Portugal ultrapassa os dois milhões de casos de covid-19 com novo recorde de 52 549 infecções. Mais 33 mortos

1

Portugal ultrapassou hoje os dois milhões de infecções pelo coronavírus desde o início da pandemia. O número de internados subiu ligeiramente, mas há menos pacientes nos cuidados intensivos.

Nas últimas 24 horas, Portugal registou mais 52 549 novas infecções por covid-19, de acordo com o mais recente boletim epidemiológico da Direcção-Geral da Saúde, sendo este um novo recorde de casos diários e o primeiro acima dos 50 mil.

A maioria foi dos novos casos foi identificada na região do Norte (22 455), seguindo-se Lisboa e Vale do Tejo (16 192), Centro (7744), Algarve (1960), Madeira (1865), Alentejo (1502) e Açores (831).

Mais 33 pessoas perderam a vida com a doença. A nível das regiões, a maior parte dos óbitos ocorreu em Lisboa e Vale do Tejo (15), seguindo-se o Norte (10), o Centro (cinco), e a Madeira, Açores e Alentejo (um cada). Não houve nenhuma morte no Algarve.

O número de internados subiu para 1959, mais quatro do que ontem. Nas unidades de cuidados intensivos estão agora 153 pacientes, menos sete do que no último boletim.

Há mais 28 825 recuperados e também mais 23 691 casos activos, num total de 356 477. Mais 34 939 contactos de risco estão também em vigilância, sendo o valor total 359 893.

Sendo hoje quarta-feira, os dados da matriz de risco foram actualizados. Portugal continua no quadrante mais escuro e o r(t) está nos 1,11 a nível nacional e 1,10 no continente, tendo descido dos 1,13 registados na segunda-feira.

Já a incidência, que subiu em relação à actualização anterior, situa-se acima de 4490,9 casos por 100 mil habitantes a nível nacional e em 4437,4 no território continental. Na segunda-feira, a incidência era de 3840 casos por 100 mil habitantes em ambos.

2 003 169 portugueses foram infectados com covid-19 desde o início da pandemia, tendo 1 627 279 recuperado. No total, 19 413 pessoas morreram com a doença.

  Adriana Peixoto, ZAP //

1 Comment

  1. Marta Temido e Graça Freitas, corrijam os valores da Transmissibilidade. Sem sombra de dúvida, não é possível esta estar a baixar, enquanto assistimos a uma subida generalizada dos outros indicadores.

    Com licença.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE