Planetas que orbitam estrelas gémeas do Sol podem ter vida

O ser humano pode mesmo não estar só na galáxia da Via Láctea. Esta é a possibilidade que se abre com os resultados de um estudo com 53 estrelas gémeas do Sol.

O estudo, realizado por investigadores do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), no Brasil, sugere condições geológicas favoráveis para o surgimento e manutenção da vida em planetas rochosos que eventualmente orbitam os astros semelhantes ao Sol.

De acordo com o artigo, publicado em outubro na revista Monthly Notices of Royal Astronomical Society, a vida poderá estar espalhada por toda a galáxia e ter tido origem em qualquer época da sua evolução.

Para chegar a esta conclusão, os cientistas avaliaram a abundância de tório (232Th) nas gémeas solares estudadas, localizadas entre 50 e 300 anos-luz de distância do Sol.

Isto foi feito recorrendo à análise de espetros óticos de alta qualidade e resolução em comprimento de onda, recolhidos utilizando um espetrógrafo ultra-estável, chamado HARPS, que está instalado no telescópio de 3,6 metros do European Southern Observatory (ESO), no Chile.

Embora o tório não seja o único elemento determinante, este químico radioativo é um dos requisitos para o surgimento, evolução e manutenção da vida num determinado mundo. Para que isso ocorra, além da sua presença, é necessário que a órbita do planeta esteja na zona habitável em redor da estrela: a distância em que água se consiga manter líquida.

Segundo o investigador André de Castro Milone, da Divisão de Astrofísica do Inpe, orientador do doutorando Rafael Botelho, primeiro autor do artigo, outros requisitos para o surgimento da vida num planeta são a existência de uma atmosfera presa pela gravidade e de um campo magnético para protegê-lo do fluxo de partículas energéticas e nocivas aos seres vivos emitidas pela estrela hospedeira.

“Também é fundamental que seja geologicamente ativo, como a Terra, com terremotos e vulcões, que proporcionam o chamado ciclo do carbono, que mantém a temperatura do mundo adequada à vida.” Isto só é possível graças às placas tectónicas.

O globo terrestre é feito de camadas. No centro fica o núcleo, cujo ponto central está a uma profundidade de cerca de 6.370 quilómetros, com uma temperatura de 6.000 ºC, semelhante a da superfície do Sol. Acima, vem o manto, de consistência pastosa, com uma espessura de 2.950 quilómetros e 100 ºC na parte superior e 3.500 ºC na mais profunda. Trata-se do magma.

O magma é coberto pela crosta, a camada mais superficial e menos espessa do planeta, com uma média de 40 quilómetros de profundidade. Com a parte superior do manto, forma-se a litosfera, com 100 quilómetros de espessura, que está dividida em placas rochosas – placas tectónicas – que flutuam sobre o manto de magma.

Existem 10 grandes placas: Africana, Antártica, Arábica, Eurasiática, das Filipinas, Indo-Australiana, de Nazca, Norte-Americana e das Caraíbas, do Pacífico e Sul-Americana, – e várias outras menores. São estas as estruturas que modelam a superfície da Terra, erguendo montanhas e causando terremotos, ao chocarem umas com as outras.

É aqui que entra o tório. “Trata-se de um elemento instável, cujo decaimento radioativo, juntamente com o urânio e o potássio, que tem fornecido e fornecerá o interior da Terra por milhões de anos metade da energia necessária para manter a convecção do manto e o tectonismo das placas continentais”, explica Milone.

Isto induz o ciclo de carbono, através da libertação de dióxido de carbono em grandes quantidades e metano em bem menores, que tornam possível a estabilidade térmica na atmosfera do globo, dando condições naturais para o aparecimento e evolução da vida.

As gémeas solares estudadas têm diferentes idades: desde 500 milhões a 8,6 mil milhões de anos. “Podemos acompanhar a abundância do tório ao longo do tempo de evolução da Galáxia, como também em estrelas semelhantes ao Sol”, explica Milone.

“Outro estudo já tinha observado que o Sol é ligeiramente deficiente em tório em comparação com 13 gémeas, mostrando que tais astros, caso possuam planetas rochosos, proporcionariam reservatórios de energia interna suficientes para o surgimento da vida.”

As conclusões mostram que há uma grande quantidade de energia disponível devido ao decaimento de tório para manter a convecção do manto e o tectonismo em potenciais planetas rochosos que possam existir em torno de gémeas solares. “Parece que este elemento também é abundante em gémeas solares velhas, significando que a Galáxia pode estar repleta de vida“, disse Botelho.

De acordo com estimativas, devem existir cerca de 100 milhões a 1 mil milhão de estrelas relativamente parecidas ao Sol na Galáxia. Além disso, cerca 5% das gémeas solares podem ter sistemas planetários parecidos com a Terra.

ZAP // BBC

PARTILHAR

RESPONDER

Robô ultrarrealista pode vir a substituir os golfinhos em cativeiro em parques temáticos

A empresa de engenharia Edge Innovations, com sede em São Francisco, Estados Unidos, projetou e construiu um golfinho-robô que se parece e age quase exatamente como um. Nadando ao redor da piscina enquanto um grupo de …

PCP avisa: Abstenção é “apenas e só” para discutir o OE2021

O secretário-geral do PCP avisou este sábado que a abstenção anunciada pelo partido visa "apenas e só" fazer passar o Orçamento do Estado de 2021 a "outra fase de discussão" e recusou estar garantido um …

Convento medieval encontrado sob parque de estacionamento em Inglaterra

Uma equipa de arqueólogos britânicos encontrou um convento medieval, há muito perdido, debaixo de um parque de estacionamento em Inglaterra. Há muito que os arqueólogos britânicos especulavam sobre a potencial localização de um antigo convento medieval, …

Virgin Galactic leva cientista planetário ao Espaço pela primeira vez

O norte-americano Alan Stern será o primeiro a realizar experiências científicas financiadas pela NASA, a bordo de uma aeronave comercial da empresa espacial privada Virgin Galactic. A NASA revelou a semana passada que o cientista planetário …

Português responsável por limpeza de hospitais condecorado pela Rainha Isabel II

O português Maciel Vinagre pensou que era mentira ou engano ao ler a notificação de que tinha sido distinguido pela Rainha Isabel II pelo trabalho como responsável da limpeza de dois hospitais públicos britânicos durante …

Japonês inventa sacos de plástico "comestíveis" (para salvar o veado sagrado de Nara)

Um empresário local no destino turístico japonês de Nara desenvolveu uma alternativa aos sacos de plástico de compras para proteger o veado sagrado da cidade. Hidetoshi Matsukawa, que trabalha na Nara-ism, um agente de souvenirs, disse, …

Emissão do programa de Ricardo Araújo Pereira cancelada. Humorista em isolamento

O programa de Ricardo Araújo Pereira na SIC não será emitido este domingo, uma vez que o humorista se encontra em isolamento profilático depois de ter estado em contacto com uma pessoa infetada com covid-19. …

Erro clínico. Centenas de hóspedes em quarentena em hotel da Austrália vão ter de fazer teste ao VIH

Centenas de pessoas que estiveram em quarentena no hotel Victoria, na Austrália, vão ter de fazer o teste de doenças transmitidas pelo sangue, incluindo VIH, devido a um erro dos profissionais de saúde daquele local …

Forças Armadas dos EUA estão a adquirir coletes à prova de bala adaptados para mulheres

As Forças Armadas dos EUA estão a dar grandes passos no que diz respeito à igualdade de género. A instituição está a começar a mudar os seus coletes à prova de bala, de forma a …

Abstenção do PCP no OE2021? É um excelente indicador, diz Costa

O primeiro-ministro, António Costa, considerou um “excelente indicador” o PCP ter anunciado a abstenção no Orçamento do Estado de 2021 (OE2021) e resultado de um entendimento “para ter um bom orçamento para o próximo ano”. “É …