Petição tenta travar exploração de petróleo no Algarve

carlosoliveirareis / Flickr

-

Uma petição lançada por uma associação do Algarve contra a prospeção e exploração de petróleo e gás natural ao largo da costa da região, com início previsto ainda para este ano, recebeu já mais de quatro mil assinaturas.

“Um desastre de petróleo ou gás vai deixar a nossa flora e a fauna marinhas totalmente vulneráveis e até desfeitas perante os efeitos tóxicos” daqueles produtos, disse à agência Lusa a diretora executiva da Algarve Surf and Marine Activities Association (ASMAA), Laurinda Seabra, alertando para um impacto negativo na economia regional, nomeadamente nos setores da pesca e do turismo.

Na petição, o grupo constituído por 50 voluntários apela aos titulares das licenças de petróleo e gás para investirem em processos de energia alternativos e pede ao Governo português que renegocie os contratos.

A ASMAA alerta para os riscos existentes em todo o processo, desde os riscos para o ecossistema marinho, o facto da área escolhida para a prospeção ter uma permanente atividade sísmica e os riscos de acidente durante as perfurações de prospeção ou de extração de gás natural ou petróleo.

“De acordo com o que estudei, não há indícios diretos de hidrocarbonetos na Bacia Algarvia”, disse à agência Lusa o geólogo Paulo Fernandes da Universidade do Algarve, acrescentando que uma das empresas detentoras de licença de prospeção, o contactou no ano passado para aceder aos estudos que produziu.

Processos geológicos

Com trabalhos publicados sobre bacias sedimentares e a exploração de hidrocarbonetos na costa algarvia, aquele investigador contou que “para se formar um jazigo de hidrocarbonetos é necessário que haja um conjunto encadeado e feliz de processos geológicos durante o tempo geológico, milhares a milhões de anos”.

Um dos processos depende da temperatura que os sedimentos alcançaram durante a fase de soterramento, explicou o investigador, acrescentado que os hidrocarbonetos só se podem formar num intervalo restrito de temperaturas.

“Os meus trabalhos indicam que durante a fase de soterramento foram alcançadas temperaturas capazes de gerar hidrocarbonetos, mas este não é o único parâmetro necessário para a formação de um jazigo”, adiantou Paulo Fernandes, acrescentando que seria necessário ter mais informação sobre os processos seguintes.

Laurinda Seabra disse que o grupo quer reunir entre 30 a 100 mil assinaturas até agosto e pretende levar o tema a debate na Assembleia da República e na Comissão Europeia, exigir estudos de impacte económico, social e ambiental sobre a exploração de petróleo e gás natural na costa algarvia, promover a discussão pública nos concelhos algarvios e um referendo junto da população.

Além da petição, o grupo pretende sensibilizar a população com campanhas, como a que vai promover entre 15 e 20 de abril em vários concelhos da região, e tem tentado reunir com as empresas detentoras de licenças de prospeção.

A exploração petrolífera no Algarve tem sido contestada e mereceu já intervenções do grupo parlamentar do PCP e do deputado Mendes Bota (PSD) que, além dos riscos ambientais, criticou a falta de contrapartidas financeiras e a ausência de discussão pública.

Em 2012, o Ministério da Agricultura e Pescas respondeu ao grupo parlamentar do PCP que a prospeção prevista vai desenvolver-se “para além das 12 milhas marítimas e entre 400 e 600 metros de profundidade, área não abrangida pela Rede Natura 2000 e Reserva Ecológica Nacional” e que as quantidades previstas de extração não obrigam a uma Avaliação de Impacte Ambiental.

/Lusa

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. A sanha de lucro e oportunidades de negociatas, não vai ficar insensível á ganância dos politico/partidários,onde saltitam agentes a soldo dos famigerados “mercados

  2. “Petição tenta travar exploração de petróleo no Algarve” que tristeza, os países que exploram petróleo estão todos MUITO POBRESINHOS COITADOS, Portugal sim um país rico … nem em juízo o é, neste assuntos notasse essa esperteza.

RESPONDER

Desagravou-se a seca no país, mas Algarve mantém seca extrema

24,5% do continente estava em seca fraca, 23,8% em chuva fraca, 23,3% em seca moderada e 10,9% em seca severa. Sotavento algarvio manteve-se em situação de seca extrema. Portugal continental registou em novembro um desagravamento da …

Procurador do MP investigado por ajudar traficante a fugir da prisão

Carlos Figueira, procurador do Ministério Público de Lisboa, está a ser investigado pela Polícia Judiciária por corrupção. O magistrado é suspeito de ter ajudado um traficante a fugir da prisão. Um procurador do Tribunal de Execução …

Refugiados em greve de fome por falta de condições em campo bósnio

Centenas de refugiados de um campo improvisado em Vucjak, na Bósnia, estão em greve de fome pelo segundo dia consecutivo para protestar contra a situação degradante em que se encontram. Os refugiados no campo improvisado …

Ex-aliada de Bolsonaro denuncia grupo difusor de notícias falsas ligado ao Presidente

A deputada brasileira Joice Hasselmann, ex-líder do Governo de Jair Bolsonaro no congresso, denunciou na quarta-feira a atuação de um grupo difusor de "fake news" (notícias falsas) ligado ao atual Presidente, Jair Bolsonaro, e que …

Banco BiG: EUA e China vão chegar a acordo, mas não será duradouro

No "Outlook" para 2020, os analistas do banco BiG defendem que será improvável que Estados Unidos e China cheguem a um consenso suficiente para reverter as taxas aduaneiras impostas. De acordo com os analistas do banco …

Alemanha expulsa dois diplomatas russos. Rússia vai tomar medidas

Dois diplomatas russos, acusados pelo Ministério Público alemão de falta de cooperação na investigação de um homicídio, foram expulsos da Alemanha. A Rússia já reagiu e avisou que tomará medidas. Esta quarta-feira, a Alemanha expulsou "com …

Segurança Social demora quase cinco meses a pagar pensões

Em 2018, os beneficiários da Segurança Social tiveram de esperar, em média, 147 dias - cerca de cinco meses -, entre o dia que se aposentaram e o momento que começaram a receber a pensão …

Empresas fechadas e 28 mil despedimentos. Setor têxtil pode atravessar crise

Até 2025, a indústria têxtil em Portugal pode ver um terço das empresas a fecharem e 28 mil trabalhadores a serem despedidos. Este é o pior cenário equacionado no setor nos próximos anos. O setor da …

Ministério Público arquiva queixa de Aguiar-Branco contra Ana Gomes por difamação

Aguiar Branco tinha levantado um processo de difamação a Ana Gomes por declarações sobre alegadas ligações entre o seu escritório de advogados e o grupo Martifer. O Ministério Público (MP) arquivou a queixa apresentada pelo ex-ministro …

66 louvores a funcionários. Centeno é o ministro mais "agradecido" de todo o Governo

Mário Centeno e os seus secretários de Estado publicaram em Diário da República 66 louvores. O seu gabinete garante que não há qualquer significado político associado - nem mesmo uma despedida anunciada. O louvor é dado …