Adeptos portugueses proibidos de entrar na “fan zone” de Budapeste

Estela Silva / Lusa

Momento confuso numa zona da capital da Hungria, na véspera do jogo com Portugal, na estreia no Europeu 2020.

A Hungria não escapou ao coronavírus mas, entre os países que recebem jogos do Europeu 2020, é onde se circula com menos restrições. Basta olhar para as imagens que chegaram do jogo entre Hungria e Portugal: o estádio estava cheio e quase ninguém, ou mesmo ninguém, usava máscara.

Nas ruas o cenário não é diferente. A liberdade individual é maior do que em quase todos os outros países da Europa, a máscara quase não é utilizada e, no início de maio, novas medidas foram anunciadas: quem tiver um cartão de imunidade emitido pelo governo pode entrar em praticamente todos os espaços públicos.



Depois da campanha de vacinação alargada, o governo húngaro indicou que todas as pessoas que já receberam pelo menos uma dose da vacina, além das que já recuperaram da covid-19, podem receber esse cartão de imunidade.

Agora, em altura de campeonato da Europa, muitos adeptos estrangeiros circulam pelas cidades húngaras, sobretudo por Budapeste, que é uma das cidades anfitriãs do torneio. Esses adeptos não têm o cartão de imunidade mas não precisam desse documento, para estar nas denominadas fan zones.

Na sexta-feira passada, o governo da Hungria anunciou que, para ver um jogo em ecrãs gigantes em locais exteriores, não é necessário apresentar qualquer certificado. É preciso apresentar um documento de identificação e permitir a verificação da temperatura do corpo.

Além disso, qualquer estrangeiro que tenha um bilhete para um jogo do Euro 2020 fica com os mesmos direitos e com a mesma liberdade de circulação de uma pessoa húngara que tenha o cartão de imunidade.

Essa regra não chegou à fan zone junto ao Castelo de Vajdahunyad, em Budapeste. Na segunda-feira, véspera da estreia de Hungria e de Portugal no Europeu, vários adeptos portugueses foram proibidos de entrar naquela zona.

O semanário Magyar Hang cruzou-se com adeptos portugueses, nesse local, que queixaram-se que não tiveram autorização para entrar na fan zone, apesar de terem um bilhete para o jogo Hungria-Portugal.

Os adeptos lusos sabem que podem entrar, por exemplo, num hotel ou num restaurante, porque o bilhete para um jogo substitui o cartão de imunidade local.

Contudo, essa informação não deve ter chegado aos responsáveis dessa fan zone em Budapeste porque os adeptos portugueses foram informados, à entrada, de que afinal tinham de apresentar um cartão de imunidade para entrar. Não tinham esse documento, não entraram.

Nuno Teixeira, ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Com tantas facilidades e com o crescimento rápido de casos em Portugal, esses adeptos deviam ser testados em Portugal (á custa deles) e fazer quarentena. É quase certo que trazm Sars-Cov-2 a falar Húngaro…

RESPONDER

Insolvência da Groundforce não cessa contratos e salários vão ser pagos

O Tribunal Judicial da Comarca de Lisboa declarou a Groundforce insolvente quase três meses depois de o pedido ter dado entrada. O Sindicato dos Trabalhadores da Aviação e Aeroportos (Sitava) esclareceu esta quarta-feira que a insolvência …

Machu Picchu é mais antigo do que se pensava

Um novo estudo acaba de revelar que a cidadela Inca no topo da montanha de Machu Picchu, no Peru, foi construída e ocupada por volta de 1420-1530 d.C., décadas antes do que se pensava. Machu Picchu …

Karsten Warholm é um recordista olímpico e mundial chateado com a Nike

Atleta norueguês acredita que a tecnologia incorporada pela gigante norte-americana contribui para a descredibilização do atletismo, já que dá aos atletas uma sensação de corrida semelhante a um trampolim. “A melhor corrida da história olímpica.” “Uma …

Incêndios da Grécia e da Turquia podem chegar em breve a Portugal

As labaredas vistas na Grécia e na Turquia neste verão podem chegar nas próximas duas semanas a Portugal, que deverá registar um aumento de 20 graus nas temperaturas. Uma onda de calor que dura há vários …

Caso Ihor Homeniuk. Cinco seguranças arguidos por omissão de auxílio

Depois da constituição de novos arguidos em Julho, sabe-se agora que cinco seguranças estão a ser acusados de omissão de auxílio ao cidadão ucraniano que morreu no aeroporto de Lisboa. O caso do cidadão ucraniano que …

Afinal, os filmes da Disney não são tão tóxicos como se pensava

Crianças que cresceram a acompanhar filmes da Disney, com princesas como personagens principais, podem não construir estereótipos de género negativos face às mulheres, tal como se acreditava. Ao longo dos últimos anos, o ressurgimento do movimento …

A Coreia do Norte está disposta a conversar com os EUA. Mas primeiro quer combustível, fatos e licor

O regime de Kim Jong-un está disposto a regressar às negociações nucleares com os Estados Unidos, mas com condições. De acordo com a agência de espionagem da Coreia do Sul, citada pelo The Wall Street Journal, …

PSD considera "achincalhante" rever normas sobre declarações de rendimento dos juízes

O PSD manifestou-se esta quarta-feira surpreendido com a decisão do Supremo Tribunal de Justiça (STJ), depois de ter obrigado a revisão das normas que regulam a apresentação de declarações de rendimentos dos juízes, considerando a …

Marcelo envia para o Constitucional norma que dá ao MP maior acesso a comunicações privadas

O Presidente da República enviou para o Tribunal Constitucional a lei que permitia ao Ministério Público aceder a comunicações eletrónicas privadas em investigações de cibercrime, sem uma autorização prévia de juízes. Numa nota publicada no site …

Ratos obesos perderam peso ao "suar" gordura

Ao estudar uma proteína produzida por células imunológicas, uma equipa de cientistas dos EUA fez uma descoberta inesperada: em ratos de laboratório, a citocina TSLP ajudou os animais a perderem gordura abdominal e peso, independentemente …