Pegadas com 120 mil anos mostram por onde é que os humanos saíram de África

(h)

Uma equipa de investigadores encontrou centenas de pegadas na Arábia Saudita que podem retratar como é que os antigos humanos saíram de África para a Eurásia.

Há cerca de 120 mil anos, naquilo que hoje é o norte da Arábia Saudita, um pequeno grupo de homo sapiens parou para beber num lago raso que também era frequentado por camelos, búfalos e elefantes maiores do que qualquer espécie vista hoje. Possivelmente, os humanos caçaram os animais, mas a sua estadia não foi longa.

Este é o cenário pintado por um conjunto de pegadas humanas e de animais encontradas no deserto de Nefude, na Arábia Saudita. O comportamento deste humanos ancestrais foi reconstruido por uma equipa de investigadores e os resultados do estudo foram publicados, na semana passada, na revista científica Science Advances.

A investigação mostra uma possível rota usada pelos nossos ancestrais à medida que saíam do continente africano, escreve a Phys.

Hoje, a Península Arábica é uma vasta região árida, deserta e praticamente inóspita. No entanto, nem sempre foi o caso, revelam os autores do estudo. Devido às alterações climáticas, outrora, a Península Arábica era muito mais verdejante e húmida.

“As pegadas são uma forma única de evidência fóssil, pois fornecem retratos no tempo, normalmente representando algumas horas ou dias, uma resolução que dificilmente obtemos de outros registos”, explica o autor do estudo, Mathew Stewart, do Instituto Max Planck.

No total, sete das centenas de pegadas descobertas foram identificadas como pertencentes a hominídeos, incluindo quatro que, devido à orientação semelhante, distâncias entre si e diferenças de tamanho, foram interpretadas como dois ou três indivíduos a viajarem juntos.

“Sabemos que humanos estavam a visitar este lago ao mesmo tempo que os animais e, incomum para a área, não há ferramentas de pedra”, salientou Stewart, o que indicaria que os humanos teriam feito um assentamento de longo prazo lá. Assim, sabe-se que passagem pelo lago foi curta, provavelmente para apenas recolherem mantimentos.

A presença de elefantes também comprova a ideia de que haveria recursos abundantes de água e vegetação, ao contrário dos dias de hoje.

Os cientistas já sabiam que os primeiros humanos se espalharam para a Eurásia através do sul da Grécia e do Levante. Esta nova investigação mostra que os humanos podem ter também optado por “rotas interiores, seguindo lagos e rios”.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

RESPONDER

"DeepNude". Inteligência Artificial "tirou a roupa" a mulheres nas redes sociais

A empresa de informação Sensity alertou que mais de 100 mil imagens foram carregadas para um canal de Telegram onde um bot "tirou a roupa" de mulheres. A empresa de segurança Sensity revelou recentemente que existe …

Poluição atmosférica "custa" a cada citadino europeu 1.276 euros por ano

A poluição atmosférica "custa" 1.276 euros por ano a cada cidadão europeu residente em cidades, de acordo com um estudo da Aliança Europeia de Saúde Pública (EPHA) divulgado esta quarta-feira. O estudo chegou ao valor médio …

"Emergência arqueológica". O degelo dos Alpes está a "libertar" artefactos escondidos há milhares de anos

As alterações climáticas podem estar a ajudar os arqueólogos a encontrar artefactos escondidos nos glaciares do Alpes há milhares de anos. O derretimento dos glaciares dos Alpes está a "liberta" objetos que permaneceram congelados no tempo …

Thermite RS3 é o primeiro robô de combate a incêndios dos EUA (e está pronto a entrar ao serviço)

O Corpo de Bombeiros de Los Angeles, nos Estados Unidos, deu as boas-vindas ao mais recente membro da equipa: um bombeiro robótico. O Thermite RS3 é um rover de controlo remoto capaz de bombear milhares de …

Inventor dinamarquês que matou jornalista no seu submarino escapou da prisão (mas já foi apanhado)

O inventor dinamarquês Peter Madsen, condenado a prisão perpétua por torturar e assassinar a jornalista sueca Kim Wall, fugiu da prisão esta terça-feira.  As autoridades dinamarquesas capturaram-no minutos depois. Peter Madsen, o dinamarquês condenado a prisão …

Molécula descoberta por menina de 14 anos pode levar a uma cura para a covid-19

A jovem norte-americana de 14 anos, Anika Chebrolu, descobriu uma molécula que pode levar a uma potencial cura para a covid-19. Enquanto cientistas dos quatro cantos do mundo trabalham no desenvolvimento de uma vacina para a …

Cerca de 1.300 reclusos fogem de prisão no Congo após ataque do Estado Islâmico

Cerca de 1.300 reclusos escaparam de uma prisão na República Democrática do Congo na manhã de terça-feira, após um ataque reivindicado pelo Estado Islâmico, informou a Organização das Nações Unidas (ONU). Embora as autoridades locais tenham …

Amesterdão vai usar flores para impedir que os ciclistas estacionem bicicletas nas pontes

A cidade conhecida pelo uso de bicicletas, vai agora tomar uma medida em relação ao estacionamento destas nas pontes. Tudo para proteger as vistas para os seus famosos canais. Amesterdão orgulha-se de ser uma das cidades …

Morreu voluntário envolvido no ensaio da vacina de Oxford. Tinha 28 anos e era médico recém-formado

As autoridades de saúde brasileiras divulgaram esta quarta-feira a morte de um voluntário dos testes da vacina contra a covid-19, desenvolvida pelo laboratório AstraZeneca e pela Universidade de Oxford. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), …

Milo, o "comunicador de ação" que permite conversar em grupo durante atividades ao ar livre

Chegou o Milo, o novo aparelho que vai revolucionar as aventuras em grupo. Este pequeno dispositivo permite-lhe conversar com o seu grupo à distancia sem precisar de levar o smartphone para o meio da montanha, …