Plataforma que gere compras do Estado suspensa por cobrar serviços que são gratuitos

KaiChanVong / Flickr

O portal “Compras Públicas”, que gere as contratações feitas pelo Estado, está suspenso por tempo indeterminado, por cobrança de serviços aos operadores económicos que são gratuitos.

O anúncio desta suspensão foi feito, esta segunda-feira, pelo Instituto dos Mercados Públicos, do Imobiliário e da Construção (IMPIC) que explica que a decisão é consequência da auditoria às plataformas eletrónicas de contratação pública a operar em Portugal.

“As duas auditorias realizadas à plataforma eletrónica de contratação pública denominada “Compras Públicas” e que ostenta a marca “Gatewit” – gerida pela empresa Construlink – revelaram o incumprimento grave e reiterado do disposto na Lei em vigor que regula a atividade das plataformas, traduzido na cobrança indevida de serviços aos operadores económicos que, por lei, são gratuitos”, informa o IMPIC em comunicado.

O Instituto adianta ainda que, desde a realização da primeira auditoria (em Março de 2016) até à segunda (em Outubro de 2016), decorreu um prazo alargado para que a empresa procedesse à regularização das desconformidades detetadas.

Mas, em vez disso, a empresa Construlink criou “novos serviços sujeitos a cobrança ilegal” e restringiu “o acesso à plataforma pelos utilizadores, o que é manifestamente demonstrativo do comportamento reincidente da empresa”, alega o IMPIC.

Na plataforma “Compras Públicas”, a Gatewit rejeita competências ao IMPIC para “interpretar e aplicar a lei nacional, mormente declarando ilegalidades”, realçando que esse papel é dos tribunais portugueses e “não de meros organismos e serviços públicos, inseridos na Administração Pública, sem poderes de regulação sobre as plataformas eletrónicas”.

Na nota, o IMPIC refere que, na qualidade de entidade pública licenciadora, de monitorização e fiscalizadora das plataformas eletrónicas de contratação pública – em articulação com o Gabinete Nacional de Segurança (GNS) -, irá prestar a todas as entidades adjudicantes e aos operadores económicos utilizadores da plataforma “Compras Públicas – GATEWIT” apoio técnico e os esclarecimentos necessários.

Denúncias de práticas abusivas

A Exame Informática apurou entretanto, que o IMPIC recebeu várias “denúncias de fornecedores que acusam a Gatewit de um comportamento abusivo“.

Paga-se a “velocidade” da plataforma, o “tempo” de sessão e o upload de ficheiros (sendo que qualquer proposta é constituída por diversos ficheiros de proposta e declarações / comprovativos)”, queixa-se uma empresa de distribuição numa das queixas enviadas ao Instituto, conforme cita a Exame Informática.

Esta publicação também lembra que a plataforma foi alvo de um ataque informático levado a cabo por hackers do grupo Anonymous, em Abril passado, que tiveram acesso a dados de 13 mil fornecedores do Estado.

ZAP / Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Há sempre uma forma de calar as ferramentas que podem dar alguma transparência às negociatas e corrupções que envolvem as compras públicas… as compras por ajuste directo… as compras com sobrefaturação… etc.
    Se cobram comissões, deixam de cobrar, pune-se os responsáveis. Fechar a plataforma serve os interesses dos corruptos.

    • O problema é que a empresa que gere a plataforma não suspendeu a cobrança de comissões quando intimada a fazê-lo. Solução: ser o Estado a gerir a “coisa” pública e não contratar empresas para o fazer por ele.

RESPONDER

Braços robóticos controlados remotamente podem vir a realizar cirurgias delicadas

Um equipa de investigadores está a trabalhar para eliminar movimentos rígidos nos braços robóticos, de modo a torná-los mais ágeis. O objetivo é que no futuro estes possam empilhar pratos ou até realizar cirurgias delicadas. Os …

Alemão foi forçado a remover estátua do pai por esta se parecer com Hitler

Um alemão foi obrigado a retirar uma figura de madeira de um cemitério, que seria para homenagear o seu falecido pai, por ter semelhanças com o antigo ditador nazi. As autoridades do município de Weil im …

Podcast evita morte de um condenado (seis vezes)

Curtis Flowers foi julgado seis vezes pelo mesmo promotor de justiça. Um programa de investigação mudou o seu destino. O promotor continua a acreditar que Curtis é culpado. A própria equipa responsável pelo 60 Minutes, programa …

EUA venderam álbum único dos Wu-Tang Clan (que pertencia a Martin Shkreli)

O álbum do grupo Wu-Tang Clan, confiscado em 2018 ao antigo gestor de fundos Martin Shkreli, também conhecido como "o empresário mais odiado do mundo", foi agora vendido pelo Governo norte-americano. Num comunicado divulgado esta terça-feira, …

Bezos ofereceu 1,7 mil milhões de euros à NASA para entrar na corrida da próxima viagem à Lua

O empresário norte-americano ofereceu 1,7 mil milhões de euros à NASA numa tentativa de reacender a batalha espacial entre a sua empresa, a Blue Origin, e a do "rival" Elon Musk, a SpaceX. De acordo com …

Clientes com certificado digital válido impedidos de entrar em restaurantes

Estão a ser reportados vários casos de clientes que, ao apresentarem o certificado digital para poderem entrar num restaurante, não conseguem fazê-lo porque o documento está a ser considerado inválido pelos dispositivos eletrónicos. Segundo a rádio …

Covid-19 trouxe "paranoia" ao mercado

Diretor do Norwich City, da Premier League, acha que os responsáveis por alguns clubes não sabem bem o que estão a fazer nos últimos tempos. O Norwich City iria jogar contra o Coventry City, num encontro …

Israel cria "task force" para reverter boicote da Ben & Jerry's na Cisjordânia

Israel criou uma task force para pressionar a empresa de gelados norte-americana Ben & Jerry's e a sua proprietária, Unilever, a reverterem a decisão de boicotar a ocupação israelita na Cisjordânia. "Precisamos de aproveitar os 18 …

Violência armada. 430 mortos na última semana nos EUA e 2021 pode ser dos piores anos de sempre

Só na semana passada registaram-se cerca de 430 mortos e mais de 1000 feridos associados a tiroteios, num ano que está a ser marcado pelo aumento da violência armada nos Estados Unidos. O ano passado foi …

Principais indicadores da crise climática estão a atingir "ponto de inflexão", revela estudo

Um novo estudo sobre os sinais vitais do planeta revelou que muitos dos principais indicadores da crise climática estão a piorar e a aproximar-se ou ultrapassar os pontos de inflexão, à medida que as temperaturas …