Trabalhadora do Pingo Doce terá sido impedida de ir à casa de banho (acabou por urinar na caixa)

Pingo Doce

Uma funcionária de um hipermercado Pingo Doce terá solicitado, por várias vezes, para ir à casa de banho, sem ter sido autorizada para isso, o que a levou a urinar-se no posto de trabalho. Uma denúncia do Sindicato dos Trabalhadores do Comércio e Serviços que o Pingo Doce nega.

O caso aconteceu no espaço do Pingo Doce da Bela Vista, em Lisboa, onde “a repressão a que os trabalhadores são submetidos pela responsável de loja tem dado azo a muitas situações humilhantes“, denuncia o Sindicato dos Trabalhadores do Comércio e Serviços (CESP).

No caso desta última trabalhadora, o seu pedido “para ser substituída na caixa, para poder ir comer e usar a casa de banho, foi sucessivamente negado, acabando por urinar no posto de trabalho”, refere o CESP.

O Sindicato acrescenta que “já exigiu à Jerónimo Martins, empresa proprietária do Pingo Doce, que tome medidas em conformidade com a gravidade desta situação“.

Fonte oficial da Jerónimo Martins refere ao Notícias ao Minuto que o Pingo Doce procurou “apurar os factos”, concluindo que “não existe conhecimento deste caso nem da parte das chefias nem da parte dos colaboradores”.

Assim, o Pingo Doce não vê “qualquer fundamento” na denúncia do Sindicato e alega que, além dos tempos de descanso legais que estão previstos, ainda concede aos seus funcionários “tempo de pausa extra durante a jornada de trabalho”.

Já o Sindicato acusa o Pingo Doce de fomentar um “clima de intimidação, sentido na generalidade das lojas”, revelando que lhe chegam “várias queixas de episódios igualmente lamentáveis um pouco por todo o país”.

“Os trabalhadores do Pingo Doce recebem pouco acima do salário mínimo nacional mas são obrigados a horários longos e completamente desregulados e a ritmos de trabalho intensíssimos”, acusa ainda o CESP.

A dirigente do Sindicato, Luísa Alves, relata ao Notícias ao Minuto que no Pingo Doce da Bela Vista impera um ambiente de “grande repressão” que considera “inaceitável”. “Não estamos no século passado”, lamenta.

A sindicalista refere ainda que muitos dos trabalhadores das caixas daquele espaço “são obrigados a estar o dia todo de pé” porque as cadeiras, com mais de 20 anos, não estão em boas condições. “A maioria está partida”, alega Luísa Alves, referindo que a empresa “fez ouvidos moucos” das queixas que lhe foram apresentadas sobre este assunto.

ZAP //

PARTILHAR

7 COMENTÁRIOS

  1. O tempo da escravatura voltou. FAlta pouco p/ se pagar p/ trabalhar. Haja decência, respeito p/ c/ os trabalhadores – quando não o há pouco ou nada há a fazer.

  2. Não me revejo nas atitudes desta empresa que além de preferir pagar os seus impostos no estrangeiro, ainda tem a lata de extorquir os trabalhadores e tratá-los desta forma…
    Para mim o Pingo Doce nunca mais….!!!!!!!!!
    ACABOU!

  3. E acho que a senhora fez muito bem. Pena é ter apenas vontade de urinar. Isso é que é pena.
    Recuso-me a fazer compras no pingo triste

  4. É inadmissível que uma situação destas aconteça em qualquer posto de trabalho e mais ainda num posto de atendimento ao público.
    Jamais voltarei a fazer compras no Pingo Doce.
    Vale o que vale.
    Muitas gotas de água fazem um oceano.
    Um sorriso e um abraço de carinho à funcionária que foi obrigada a passar por uma situação tão indigna em frente dos seus colegas, amigos e clientes.

RESPONDER

Parker Solar Probe lança nova luz sobre o Sol

Em agosto de 2018, a Parker Solar Probe da NASA foi lançada para o espaço, tornando-se pouco tempo depois a sonda mais próxima do Sol. Com instrumentos científicos de ponta para medir o ambiente em …

Encontrado no mar das Malvinas navio alemão da I Guerra Mundial 105 anos depois de naufragar

O naufrágio de um cruzador alemão da I Guerra Mundial foi identificado nas Ilhas Malvinas, onde foi afundado pela Marinha britânica há 105 anos. O SMS Scharnhorst foi o principal ativo da esquadra alemã na Ásia …

Boavista 1-4 Benfica | Águia goleia no xadrez do Bessa

O Benfica deu o pontapé de saída da 13ª jornada com uma vitória competente na visita ao Boavista, por 4-1. Num jogo potencialmente perigoso para as aspirações “encarnadas”, frente a um adversário com somente uma derrota …

Cientistas desenvolvem técnica para determinar o humor através da caligrafia

Uma equipa de cientistas estudou a biomecânica dos movimentos das mãos a escrever e a desenhar, e desenvolveu um método para avaliar as propriedades individuais da velocidade de escrita e da pressão do lápis no …

Quase seis mil denúncias de agressões sexuais em viagens da Uber nos EUA

A plataforma de transporte de passageiros Uber divulgou na quinta-feira um relatório, revelando quase seis mil denúncias de agressões sexuais a utilizadores, motoristas e terceiros nos Estados Unidos (EUA), em 2017 e 2018. No relatório de …

Polícia de Los Angeles vai usar dispositivo "ao estilo Batman" para prender suspeitos

A polícia de Los Angeles, nos Estados Unidos, vai adotar, no início do próximo ano, um novo dispositivo, conhecido como BolaWrap 100, que dispara um cinto de fibra sintética a uma velocidade de 200 metros …

Corriere dello Sport defende-se das acusações e garante ser "inimigo do racismo"

O jornal desportivo italiano Corriere dello Sport afirmou esta sexta-feira ser “inimigo do racismo”, defendendo-se das críticas motivadas pela manchete de quinta-feira, com o título “Black Friday” e ilustrada com os futebolistas negros Romelu Lukaku …

Alisadores e tintas para cabelo podem aumentar o risco de cancro da mama

Alisadores e tintas para cabelo são dois produtos comummente utilizados por mulheres. Um novo estudo sugere que estes podem aumentar o risco de cancro da mama, especialmente em mulheres negras. Muitos produtos capilares contêm compostos que …

Black Friday. Marca de cosméticos oferece por engano desconto de 96% e perde 10 milhões em duas horas

Uma falha no site oficial da marca de produtos cosméticos Foreo fez com que o seu artigo mais caro fosse vendido com um desconto de 96%, fazendo com que a empresa sueca perdesse 10 milhões …

Camisola usada por Pelé no seu último jogo foi vendida por 30 mil euros em leilão

Uma camisola usada por Pelé no seu último jogo com a seleção brasileira foi vendida por 30 mil euros num prestigiado leilão de objetos desportivos, realizado na quinta-feira em Turim, Itália. A camisola com o número …