Poesia está de novo nas ruas sob a face de angústia colectiva

Escritora Maria Velho da Costa recebe o Prémio Vida Literária, da Associação Portuguesa de Escritores (foto: presidencia.pt)

Escritora Maria Velho da Costa recebe o Prémio Vida Literária, da Associação Portuguesa de Escritores (foto: presidencia.pt)

A escritora Maria Velho da Costa afirmou hoje que a poesia está actualmente nas ruas portuguesas sob “a terrível face de angústia colectiva” e vincou que todos os regimes totalitários consideram “perigosa” a literatura.

Estas ideias foram transmitidas por Maria Velho da Costa, após receber o Prémio Vida Literária, da Associação Portuguesa de Escritores, na Cultugest – cerimónia que contou com a presença do Presidente da República, Cavaco Silva, e do secretário de Estado da Cultura, Jorge Barreto Xavier, ao qual a escritora não se referiu quando apresentava os agradecimentos.

“Aguentei os desconcertos do ‘verão quente’ de 1975 e suas sequelas. A poesia já não estava na rua, nem voltou a estar, excepto hoje sob a sua terrível face de angústia colectiva”, disse Maria Velho da Costa no final do seu discurso.

No final da cerimónia, a escritora aprofundou essa referência e explicou aos jornalistas como encara a situação social actual do país.

“As manifestações são uma forma de poesia de rua – uma poesia negra, tristíssima. É a voz do povo como foi no 25 de Abril”, defendeu.

Na sua intervenção, Maria Velho da Costa surpreendeu boa parte dos presentes na cerimónia ao dizer que pretendia abandonar o labor da escrita, mas nunca a sua ligação profunda à literatura.

No entanto, instantes depois, já em declarações aos jornalistas, a escritora relativizou o alcance da sua ideia de parar de escrever, usando então o humor para frisar que essa sua posição vale tanto como “o irrevogável” do actual vice-primeiro-ministro Paulo Portas.

Num discurso curto, que antecedeu o do Presidente da República, Maria Velho da Costa salientou que a literatura não é só a escrita, mas, igualmente, “o poder da palavra e o seu gosto, descrita ou dita por aqueles que a falaram, escreveram e inscreveram em nós um modo de ser para a escrita”.

“A literatura é por certo uma arte, um ofício, com o seu tempo de aprendizagem, treino, de escuta incansável, mas também a palavra no tempo, na história, no apelo do entusiasmo do que pode ser lido ou ouvido, a busca da beleza ou da exactidão ou da graça do sentir”, disse, antes de aludir ao carácter repressivo dos regimes totalitários.

“Os regimes totalitários sabem que a palavra e o seu cume de fulgor, a literatura e a poesia, são um perigo. Por isso queimam, ignoram e analfabetizam, o que vem dar à mesma atrofia do espírito, mais pobreza na pobreza”, acrescentou.

 

Cavaco Silva: Obra de Maria Velho da Costa é extraordinária

O Presidente da República classificou hoje como “extraordinária” a obra literária de Maria Velho da Costa, vincando que já condecorou a escritora em 2011 com o grau de Grande Oficial da Ordem da Liberdade.

Cavaco Silva falava na cerimónia de entrega à escritora Maria Velho da Costa do Prémio Vida Literária, da Associação Portuguesa de Escritores (APE), que se realizou na Cultugest e que teve a presença do secretário de Estado da Cultura, Jorge Barreto Xavier.

Após os discursos dos presidentes da Caixa Geral de Depósitos, José de Matos, e da APE, José Manuel Mendes, o chefe de Estado salientou que o percurso de intervenção cultural de Maria Velho da Costa, ao longo de quase meio século, “é, de facto, extraordinário”.

“Os escritores como Maria Velho da Costa não têm uma carreira, têm uma obra. A sua história confunde-se com as histórias que nos deram através da palavra”, apontou o chefe de Estado.

Na sua intervenção, o Presidente da República referiu-se ao significado do primeiro romance de Maria Velho da Costa, Maina Mendes, considerando que retratou de forma apurada o ambiente social no final da década de 1960.

“Tive, por isso, o grato prazer de a condecorar em 25 de abril de 2011 com grau de Grande Oficial da Ordem da Liberdade”, disse.

Para o Presidente da República, os prémios atribuídos a Maria Velho da Costa, nomeadamente o Prémio Camões, em 2002, “são suficientemente eloquentes a respeito de uma obra que é de vanguarda, mas que, ao mesmo tempo, está profundamente enraizada na nossa história e dialoga com os textos maiores da literatura portuguesa”.

“A homenagem que lhe prestamos é também o testemunho da gratidão que lhe devemos pelo contributo que a sua obra representa para a vitalidade e a projeção da nossa cultura”, acrescentou.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Twitter coloca alerta de "verificação de factos" em publicações de Donald Trump

O Presidente dos Estados Unidos rejeitou na terça-feira a interferência do Twitter na "liberdade de expressão" que a rede social exerceu diretamente contra um texto publicado, através do novo processo de verificação de mensagens. "O Twitter …

PSP detém dois polícias suspeitos de integrar grupo criminoso violento

Dois polícias foram detidos numa operação que a PSP está a realizar, esta quarta-feira, em várias zonas do país, em particular em Lisboa e em Setúbal, no âmbito de uma investigação sobre um grupo criminoso …

Queda de 7% do PIB e desemprego nos 10%. As previsões do Governo divulgadas aos partidos

Queda de 7% no PIB, défice de 6,5% e taxa de desemprego a atingir os 10%. Estas são as previsões macroeconómicas do Governo, que continuou esta terça-feira a ronda com os partidos com assento Parlamentar. …

Proteína "antienvelhecimento" que atrasa crescimento celular é fundamental na longevidade

Uma equipa de cientistas identificou uma nova proteína antienvelhecimento, que controla o metabolismo das outras proteínas, um processo implicado no envelhecimento e na doença. Os seres humanos estão a viver mais do que nunca. No entanto, …

Em protesto, as farmácias vão fechar 23 minutos. Infarmed avisa que podem sofrer sanções

As farmácias estão vinculadas a obrigações legais e incorrem em sanções, avisou terça-feira a Infarmed, em resposta à Associação Nacional das Farmácias (ANF) que anunciou para esta quarta-feira uma paragem simbólica dos serviços farmacêuticos. “Inerente ao …

"Falta de confiança". Pedro Rodrigues demite-se de coordenador da bancada do PSD em rutura com Rio

O deputado do PSD Pedro Rodrigues demitiu-se esta terça-feira do cargo de coordenador da bancada na Comissão de Trabalho e Segurança Social, invocando "falta de confiança" do presidente do partido e do grupo parlamentar, Rui …

Morreu o antigo jogador do Sporting Maurício Hanuch. Tinha 43 anos

O argentino Maurício Hanuch, ex-futebolista do Sporting, morreu esta terça-feira, aos 43 anos, vítima de doença prolongada. Numa nota divulgada no seu site site, os leões manifestam o seu pesar pela morte do antigo jogador, Maurício …

Cientistas conseguiram controlar as decisões de macacos através de estimulação cerebral

Ondas ultrassónicas de alta frequência, destinadas a regiões cerebrais específicas, podem mesmo influenciar o comportamento dos macacos. O cérebro é um órgão muito difícil de tratar. Além de a grande maioria dos medicamentos ter vários efeitos …

Raios cósmicos podem ter desempenhado um papel fundamental na origem da vida

A influência dos raios cósmicos no início da vida na Terra pode explicar a preferência da natureza pela estrutura das moléculas biológicas. Dois investigadores da Universidade de Stanford, nos EUA, sugerem que a interação entre proto-organismos …

Astrónomos descobrem um novo tipo de asteróide perto de Júpiter (e tem uma misteriosa cauda)

Uma equipa de astrónomos descobriu um novo tipo de asteróide com uma cauda semelhante à de cometa que orbita perto de Júpiter num enxame de rochas espaciais chamado Troianos. O LD2 2019, como é conhecido, desafia …