Expressão “campos da morte polacos” dá prisão

jechstra / Flickr

Entrada do antigo campo de concentração de Auschwitz, na Polónia.

O Senado da Polónia aprovou uma lei sobre o Holocausto que prevê até três anos de prisão para quem utilize a expressão “campos da morte polacos”, sob a justificação de que visa “defender a imagem do país”.

Israel já contestou a lei, acusando a Polónia de “querer reescrever a história” por pretender apagar as referências aos campos de extermínio que foram instalados pelo regime nazi no país, durante a Segunda Guerra Mundial.

O projecto-lei prevê um máximo de três anos de prisão ou o pagamento de uma multa a quem utilize a expressão “campos da morte polacos” ou para quem acusar a Polónia de cumplicidade com o Holocausto.

A lei foi aprovada por 57 senadores contra a vontade de outros 23 e duas abstenções. Para entrar em vigor, precisa agora de ser promulgada pelo Presidente da Polónia, Andrzej Duda, que já disse, em resposta ao governo israelita, que o país não pode voltar atrás e que os polacos têm o direito de “defenderem a verdade histórica”.

Em Israel, segundo o jornal Haaretz, vários ministros do Governo criticaram fortemente a posição do Senado polaco.

“A lei aprovada pelos polacos é grave e constitui uma negação de responsabilidades e do papel da Polónia no Holocausto Judeu”, afirma o ministro Yisrael Katz, citado pelo Haaretz.

Já o ex-ministro dos Negócios Estrangeiros israelita, Zipi Livni, considera que a lei polaca é “inaceitável”, acusando o Senado polaco de “cuspir na cara de Israel”.

“Israel precisa de responder firmemente para, abertamente e de forma imediata, colocar na agenda a documentação dos crimes dos polacos, durante o Holocausto, e para enviar uma mensagem clara: não vamos permitir-lhes que levem a que o passado seja esquecido”, acrescenta Zipi Livni no diário israelita.

Os EUA já se juntaram aos protestos de Israel, pedindo à Polónia que reconsidere a sua posição e expressando “profunda preocupação” pelos efeitos do diploma.

“Expressões como ‘campos da morte polacos’ são imprecisas, susceptíveis de induzir em erros e causar feridas, mas receamos que se o diploma for promulgado, afecte a liberdade de expressão e o debate histórico”, declarou a porta-voz do Departamento de Estado norte-americano, Heather Nauert, em comunicado.

“A verdade histórica”

A Polónia foi atacada e ocupada pelos nazis durante a II Guerra Mundial, que levou à morte de milhões de cidadãos do país, incluindo três milhões de judeus polacos.

Há muito que a Polónia contesta o uso de expressões como “campos da morte polacos”, que sugerem que o país partilhou de alguma forma responsabilidades com a Alemanha nazi, no que toca a campos de concentração como o de Auschwitz.

Esses campos foram construídos e operados pelos nazis, depois de terem invadido a Polónia em 1939, algo que o actual ministro israelita da Educação e da Diáspora, Naftali Bennett reconheceu.

“É um facto histórico que os alemães iniciaram, planearam e construíram os campos da morte na Polónia”, salientou Naftali Bennett, conforme cita a Lusa, realçando que “essa é a verdade”, que “nenhuma lei vai reescrevê-la” e que é preciso passar estes dados “à próxima geração”.

Mas Bennett também salientou que é “um facto histórico que os polacos apoiaram o homicídio de judeus, que os entregaram aos nazis e até que mataram judeus durante e depois do Holocausto”. Algo que a nova lei aprovada “ignora vergonhosamente”, referiu o ministro israelita.

O governo polaco respondeu que o projeto-lei não tem como objectivo limitar a liberdade de investigar e discutir o Holocausto, apenas o de proteger o nome do país no estrangeiro. Antes do voto, o autor da legislação, o vice-ministro polaco da Justiça, Patryk Jaki, defendeu que a reacção de Israel “prova o quão necessário é este projecto-lei”.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. O antisemitismo era corrente em toda a Europa no início do século 20, por isto que Hitler conseguiu fazer tanto mal, eles só foram contidos pela atuação da União Soviética, que sob o comando de Stalin foi o país que mais libertou gente em toda a história, isto tanto é verdade que inventaram a farsa de que teria existido o Holodomor.

    • “…que sob o comando de Stalin foi o país que mais libertou gente em toda a história, isto tanto é verdade que inventaram a farsa de que teria existido o Holodomor.”
      Isto é para rir, certo? É que nem mesmo um atrasado mental poderia acreditar nestas baboseiras.

  2. É preocupante o suficiente vermos chefes de estado e outras individualidades mundiais, pronunciarem-se, sobre matérias de conhecimento geral, pois apenas expõem a sua profunda ignorância sobre uma prática comum dos humanos. Podemos começar pela Europa… nazis vs judeus, russos vs ucranianos, portugueses vs América latina, Argentina vs povo, colonização americana vs Índios, Incas/Maias vs espanhóis, toda a África apresentam extermínios tribais, China vs povo, Miamar vs povo, Mao tze vs povo, turcos e curdos, Kosovo vs etnias, existe mais uns poucos Islâmicos … enfim…vamos todos ao mesmo tempo marcar uma posição dominante sobre as nossas ideologias e lutar por elas! O nosso planeta está sem recursos e nós precisamos de regulamentação populacional! Devemos observar, analisar e aprender quais foram os gatilhos que despoletam estas situações e antecipar esses eventos. A França sempre foi atacada e politicamente sempre foi um enorme gatilho plantado nas 3 guerras da Europa…

RESPONDER

Hotel condenado a pagar 19 milhões por discriminação religiosa a funcionária despedida

Quando foi contratada pelo hotel Conrad, Marie Jean fez um acordo: não trabalharia ao domingo, para cumprir os seus compromissos religiosos na igreja Bethel Baptist. Marie Jean Pierre era uma imigrante a tentar ganhar a vida …

"Alpinista de biquiní' morre de hipotermia após queda em desfiladeiro

Famosa pelos seus passeios em biquíni pelas montanhas, Gigi Wu caiu de um desfiladeiro e morreu de hipotermia no Parque Nacional Yu Shan, em Taiwan. Gigi Wu, de 36 anos, apelidada de "alpinista de biquíni" pelos …

Crimes de Vale e Azevedo no Benfica prescreveram

O Tribunal da Relação de Lisboa considerou prescritos os crimes de que o ex-presidente do Benfica João Vale e Azevedo estava acusado, relativos ao desvio de dinheiro dos direitos televisivos do clube, disse esta terça-feira …

Suspensão de voos em Gatwick devido aos drones custou quase 17 milhões à easyJet

A transportadora aérea easyJet informou que os custos devido à suspensão da operação em Gatwick, um dos aeroportos que serve Londres, devido à presença de drones, chegou quase aos 17 milhões de euros. Em comunicado enviado …

Passageiro alcoolizado desviou um avião na Rússia

Um avião de passageiros que voava da Sibéria para Moscovo foi desviado por um passageiro que alterou a rota prevista, obrigando-o a aterrar no Afeganistão. O homem estaria alcoolizado e já foi detido. A Associated Press, …

Santana desafia partidos a falar sobre coligações antes das legislativas

O presidente do partido Aliança, Pedro Santana Lopes, desafiou os líderes partidários a dizerem antes das eleições legislativas deste ano se querem alguma coligação pós-eleitoral e com que partidos. Uma coligação pré-eleitoral dos partidos do centro-direita …

Polícia prende cinco suspeitos da morte de Marielle

A operação Os Intocáveis, desencadeada nesta manhã em áreas controladas por milícias do Rio de Janeiro, prendeu cinco suspeitos do envolvimento nos assassinatos da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes. São integrantes de uma …

Centeno não estará no próximo Governo "para não ter de gerir as consequências" das políticas adotadas

Daniel Bessa, antigo ministro da Economia de António Guterres, alerta que as contas públicas estão "por arames", considerando que Mário Centeno, que lidera a pasta das Finanças no atual Executivo socialista, não fará parte de …

Cientista que criou bebés geneticamente modificados foi despedido

O cientista chinês He Jiankui, que anunciou a criação da primeira modificação genética de bebés, foi acusado pelo Governo chinês de driblar a fiscalização e de quebrar as diretrizes em busca de fama e fortuna. Esta …

Autarca que engoliu prova começa a ser julgado (com actores chamados a tribunal)

O antigo-vice-presidente da Câmara de Portimão, Luís Carito, começa nesta terça-feira a ser julgado, depois de ter engolido uma alegada prova dos crimes relacionados com o projecto que visava tornar a cidade algarvia na "Meca …