Divisão da polícia espanhola trabalhou para reunir provas falsas contra o Podemos

Ahora Madrid / Flickr

Pablo Iglesias, líder do Podemos

Uma unidade oficiosa da polícia espanhola trabalhou e chegou a viajar para o estrangeiro para fabricar provas que servissem para implicar o Podemos com a Venezuela, com o Hezbollah ou com as FARC, da Colômbia.

De acordo com o jornal La Vanguardia, as ações em causa foram ordenadas em 2015, sob as ordens do então diretor adjunto de operações da Polícia Nacional, Eugenio Pino, homem próximo do ministro do Interior da altura, Jorge Fernández Díaz.

Essa unidade, que trabalhou a coberto de uma operação da divisão de crimes económicos e fiscais, terminou no final de 2015 um relatório onde se implicava o Podemos – e a fundação CEPS, grupo de estudos políticos do qual fizeram parte vários fundadores do partido – num emaranhado de financiamento ilícito, tudo com centro e origem no regime chavista.

“O Podemos não é um partido que tenha sido criado há uns anos. É um partido que vem crescendo há muito tempo, com uma infraestrutura muito organizada e com a ajuda de grandes técnicos bolivarianos que têm planeado tudo até ao detalhe mais pequeno. Nasceu na operação denominada Caribe”, lê-se no relatório.

Este relatório chegou a ser entregue e apresentado à Procuradoria-Geral, mas ali foi rapidamente desconsiderado. De acordo com o jornal, o Ministério Público rejeitou dar seguimento ao caso, depois de rever a documentação em causa e acreditar que esta não reunia a qualidade nem a credibilidade necessárias para o caso ser investigado.

Foi só depois de não ter conseguido levar essa investigação avante que a equipa de investigação – “polícia patriótica” – tratou de passar as suas informações à imprensa espanhola, nomeadamente aos jornais OK Diario e El Confidencial, que durante muito tempo veiculou notícias sobre o alegado relacionamento do Podemos com a Venezuela de Hugo Chávez e de Nicolás Maduro.

Em causa, nas notícias publicadas em 2016, estavam dois supostos pagamentos feitos pelo governo de Chávez à fundação CEPS: um de sete milhões de euros e outro de 272 mil dólares. Esses pagamentos teriam sido feitos com a autorização de Chávez e de Rafael Isea, ministro das Finanças no ano de 2008, cargo que abandonou após ser eleito governador de Aragua, onde esteve entre 2008 e 2012.

Em 2013, Rafael Isea saiu da Venezuela fugiu para os EUA. Desde então estará a colaborar com as autoridades norte-americanas, às quais terá denunciado os supostos laços entre a cúpula chavista e importantes redes de narcotráfico.

Numa entrevista exclusiva ao canal televisivo La Sexta, publicada esta quinta-feira, o ex-ministro venezuelano reconheceu que a assinatura que aparece naqueles documentos é a sua, mas nega a autenticidade dos documentos.

Rafael Isea contou como “em março ou abril de 2016”, a escassos meses das eleições de junho, teve uma reunião com três investigadores da UDEF. Referindo que um deles era José Ángel Fuentes Gago, que outro tinha o apelido Bonifacio e que o terceiro elemento era uma mulher, Rafael Isea contou como o primeiro lhe terá dito que tinha luz verde do governo espanhol para aquela reunião e que, em troca de informações, podia oferecer ao ex-governante venezuelano e à sua família proteção em Espanha.

Na altura, Rafael Isea conta que acedeu a colaborar com as autoridades espanholas, prometendo que ia tentar perceber se havia uma rede de pagamentos ao Podemos e, no caso de esta se confirmar, como é que ela funcionava. Três anos depois, o ex-ministro chavista explicou que nunca viu os documentos — apenas assinou uma declaração que resumia aquilo que os documentos sugeriam.

Tem havido poucas reações por parte do anterior governo, liderado por Mariano Rajoy. Porém, segundo avançaram fontes próximas do ex-ministro do Interior Jorge Fernández Díaz, o governo não estava a par daquela iniciativa e atribui-a somente ao inspetor José Ángel Fuentes Gago.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Astrónomos treinam IA para encontrar antigas colisões de galáxias

Há luzes brilhantes em todo o Universo que representam as colisões de galáxias. Os astrónomos encontraram agora uma nova forma de as encontrar. Há luzes brilhantes em todo o Universo que representam as colisões de galáxias. …

Inteligência Artificial está a reviver jogos de tabuleiro ancestrais

A Inteligência Artificial consegue descobrir, com um grande grau de precisão, o conjunto de regras de vários jogos de tabuleiro ancestrais. Jogos de tabuleiro com centenas de anos são, por vezes, encontrados em escavações arqueológicas. Sem …

Panteras da Flórida estão a agir como se tivessem sido envenenadas (e os cientistas não sabem porquê)

Algumas panteras da Flórida, nos Estados Unidos, estão a ter um comportamento estranho ao andar, quase como se tivessem sido envenenadas. Os cientistas ainda não conseguiram perceber porquê. De acordo com o Washington Post, pelo menos …

SL Benfica 0-2 FC Porto | "Dragão" astuto arranca triunfo na Luz

O FC Porto foi ao Estádio da Luz vencer o “clássico” por 2-0 e recuperar a desvantagem de três pontos que tinha no campeonato. Com uma estratégia muito bem montada, baseada numa grande pressão sobre o …

Câmaras de Inteligência Artificial podem ser a solução para evitar tiroteios

Câmaras de videovigilância com Inteligência Artificial podem ser a solução para pôr um fim aos tiroteios. Esta tecnologia é capaz de detetar armas de fogo e avisar logo de seguida as autoridades. Com as dificuldades em …

Violência policial é uma das principais causas de morte de jovens negros nos EUA

A violência policial é uma das principais causas de morte entre jovens nos Estados Unidos, com os negros a terem 2,5 vezes mais hipóteses de serem mortos do que os homens brancos. O estudo, publicado este …

A Volocopter apresenta o seu táxi voador mais potente (e já andou no ar)

https://vimeo.com/355573555 Desde 2013 a Volocopter tem vindo a aprimorar o seu projeto de táxi voador. Desta vez, o design é mais redondo, mais simples e mais potente. O Volocopter é uma aeronave 100% elétrica que os criadores …

Israel desenvolve terapia à base de ecstasy para tratar stress pós-traumático

O Ministério da Saúde israelita desenvolveu uma terapia à base de MDMA - o componente ativo da metanfetamina popularmente conhecida como 'ecstasy' - para tratar pessoas que sofrem de stress pós-traumático resistente. Num entrevista sobre a …

Quaresma de saída do Besiktas. "Presidente não me quer na equipa"

Revelação feita pelo jogador, no Instagram: "Acabei de ser informado pelo presidente do clube que ele não quer que eu continue a jogar na equipa. Estou a tentar encontrar solução para o meu futuro". O internacional …

O Dr. House português diz que 90% do que os médicos fazem é "fantochada"

É conhecido como o Dr. House português, numa referência à série televisiva norte-americana, pela forma como faz diagnósticos certeiros. E Vítor Brotas que trabalha no Hospital dos Capuchos, em Lisboa, admite que é "um médico …