "traidores" em Hong Kong

Há um novo videojogo que está a ganhar popularidade na China. Chama-se "Fight the Traitors Together" e permite que os jogadores ataquem manifestantes de Hong Kong. No jogo, os jogadores podem bater nos manifestantes pró-democracia, sendo …

Mundial de Clubes proíbe demonstrações públicas de afeto

Começou na passada quarta-feira, dia 11 de dezembro, em Doha, capital do Catar, o Mundial de Clubes da FIFA, prova onde estão inseridos clubes como Flamengo e Liverpool. E esta até poderia ser mais uma …