Ordens do médico. A Peste Negra mudou os hábitos de beber álcool

O projeto Intoxicating Spaces tem explorado a forma como as pandemias influenciaram o uso de intoxicantes, incluindo padrões de consumo de álcool, no passado.

As mortes por álcool na Inglaterra e no País de Gales em 2020 foram as mais altas em 20 anos. Os dados da Public Health England sugerem que a pandemia de covid-19 é, pelo menos parcialmente, responsável pelo aumento. A interrupção das rotinas de trabalho e sociais levou a uma onda de consumo de álcool perigoso dentro de casa.

Segundo o projeto Intoxicating Spaces, os sucessivos surtos de Peste Negra que atingiram Inglaterra, especialmente Londres, no século XVII (1603, 1625, 1636 e 1665) causaram mudanças semelhantes nos hábitos de beber das pessoas.

Como hoje, os surtos repentinos e assustadores de doenças restringiram o acesso a pousadas, tabernas, cervejarias e outros locais públicos para beber – os pilares da sociabilidade dos primeiros tempos modernos.

Uma medida de 1665 em Londres, por exemplo, identificou “bebericar em tabernas, cervejarias, cafés e adegas” como “a maior ocasião para dispersar a peste” e impôs o recolher obrigatório às 21h.

É difícil determinar até que ponto essas regras alteraram a relação das pessoas do século XVII com o álcool. Porém, as evidências sugerem que pode ter ocorrido uma mudança em que se começou a beber em casa.

Numa meditação de 1722 sobre o surto de Londres de 1665, “Preparativos para a Peste”, Daniel Defoe contou a história de um dono de uma mercearia de Londres que voluntariamente se isolou com a sua família durante a pandemia. Entre as provisões que reuniu estavam 12 barris de cerveja, tonéis com quatro variedades de vinho; 16 galões de conhaque; e “muitos tipos de águas destiladas”.

Segundo Defoe, eram “suprimentos necessários” porque, naquele período, pensava-se que o álcool tinha valor medicinal e o seu consumo moderado durante os surtos de peste era ativamente encorajado.

Ordem do médico

Os médicos acreditavam que o álcool funcionava como prevenção para a peste.

Em primeiro lugar, acreditava-se que o consumo de cervejas, vinhos e destilados fortalecia os principais órgãos de defesa do corpo, o cérebro, o coração e o fígado. Eram especialmente benéficos quando tomados no início da manhã.

No seu tratado sobre a peste de 1665, “Medela Pestilentiae”, o escritor médico Richard Kephale afirmou que é bom “beber meio litro de maligo [vinho de Málaga ou porto] pela manhã contra a infeção”.

Além disso, acreditava-se que o álcool afastava os estados mentais de medo que induziam a melancolia – terminologia moderna inicial para depressão -, que tornava as pessoas mais vulneráveis ​​a contrair a peste.

Segundo Defoe, o stock de bebidas alcoólicas do dono da mercearia não era para “alegria ou bebedeira” dele e da família, mas sim “para não deixar os seus espíritos afundarem ou ficarem abatidos, como em tais ocasiões melancólicas deveriam fazer”.

O médico William Simpson, no seu tratado sobre a peste de 1665, “Zenexton Ante-Pestilentiale”, defendeu “beber bebidas alcoólicas boas e saudáveis” para “alegrar o coração” e “causar alegria”. Isso baniria “muitas ideias enormes de medo, ódio, ansiedade, tristeza e outros pensamentos desconcertantes” e “fortaleceria o bálsamo da vida”.

O ponto-chave era o álcool ser “moderadamente ingerido”. Beber em excesso, a ponto de ficar embriagado, era advertido e “viver com temperança com uma dieta boa e generosa” permanecia como base para a maioria dos remédios contra a peste.

No entanto, é provável que a interrupção dos padrões de trabalho e lazer, juntamente com as ansiedades diárias de viver numa cidade assolada pela peste, terá levado muitos aos consolos psicológicos da garrafa de uma forma mais perigosa e habitual.

 

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Sabe-se que o consumo do álcool também aumentou desde a consolidação da pandemia do Covid-19. No Brasil há informações de que a epidemia de gripe espanhola, entre o final de 1918 e o início de 1919, provocou a invenção da famosa “caipirinha”, bebida em que entram aguardente (pinga), limão e açúcar. Acreditava-se que a bebida era eficiente contra o vírus.

RESPONDER

Duas novas espécies de mamíferos escavadores ancestrais descobertos na China

Uma equipa descobriu duas novas espécies de animais semelhantes a mamíferos que viveram em tocas há cerca de 120 milhões de anos no que hoje é o nordeste da China. A equipa de pesquisa foi liderada …

Uma criança com esta idade "não se veste sozinha". Especialistas estranham contornos do (des)aparecimento de Noah

Noah, o menino de dois anos que esteve 36 horas desaparecido em Proença-a-Velha, foi encontrado numa zona de mato, sozinho, "bem e vivo". Especialistas ficaram espantados e consideram os acontecimentos improváveis para uma criança tão …

Escalada de violência em Gaza. Israel volta a atacar em resposta a balões incendiários

Forças israelitas voltaram a quebrar o cessar-fogo e lançaram um ataque aéreo na Faixa de Gaza em resposta a balões incendiários lançados pelo Hamas. O cessar-fogo entre Israel e Hamas foi quebrado pela primeira vez na …

Os humanos estão a criar condições que podem iniciar uma nova pandemia

Os humanos estão a criar condições ambientais que podem levar a novas pandemias, indica um novo estudo da Universidade de Sydney. O novo estudo da Sydney School of Veterinary Science sugere que a pressão sobre os …

Governo aperta cerco, mas especialistas queriam mais. Desconfinamento pode estar em risco

Numa altura em que os números de casos diários não para de subir, a preocupação cresce. Apesar das novas medidas tomadas pelo Executivo na zona de Lisboa - a mais afetada do país - Portugal …

Guterres é hoje empossado para segundo mandato à frente da ONU. Marcelo estará presente

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, presta hoje juramento e toma posse para um segundo mandato durante uma sessão plenária da Assembleia Geral das Nações Unidas, em Nova Iorque. Desta forma, a …

Câmara de Lisboa proíbe instalação de ecrãs no espaço público durante Euro2020

A instalação de ecrãs no espaço público durante o período do Euro2020 não será autorizada pela Câmara Municipal de Lisboa, tendo em conta a situação pandémica, anunciou hoje o município. “A Câmara Municipal de Lisboa, tendo …

A sucção da tromba de um elefante é mais rápida do que a velocidade de um comboio-bala

Os elefantes conseguem sugar coisas a uma velocidade de 530 quilómetros por hora — mais rápido do que um comboio-bala japonês. A tromba dos elefantes é-lhes altamente útil, já que a usam tanto para comer como …

Mais de metade dos rios do mundo não flui todo o ano

Entre 51% e 60% dos 64 milhões de quilómetros de rios e riachos do planeta Terra não fluem periodicamente ou secam durante parte do ano. De acordo com a agência Europa Press, este é o resultado …

Astrónomos podem ter detetado as maiores estruturas giratórias do universo

Pela primeira vez, astrónomos acabam de encontrar evidências de que algumas das maiores estruturas do cosmos giram numa escala de centenas de milhões de anos-luz. A estrutura em questão é um filamento cósmico, uma estrutura longa …