Personalidades brasileiras, como o músico Chico Buarque, pedem destituição de Bolsonaro

Um grupo de artistas e intelectuais brasileiros pediu na terça-feira a destituição do Presidente, Jair Bolsonaro, num documento que vai ser entregue à Câmara dos Deputados do país por parlamentares da oposição.

Entre as personalidades que assinaram o documento estão artistas como Chico Buarque e Lucélia Santos, o ex-jogador de futebol Walter Casagrande e o ex-ministro Luiz Carlos Bresser-Pereira, noticiou a agência Lusa.

Representantes de movimentos sociais, de centrais sindicais e de partidos de oposição reuniram-se em frente ao Congresso brasileiro, na tarde de terça-feira, para divulgar as razões para o pedido de destituição de Bolsonaro.

O advogado Gustavo Ramos, que assina a petição, apresentou os eixos que compõem o documento: crimes de responsabilidade que teriam sido cometidos pelo Presidente contra o livre exercício de direitos políticos, sociais e individuais; contra a probidade da administração pública; ameaça a outros poderes; e crimes contra a segurança interna do país, relativamente à pandemia da covid-19.

“Por vezes, um desprezo absoluto à própria existência da pandemia, e por outras, a negação, a resistência, o boicote a medidas preventivas que seriam essenciais”, alegou o advogado, citado pelo portal de notícias da Câmara dos Deputados.

Entre os cidadãos que se manifestaram em frente ao Congresso estavam indígenas e membros do movimento LGBT. Durante o protesto foram erguidas faixas, bandeiras, cartazes e cruzes de madeira para lembrar os mais de 70 mil mortos devido à covid-19 no país. Na semana passada, o chefe de Estado confirmou estar infetado.

“Esperamos que o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, dê andamento a esse processo de destituição. Há mais de 50 pedidos, não é possível que nenhum tenha fundamento suficiente para ser aberto”, disse o deputado Carlos Zarattini, do Partido dos Trabalhadores (PT).

O mesmo portal de notícias indicou que já foram entregues 51 pedidos de destituição de Bolsonaro. De acordo com a lei brasileira, um pedido de destituição de um Presidente pode ser apresentado por organizações da sociedade civil, partidos políticos e até por cidadãos.

Para que esses pedidos avancem é necessária a aprovação do presidente da câmara baixa, que atualmente é o centrista Rodrigo Maia, que já disse várias vezes que esse assunto não pode ser discutido no meio da atual pandemia da covid-19.

Se Maia aprovar algum desses pedidos, em primeiro lugar seria formada uma comissão parlamentar para avaliar as acusações e, caso considerasse que havia razões para um julgamento político, este deveria ser aprovado em sessão plenária da Câmara dos Deputados por dois terços dos votos.

Nesse caso, Bolsonaro seria suspenso e substituído pelo vice-presidente, Hamilton Mourão, durante os 180 dias que duraria o processo de destituição, que seria realizado no Senado sob a supervisão do Supremo Tribunal Federal. Caso fosse considerado culpado, seria definitivamente destituído e Mourão concluiria o mandato, até 01 de janeiro de 2023.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

"Vacina deve ser um bem global de saúde pública". OMS critica "nacionalismo de vacinas"

A Organização Mundial de Saúde (OMS) criticou na quinta-feira o "nacionalismo de vacinas" para a covid-19, afirmando que qualquer país terá benefícios económicos e de saúde se o resto do mundo recuperar da pandemia. "O nacionalismo …

Depois da explosão, os protestos em Beirute. Manifestantes anti-Governo pedem mudança política urgente

Esta quinta-feira, dezenas de manifestantes foram dispersos com gás lacrimogéneo quando protestavam na sequência da explosão em Beirute, capital do Líbano, que provocou pelo menos 149 mortos, cinco mil feridos e a destruição de casas …

Em vez de flores, família de Fernanda Lapa pede donativos por Bruno Candé

A família da atriz, que faleceu esta quinta-feira, apela a que quem queira oferecer flores para o funeral faça antes um donativo para os herdeiros do ator Bruno Candé, que foi assassinado, em Lisboa. "A Família …

Orbán diz que todos os migrantes ilegais são potenciais "bombas biológicas"

O primeiro-ministro da Hungria, o ultranacionalista Viktor Orbán, defendeu esta sexta-feira que se deve impedir a chegada de imigrantes ilegais ao país porque estes são potenciais "bombas biológicas" devido à covid-19. Conhecido pelos seus discursos contra …

Donald Trump proíbe transações com empresa chinesa detentora do TikTok

Donald Trump assinou uma ordem executiva que proíbe as transações com a ByteDance no prazo de 45 dias e o Senado já aprovou o projeto de lei que proíbe o descarregamento e utilização da aplicação. …

Preocupado com os incêndios, Marcelo admite interromper férias. Ontem foi o pior dia

O Presidente da Repúblic disse esta quinta-feira que está a acompanhar a vaga de incêndios que assola o território continental e admitiu a possibilidade de interromper as férias no Porto Santo se a situação piorar. "É …

Portugal foi o "patinho feio", mas volta a estar em contraciclo com a Europa (por bons motivos)

Portugal destaca-se agora por apresentar uma tendência de redução de novos casos de infeção pelo novo coronavírus, ao contrário de outros países europeus. Quando o novo coronavírus começou a ganhar terreno no continente europeu, Portugal foi …

Kim Jong-un insiste que a Coreia do Norte travou o vírus, mas intensifica combate à covid-19

Kim Jong-un tem repetido várias vezes que a Coreia do norte "travou o vírus maligno", mas o reforço das medidas de combate à covid-19 e a canalização urgente de material médico e alimentos para Kaesong …

Novo Banco tinha autorização de Bruxelas para financiar venda de imóveis

A DG Comp da Comissão Europeia autorizou o Novo Banco a conceder crédito aos compradores do imobiliário vendido pela instituição. Quando o Novo Banco foi constituído, o acordo assinado entre a Direção Geral da Concorrência europeia …

Quase cinco meses depois, a Champions está de volta

A Liga dos Campeões é retomada esta sexta-feira, quase cinco meses depois da suspensão devido à pandemia de covid-19. Suspensa logo depois do jogo Leipzig-Tottenham, disputado a 11 de março, a prova milionária está de regresso …