Divisão da polícia espanhola trabalhou para reunir provas falsas contra o Podemos

Ahora Madrid / Flickr

Pablo Iglesias, líder do Podemos

Uma unidade oficiosa da polícia espanhola trabalhou e chegou a viajar para o estrangeiro para fabricar provas que servissem para implicar o Podemos com a Venezuela, com o Hezbollah ou com as FARC, da Colômbia.

De acordo com o jornal La Vanguardia, as ações em causa foram ordenadas em 2015, sob as ordens do então diretor adjunto de operações da Polícia Nacional, Eugenio Pino, homem próximo do ministro do Interior da altura, Jorge Fernández Díaz.

Essa unidade, que trabalhou a coberto de uma operação da divisão de crimes económicos e fiscais, terminou no final de 2015 um relatório onde se implicava o Podemos – e a fundação CEPS, grupo de estudos políticos do qual fizeram parte vários fundadores do partido – num emaranhado de financiamento ilícito, tudo com centro e origem no regime chavista.

“O Podemos não é um partido que tenha sido criado há uns anos. É um partido que vem crescendo há muito tempo, com uma infraestrutura muito organizada e com a ajuda de grandes técnicos bolivarianos que têm planeado tudo até ao detalhe mais pequeno. Nasceu na operação denominada Caribe”, lê-se no relatório.

Este relatório chegou a ser entregue e apresentado à Procuradoria-Geral, mas ali foi rapidamente desconsiderado. De acordo com o jornal, o Ministério Público rejeitou dar seguimento ao caso, depois de rever a documentação em causa e acreditar que esta não reunia a qualidade nem a credibilidade necessárias para o caso ser investigado.

Foi só depois de não ter conseguido levar essa investigação avante que a equipa de investigação – “polícia patriótica” – tratou de passar as suas informações à imprensa espanhola, nomeadamente aos jornais OK Diario e El Confidencial, que durante muito tempo veiculou notícias sobre o alegado relacionamento do Podemos com a Venezuela de Hugo Chávez e de Nicolás Maduro.

Em causa, nas notícias publicadas em 2016, estavam dois supostos pagamentos feitos pelo governo de Chávez à fundação CEPS: um de sete milhões de euros e outro de 272 mil dólares. Esses pagamentos teriam sido feitos com a autorização de Chávez e de Rafael Isea, ministro das Finanças no ano de 2008, cargo que abandonou após ser eleito governador de Aragua, onde esteve entre 2008 e 2012.

Em 2013, Rafael Isea saiu da Venezuela fugiu para os EUA. Desde então estará a colaborar com as autoridades norte-americanas, às quais terá denunciado os supostos laços entre a cúpula chavista e importantes redes de narcotráfico.

Numa entrevista exclusiva ao canal televisivo La Sexta, publicada esta quinta-feira, o ex-ministro venezuelano reconheceu que a assinatura que aparece naqueles documentos é a sua, mas nega a autenticidade dos documentos.

Rafael Isea contou como “em março ou abril de 2016”, a escassos meses das eleições de junho, teve uma reunião com três investigadores da UDEF. Referindo que um deles era José Ángel Fuentes Gago, que outro tinha o apelido Bonifacio e que o terceiro elemento era uma mulher, Rafael Isea contou como o primeiro lhe terá dito que tinha luz verde do governo espanhol para aquela reunião e que, em troca de informações, podia oferecer ao ex-governante venezuelano e à sua família proteção em Espanha.

Na altura, Rafael Isea conta que acedeu a colaborar com as autoridades espanholas, prometendo que ia tentar perceber se havia uma rede de pagamentos ao Podemos e, no caso de esta se confirmar, como é que ela funcionava. Três anos depois, o ex-ministro chavista explicou que nunca viu os documentos — apenas assinou uma declaração que resumia aquilo que os documentos sugeriam.

Tem havido poucas reações por parte do anterior governo, liderado por Mariano Rajoy. Porém, segundo avançaram fontes próximas do ex-ministro do Interior Jorge Fernández Díaz, o governo não estava a par daquela iniciativa e atribui-a somente ao inspetor José Ángel Fuentes Gago.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Filho de Bolsonaro já não vai ser embaixador em Washington

O deputado Eduardo Bolsonaro, filho do Presidente do Brasil, anunciou na terça-feira, na Câmara dos Deputados, que desistiu da sua indicação para embaixador do país em Washington, nos Estados Unidos (EUA). Na véspera, Jair Bolsonaro, que …

OE2020. Catarina Martins critica chantagem da Comissão Europeia a cada ano

A coordenadora do Bloco de Esquerda criticou esta terça-feira a chantagem da Comissão Europeia em relação a Portugal repetida a cada legislatura e a cada ano, reiterando a disponibilidade "para negociar um Orçamento do Estado …

Maior parte das escolas não cumprem lei de 2009 sobre a educação sexual

Grande parte das escolas não está a cumprir a lei de 2009 que define como deve ser dada a educação sexual no ensino obrigatório, do 1.º ao 12.º ano de escolaridade. A conclusão surge num relatório …

Pouco poder, mas algum. Deputados únicos podem desencadear revisão da Constituição

Os deputados únicos não têm poder para pedir a votação do programa de Governo, ao contrário dos grupos parlamentares, nem podem sozinhos censurar o Executivo, mas podem desencadear, como qualquer parlamentar, um processo de revisão …

Funcionários públicos esperam entre 100 e 280 dias para se poderem reformar. Processo pode ser acompanhado online

A atribuição das novas pensões de reforma aos funcionários públicos está a demorar, em média, entre 100 a 280 dias - ou seja, entre três e mais de nove meses. A revelação foi feita esta terça-feira, …

"Onde está o Varandas?". Claques não faltaram à vitória do Sporting em hóquei em patins

Apesar das quebras de protocolos, Juventude Leonina e Diretivo Ultras XXI marcaram presença no jogo desta terça-feira de hóquei em patins entre o Sporting e a Oliveirense. Na noite desta terça-feira, o Pavilhão João Rocha foi …

Do azedume às contas do passado. Críticos internos atacam Rio

Depois de Rui Rio ter anunciado esta segunda-feira que se recandidata à liderança do PSD, os críticos internos vieram a público. Acusam-no de querer dividir o partido e ajustar contas com o passado e esperam …

"Acho ridículo que sejam feitas obras, portas ou não", diz Ventura

O CDS que não quer o líder do Chega no meio dos seus deputados e a solução pode mesmo passar por abrir uma porta especial para o deputado. "Acho ridículo", comenta André Ventura. Na última conferência …

Duas vitórias em 14 jogos. Benfica quer travar o calvário da Champions

O Benfica recebe esta quarta-feira o Lyon, estando praticamente obrigado a ganhar para seguir em frente na competição milionária. Apesar de reconhecer a dificuldade, Rúben Dias acredita os encarnados vão voltar aos bons resultados. A …

Barcelona-Real Madrid oficialmente adiado para 18 de dezembro

O Comité de Competições da Real Federação Espanhola de Futebol (RFEF) concordou, esta quarta-feira, em marcar o FC Barcelona-Real Madrid, que se deveria disputar no sábado, para 18 de dezembro, "por motivos excecionais". A data inicial …