PJ investiga segunda morte no SEF do aeroporto de Lisboa. Espancamento de Ihor durou 20 minutos

Mário Cruz / Lusa

A Polícia Judiciária está a investigar uma eventual segunda morte no Centro de Instalação Temporária além da de Ilhor Homenyuk, o ucraniano que morreu em março após agressões de três inspetores do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras.

A notícia é avançada pela TVI, que refere que a Polícia Judiciária (PJ) está a investigar uma eventual segunda morte no Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) do Aeroporto de Lisboa.

Foi uma mensagem trocada entre vigilantes do aeroporto que levou a PJ a investigar o caso. Na análise feita aos telemóveis apreendidos, o órgão apanhou uma mensagem trocada num grupo de conversação entre os vigilantes do aeroporto, onde uma funcionária da PRESTIBEL levanta a suspeita.

Este já é o segundo no meu turno“, lia-se na mensagem.

De acordo com a TVI, esta nova investigação surge após o Ministério Público (MP) ter extraído uma certidão para apurar eventuais crimes de falsificação de documento, uma vez que o auto de notícia da morte do cidadão ucraniano, em março, dá conta de que os inspetores do SEF declararam que a vítima sofreu uma doença súbita que lhe tirou a vida.

Em causa estará uma alegada falsificação do auto do óbito de Ilhor Homenyuk, que declarava que a morte fora por epilepsia.

No entanto, a autópsia refere que o cidadão ucraniano faleceu por asfixia mecânica depois de sucessivas agressões com socos pontapés e pancadas de bastões às mãos dos três inspetores do SEF. Nesta nova investigação, tanto o MP como a PJ temem que, num eventual segundo caso, as causas da morte tenham sido camufladas da mesma forma.

O Observador adianta que, até ao momento, não há registo de outra morte no aeroporto que possa explicar o conteúdo da mensagem, mas a PJ não afasta para já a tese de um segundo homicídio.

A nova investigação foi conhecida esta quarta-feira na sequência da acusação do Ministério Público aos três inspetores do SEF pelo homicídio de Ihor Homenyuk. Os inspetores vão responder, cada um, por um crime de homicídio qualificado em coautoria e crime de posse de arma proibida.

Espancamento de Ihor Homenyuk durou 20 minutos

O Expresso teve acesso à acusação do Ministério Público, que detalha que a entrevista ao imigrante ucraniano, que chegou a Portugal no dia 10 de março, foi feita por um inspetor que não falava a língua e por uma colega que fala ucraniano mas não está habilitada para fazer traduções.

Ihor Hamenyuk foi impedido de entrar em território nacional porque terá dito que queria trabalhar e não tinha visto para tal. No entanto, o procurador Óscar Ferreira considera que existem “sérias dúvidas” de que o ucraniano tenha, de facto, dito que vinha trabalhar.

Depois de ter regressado do hospital, por causa de um falso ataque epiléptico, Ihor recusou-se a apanhar um avião de volta a Istambul, de onde tinha vindo, e foi para o Centro de Acolhimento Temporário do SEF. Aí, foi algemado por inspetores do SEF e isolado na sala Médicos do Mundo.

Um enfermeiro administrou-lhe calmantes, mas, quando acordou, estava novamente agitado. “Sem terem autorização para tal“, dois seguranças da PRESTIBEL ataram-lhe as pernas e os braços com fita adesiva e chamaram inspetores do SEF, que substituíram a fita por lençóis. O MP diz que isto “aumentou o estado de ansiedade de Ihor”.

Às 8h15 do dia 12 de março, os inspetores do SEF dirigiram-se à sala, voltaram a algemar Ihor e “desferiram no corpo do ofendido número indeterminado de socos e pontapés”. “Também com um bastão extensível, continuaram a desferir pontapés e várias pancadas” enquanto “aos gritos lhe exigiam que ficasse quieto”.

De acordo com o Expresso, o espancamento durou vinte minutos. O MP diz que o “temor reverencial” dos seguranças impediu que a situação fosse imediatamente denunciada.

Às 16h43, dois inspetores do SEF foram à sala para tentar que Ihor embarcasse noutro voo, mas encontraram-no sem reação. “Decorridas algumas horas”, o INEM foi chamado e o óbito declarado às 18h40.

A autópsia dá conta de que Ihor morreu por causa de inúmeras lesões traumáticas e hemorragias internas “provocadas pelas agressões” dos três inspetores. O MP acusa-os de homicídio qualificado por considerar que se conformaram com as possíveis consequências fatais das agressões.

A pena para este tipo de crime é de 25 anos de prisão, o máximo previsto na lei.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Há por ai demasiados vigilantes nos supermercados e outros locais armados em palhaços. Quando começarem a levar chumbo também ficam mais calmos

    • Realmente é verdade, o poder sobe-lhes à cabeça. Só porque têm um distintivo e licença de porte de arma julgam-se uns deuses, no fundo no fundo são uns ignorantes. Graças a Deus que não são a maioria caso contrário isto estava mesmo muito mal.

  2. Nem há espaço suficiente nos comentários para descrever a quantidade de crimes cometidos pelas criaturas do SEF e PRESTIBEL. Quererem enviá-lo embora sem terem uma razão legalmente válida para tal é logo à partida muito suspeito. Para além disso nenhuma das criaturas tinha qualificações para saber o que se passava com o Ucrâniano e até o enfermeiro que lhe administrou calmantes sem saber sequer se realmente o poderia fazer (pois a condição médica do referido Ucrâniano pelos vistos não era conhecida – há pessoas a quem alguns tipos de calmantes podem provocar ataques ou até funcionar ao contrário). Por fim a violência digna de um país sub-desenvolvido mostra que o SEF do aeroporto e a PRESTIBEL precisam de ser urgentemente investigados relativamente a todos os casos recentes ligados a todos os envolvidos neste episódio. Mostra igualmente que o SEF precisa de ser vigiado mais de perto pois estou certo de que se isto aconteceu haverão muitos casos de outros “Ucrânianos” que são espancados até aceitarem sair do país, mesmo que legalmente não tivessem obrigados a sair do nosso país (como era aqui o caso). Ao serem enviados para outro lado com eles vão as provas dos crimes de espancamento cometido. Quantos serão? Dezenas? Centenas? Milhares? Onde estão os outros Ihor que sobreviveram até hoje? Onde estão os outros Ihor que sobreviveram a viagem de regresso para morrer em outro país com as hemorragias internas?

"Charlie" é o robô peixe-gato da CIA que permitiu pesquisas subaquáticas (e já realizou missões secretas)

De várias formas e tamanhos, os robôs têm sido sido muitas vezes usados por muitas entidades para trabalhos de pesquisa e investigação. A CIA não é exceção e por isso desenvolveu um peixe robótico chamado …

Possível obra de Banksy surge na parede de uma famosa prisão. Pode representar Oscar Wilde

Um graffiti possivelmente pintado pelo famoso artista de rua Banksy apareceu durante a noite no lado de fora de uma parede da prisão de Reading, no Reino Unido. Na madrugada desta segunda-feira, a obra foi avistada …

Na tentativa de tirar a selfie perfeita com um elefante, indiano acaba morto pelo animal

No passado domingo, dia 28 de fevereiro, um homem de 21 anos morreu enquanto tentava tirar uma selfie com um elefante. O animal andou a pairar por zona residencial e anteriormente já tinha matado uma …

Milhares de professores vacinados antes de médicos. Presidente do México acusado de fazer política com a vacinação

Milhares de professores do ensino público que lecionam nas zonas mais rurais do México foram vacinados contra o novo coronavírus antes dos profissionais de saúde que combatem a pandemia na mesma região. De acordo com …

Passageiros com documentos e teste de covid-19 falsificados detetados pelo SEF

O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) deteve, no domingo, no Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, três cidadãos portadores de documentação falsa, dois dos quais na partida de um voo com destino à República da …

Coronadiktatur, Gesichtskondom, Fussgruss. Os alemães inventaram milhares de palavras novas sobre a pandemia

O confinamento de quase quatro meses na Alemanha não colocou restrições ao seu idioma de palavras multissilábicas. Os alemães inventaram mais de 1.200 novas palavras para descrever as regras e realidades da vida em tempo …

Ordem coordena vacinação de 4000 médicos "deixados para trás"

A Ordem dos Médicos vai vacinar cerca de quatro mil médicos que trabalham em hospitais e clínicas privadas e que, por algum motivo, não foram vacinados na altura devida. De acordo com um comunicado da ordem, …

A mais recente turbina eólica chama-se Wind Catcher e é portátil

Uma empresa dinamarquesa decidiu inovar e desenvolver uma turbina eólica portátil. O Wind Catcher é mais leve, mais poderoso e mais fácil de usar do que qualquer outro sistema de energia eólica no mercado. O Wind …

Spike Lee vai produzir série documental para o 20.º aniversário dos atentados de 11 de setembro

O realizador Spike Lee está a preparar uma série documental para estrear no 20.º aniversário dos atentados do 11 de Setembro, um "retrato sem precedentes" dos nova-iorquinos e da capacidade de recuperação depois da destruição …

Guru de investimentos, Warren Buffett, assume ter cometido um "erro"

O bilionário norte-americano Warren Buffett, considerado o "guru" dos mercados de investimento, assumiu ter cometido um erro quando adquiriu, em 2016, a Precision Castparts por 32,1 mil milhões de euros. Na carta que escreve anualmente para …