/

Por onde passou o caminho bíblico da Judeia a Edom? Cientistas encontram respostas

Por onde passava o caminho bíblico que ligava o reino de Judeia à nação vizinha de Edom? Um novo estudo dá novas pistas sobre o possível percurso da estrada.

Os investigadores israelitas sugerem que havia, pelo menos, dois itinerários, de acordo com os textos bíblicos.

“Eu estava a trabalhar no sul do deserto da Judeia numa estrada diferente que conectava Arade e Jordânia no início da Idade do Bronze”, disse o arqueólogo da Universidade Ben-Gurion do Negev, Eli Cohen-Sasson, autor principal do estudo, citado pelo The Jerusalem Post.

A investigação despertou o interesse por outros sistemas de estradas, especialmente depois de Cohen-Sasson encontrar um local que já era conhecido, mas que nunca tinha sido devidamente estudado, Nahal Gorer.

A equipa de investigadores notou que os artefactos de cerâmica encontrados pertenciam ao mesmo período — século IX ou VIII a.C. —, e começaram a examinar o que poderia ter sido a natureza do local.

As ligações entre Israel, Judeia e Edom são discutidas várias vezes na Bíblia. Aliás, numa das passagens é possível ler:

“Mas quando o rei Acab morreu, o rei de Moabe revoltou-se contra o domínio de Israel.
Por isso, o rei Jorão saiu de Samaria e reuniu todas as suas tropas.
Depois mandou dizer ao rei de Judá: «O rei de Moabe revoltou-se contra mim. Queres juntar-te a mim na guerra contra ele?» O rei Josafat respondeu: «Quero, sim! Eu e tu, os meus soldados e os teus, a minha cavalaria e a tua, somos o mesmo exército.
Mas por que caminho iremos?» Jorão respondeu: «Pelo deserto de Edom.»”

O reino de Edom estendia-se a uma área que cobria parte daquilo que é agora o sul de Israel e da Jordânia. Moabe também estava localizado na Jordânia moderna, na margem oriental do Mar Morto.

Na década de 1950, arqueólogos israelitas identificaram dois locais da Idade do Ferro que acreditavam estar localizados ao longo da estrada que ligava a Judeia a Edom.

No entanto, Cohen-Sasson alega que a rota que eles propuseram não fazia sentido e tinha desvios desnecessários. “Por que é que alguém gastaria meio dia extra a viajar se não precisasse?”, perguntou o investigador.

O que os investigadores encontraram em Gorer permitiu-lhes propor uma interpretação alternativa, argumentando que o que os seus colegas israelitas tinham encontrado eram, na verdade, duas estradas distintas.

“Quando começamos o nosso trabalho, percebemos que o local provava que havia duas estradas porque Gorer fica exatamente no cruzamento entre elas”, explicou Cohen-Sasson.

  Daniel Costa, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.