Passou esta noite junto à Terra um asteróide de 4,9 biliões de… euros

Passou próximo da Terra este domingo a mais descomunal pepita conhecida no Mundo. O asteróide 2011 UW-158, descoberto pelo Observatório de Arecibo, em Porto Rico, é composto essencialmente por platina e outros metais preciosos, com um valor estimado de quase 5 biliões de euros.

Segundo o Business Insider, o valor bruto estimado das toneladas de platina e outros metais preciosos do 2011 UW-158 será de, no mínimo, 276 mil milhões de euros. As estimativas mais optimistas, no entanto, apontam para um valor de 4,9 biliões de euros.

A composição do asteróide, com cerca de 457 metros de comprimento, foi calculada pelos astrónomos com a ajuda de espectrómetros, que medem a intensidade da luz reflectida de um objecto.

No momento da sua maior aproximação à Terra, cerca das 22 horas deste domingo, o 2011 UW-158 encontrava-se a apenas 2.214.016 quilómetros  – sensivelmente 6 vezes a distância da Lua ao nosso planeta, e 30 vezes mais perto do que Vénus, o planeta mais próximo da Terra.

O asteróide não foi visível a olho nu, mas o Slooh Community Observatory, um projecto que liga uma rede de telescópios à internet para acesso livre do grande público, transmitiu em directo imagens da sua passagem.

Segundo o astrónomo Bob Berman, do Slooh, “é sempre divertido ver passar um asteróide tão perto da Terra”.

“Mas o que torna este asteróide invulgar”, diz Berman, citado pelo Mirror, “é a enorme quantidade de platina que se crê que existe na sua composição. Talvez um dia, num futuro não muito longínquo, a possamos minerar”.

Infelizmente, a ciência ainda não encontrou forma de viabilizar a exploração de minério nos corpos celestes. A maior pepita do Mundo continua fora do nosso alcance.

Conceito artístico de um astronauta a recolher amostras de minério de um asteróide

Astronauta a recolher amostras de minério de um asteróide (conceito artístico NASA)

Mas ao que parece, a ideia nem é de todo descabida. Segundo o space.com, a NASA está a planear, antes de 2025, lançar uma nave não tripulada com a missão de capturar um asteróide e estacioná-lo em órbita da Lua, para permitir a sua mineração.

E em julho, a Planetary Resources, empresa privada fundada precisamente com o objectivo de explorar comercialmente asteróides e outros corpos celestes, lançou com sucesso a A3R, a sua primeira nave espacial de testes.

Mais uma prova de que por vezes a realidade ultrapassa tudo o que os mais criativos autores de ficção científica conseguem imaginar.

AJB, ZAP

PARTILHAR

9 COMENTÁRIOS

  1. “Mais uma prova de que por vezes a realidade ultrapassa tudo o que os mais criativos autores de ficção científica conseguem imaginar.”

    Quem escreveu isto, nunca leu FC… faça favor de se actualizar. Pode começar com alguns dos nomes clássicos, Isac Assimov, Arthur C Clark, E.E. Doc Smith, Stanislaw Lem… e já tem muito para se entreter.

    • Caro Valco, obrigado pelo seu oportuno comentário.
      Por acaso, passei a adolescência a devorar E.E.Doc Smith, e Clarke, e Asimov, e K.Dick, e Le Guin e Silverberg, e Heinlein, o maior deles todos, e muitos outros (e não, Lem nem por isso, desculpe), e já agora Verne, o velho Verne.
      Mas às vezes a realidade ultrapassou-os e foi muito além do que sonharam.
      Por exemplo, Clarke até inventou o satélite, mas nunca adivinhou algo parecido com a Internet. A rede de comunicações do ano 3000 de Asimov tinha coisas parecidas com “máquinas de escrever com écrans” a enviar telexes.
      Nenhum adivinhou que um dia haveria algo tão brutal, com as características desta nossa internet – nem sequer o visionário Neuromancer de Gibson, publicado a bem poucos anos do seu advento, andou lá perto.

  2. Eu por acaso esta noite senti uma forte corrente de ar que deveria ter sido então o astroide a passar, se soubesse de antemão uma vez que passou assim tão perto tinha-lhe deitado a mão e estacionava-o aqui no meu quintal e estava agora riquíssimo.

  3. Quero apenas saudar o ZAP por estar a usar correctamente a diferença entre milhares de milhões e biliões em português de Portugal, algo que se vai tornando cada vez mais raro.

    PS: excelente notícia e texto. Obrigado.

    • Embora esteja correcto o que refere, o uso generalizado de biliões para referir milhares de milhões – veja-se as audições do caso BES e os bis (um pouco de humor…) – leva a que ao ler esta notícia eu tivesse dúvidas se estavam a falar de milhares de milhões ou de milhões de milhões. Parecia pouco ser milhares de milhões, mas fiquei com dúvidas. Talvez fosse melhor fazer como já tenho visto, indicar “biliões ou milhões de milhões”, pelo menos no início para esclarecer.

  4. Ok, leu E. E. Doc Smith… então não se lembra, algures nos primeiros livros da série “Lensman (As Lentes)” um pouco de prosa e aventura dos mineradores de asteroides, os mineiros do espaço… justamente a dica lançada neste texto. Ok, não se lembra, eu aceito…

    • Por acaso, Patrulha Galática foi mesmo o primeiro livro de ficção científica que li na vida. Lembro-me bem do Kimball Kinnison sem bracinhos…
      O facto de haver contos de FC com mineiros em asteróides não impede que considere que a realidade muitas vezes vai além da FC.
      Lembro-me de vários contos do Asimov com robots mineiros e seus respectivos psicólogos. Mas a NASA lançar uma nave robótica até um asteróide para o capturar e trazer até à Lua ultrapassa um bocadinho tudo o que li.

RESPONDER

ONU prepara projeto contra reconhecimento pelos EUA de Jerusalém como capital de Israel16

Um projeto de resolução contra o reconhecimento pelos Estados Unidos de Jerusalém como capital de Israel está a ser preparado na ONU para demonstrar o isolamento dos norte-americanos no Conselho de Segurança. Os Estados Unidos da …

Último aviso da Cassini: se for a Saturno, leve guarda-chuva

Se está a pensar fazer uma viagem até Saturno deixamos um conselho: não se esqueça do guarda-chuva. Cientistas norte-americanos descobriram recentemente que os anéis de Saturno podem produzir uma espécie de chuva. A sonda Cassini viveu …

A bebé que nasceu com o coração fora do corpo sobreviveu

Uma bebé que nasceu com o coração fora do peito superou as expectativas que lhe davam menos de 10% de possibilidades de sobrevivência, e ultrapassou três cirurgias para resolver esta rara condição cardíaca. Vanellope Hope Wilkins …

Vieira da Silva implicado no escândalo Raríssimas

Paula Brito e Costa quis criar uma fundação, com o intuito de reforçar os seus poderes na associação Raríssimas. O pedido teve um parecer negativo, mas isso não a impediu de assinar um protocolo como …

PS contraiu mais um empréstimo e já deve 9 milhões de euros à banca

O PS contraiu, há cerca de duas semanas, mais um empréstimo bancário para fazer face às dificuldades financeiras que vem atravessando. O partido tem uma dívida à banca que ronda os 9 milhões de euros. A …

Casa dos Marcos corre o risco de fechar por falta de acesso às contas bancárias

Os trabalhadores da "Raríssimas" avisam que a associação está em risco de fechar por falta de acesso às contas bancárias e apelam ao primeiro-ministro para que envie uma direção idónea para permitir o seu funcionamento. A …

Rui Rio recebe 21 mil euros por ano da Ordem dos Contabilistas

Desde 2013, Rui Rio recebeu 1500 euros brutos mensais como vice-presidente da Assembleia Geral da Ordem dos Contabilistas Certificados (OCC). Por ano, são 21 mil euros ilíquidos: é esse o valor que o candidato à presidência …

Médicos Sem Fronteiras falam em 9 mil rohingyas mortos em apenas um mês

Pelo menos nove mil rohingyas morreram no Estado de Rakhine, em Myanmar, entre 25 de agosto e 24 de setembro, segundo investigações dos Médicos Sem Fronteiras em acampamentos de refugiados no Bangladesh. "Como 71,7% das mortes …

MAI dá à PSP uma semana para avaliar riscos de segurança na noite

A PSP tem até ao próximo dia 20 para realizar uma avaliação dos incidentes registados nos últimos dois anos em estabelecimentos de diversão noturna. Segundo o Diário de Notícias, a ordem de Eduardo Cabrita terá sido …

Três semanas depois, ainda não há pedidos de indemnização por mortes em incêndios

Passaram quase três semanas desde a abertura do processo de entrega de requerimentos, mas a Provedoria da Justiça ainda não recebeu nenhum pedido. A presidente da Associação das Vítimas do Incêndio de Pedrógão Grande (AVIPG) explica …