Há um parasita de gato que pode tornar as pessoas mais empreendedoras

Um parasita que infeta cerca de 30% a 50% da população humana pode subtilmente levar as pessoas a criar os seus próprios negócios e fazer com que tenham menos medo de falhar.

Segundo o Live Science, o Toxoplasma gondii é um parasita protozoário que pode viver em muitos tipos de animais, embora só se possa reproduzir sexualmente no intestino de um gato doméstico ou selvagem.

Geralmente, os gatos expelem uma forma semelhante a um ovo do parasita nas fezes, enquanto que os ratos são infetados pelo contacto com o solo contaminado. Os parasitas reproduzem-se então assexuadamente no corpo do roedor, eventualmente entrando num estágio de ciclo de vida inativo no qual são conhecidos como bradizoítas – células dormentes encapsuladas em cistos no cérebro e noutros tecidos.

Os cistos manipulam o comportamento dos roedores para os seus próprios fins. Enquanto que os roedores normais evitam gatos, os ratos infetados com esta bactéria acabam por perder o medo dos predadores e alguns chegam mesmo a ficar atraídos pelo odor dos felinos.

Os seres humanos podem ser infetados através do contacto com fezes de gato ou por comer carne mal cozinhada. A doença é perigosa para pessoas com SIDA e, se uma mulher for infetada durante a gravidez, pode prejudicar o feto. No entanto, na maioria dos casos, o único efeito óbvio é uma doença semelhante à gripe. As pessoas admitem até que ficaram melhores, mesmo sem saber que os parasitas ainda se escondiam no corpo.

“Podem ser chamados de inativos mas estão definitivamente vivos”, diz Kevin Lafferty, um especialista do Serviço Geológico dos Estados Unidos da Universidade da Califórnia, que não esteve envolvido no estudo. “Os cistos podem estar aos milhões no cérebro e estão cheios de pequenos bradizoítas”.

Como os seres humanos são um beco sem saída para os parasitas, estes provavelmente não evoluíram para manipular especificamente o comportamento humano. No entanto, os cérebros humanos têm muitas semelhanças com os cérebros de ratos, por isso, os mesmos mecanismos que evoluíram para levar estes roedores aos gatos também podem ter algum efeito acidental em humanos.

De facto, há evidências de que infeções quiescentes ou “latentes” podem afetar a mente das pessoas. Outros estudos descobriram que pessoas infetadas são mais propensas a ter acidentes de trânsito, desenvolver esquizofrenia, abusar do álcool, cometer suicídio e tomar vários tipos de decisões arriscadas. A infecção também tem sido associada a certos traços de personalidade, incluindo violência doméstica e desrespeito pelas regras.

Pessoas mais empreendedoras?

As descobertas nem sempre são consistentes, logo, os investigadores mantêm a mente aberta. Porém, num novo estudo publicado no Proceedings of the Royal Society B, os cientistas argumentam que, se o Toxoplasma torna as pessoas mais propensas ao risco, essa tendência também se pode estender às decisões relativas a abrir uma empresa.

“Muitas pessoas têm ideias de negócio mas não lhes dão continuidade por causa do medo de fracassar”, explica Stefanie Johnson, psicóloga e professora de negócios da Universidade do Colorado e autora do estudo. “O que eu realmente espero que esteja a acontecer é que o parasita está apenas a reduzir o medo natural”.

Para testar esta hipótese, a equipa de investigadores analisou a saliva de quase 1.500 estudantes universitários e testou-a para os anticorpos do Toxoplasma. Uma vez que se pensa que o parasita permanece indefinidamente no corpo das pessoas, presume-se que as que parecem saudáveis e têm anticorpos contra o parasita têm infeções latentes.

Comparando com estudantes que não estavam infetados, os alunos infetados tinham cerca de 1,4 vezes mais hipóteses de ser bem sucedidos em negócios. As empresas de negócios infetados também eram 1,7 vezes mais prováveis do que as grandes empresas não infetadas para enfatizar a gestão e o empreendedorismo, em vez de campos mais seguros como, por exemplo, contabilidade.

De seguida, os cientistas analisaram a saliva de 197 pessoas que participavam em eventos de empreendedorismo, como encontros sociais e palestras em universidades. Todas demonstraram interesse em empreendedorismo apenas por aparecer nos eventos, mas as pessoas infetadas tinham 1,8 vezes mais hipóteses de realmente começar a sua própria empresa.

Finalmente, os investigadores usaram dados anteriormente recolhidos para comparar a infeção do parasita e o fenómeno do empreendedorismo em 42 países diferentes. As taxas de infeção variam em todo o mundo: cerca de 9% na Noruega e 60% no Brasil. Os pesquisadores descobriram que em países com altas taxas de infeção, as pessoas eram mais propensas a relatar que cuidavam dos seus próprios negócios ou planeavam iniciar um e com menos tendência a relatar que recaíam por medo de falhar.

“A relação entre a prevalência do Toxoplasma e a presença empreendedora no país é realmente profunda porque estamos a assumir que a existência de um parasita – um microorganismo – pode afetar a base económica de um país“, disse Johnson em declarações ao Inside Science.

ZAP //

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. “os ratos infetados com esta bactéria acabam por perder o medo dos predadores e alguns chegam mesmo a ficar atraídos pelo odor dos felinos.”
    Estes são aqueles que servem de alimento aos felinos.
    Os que os evitam são os que vivem.

  2. Primeiro de tudo, este parasita causa toxicoplasmose,uma doença grave, capaz de afetar a visão. Segundo, isto me parece propaganda para que as pessoas tenham gatos, parece que o estudo foi patrocinado pela Whiskas, que vende um quilo de ração mais caro do que um quilo de comida para gente.

    • ahahah! Exacto. E eu vou memso seguir isto e encher-me de gatos porque me apetece ter “acidentes de trânsito, desenvolver esquizofrenia, abusar do álcool, cometer suicídio, tomar vários tipos de decisões arriscadas [e] (…) traços de personalidade, incluindo violência doméstica”

  3. Meu Deus, tanta barbaridade junta!… A começar pela notícia em si…
    E aos comentadores, informem-se antes de dizer coisas estúpidas também: https://pt.wikipedia.org/wiki/Toxoplasmose
    Epidemiologia

    “Existe em todo o mundo. Mais de metade da população, mesmo em países desenvolvidos, tem anticorpos específicos contra o parasita, o que significa que está ou já esteve infectada (o que não significa que tenha tido a sintomatologia da doença, pode ter tido a infecção assintomática). O ser humano é infectado após ingerir oocistos expelidos com as fezes por gatos infectados, ou ao comer carne mal cozida de um animal que tenha ingerido o parasita de fezes de felídeos (ovelhas, vacas e porcos, tal como os humanos são infectados).

    Levando em conta também, que o modo de contaminação mais comum é ingerindo carne mal cozida e contaminada.

    É importante que as mulheres grávidas façam o exame que detecta se elas são imunes a toxoplasmose. ”

    Como vêm, comer carne mal passada pode infetar-vos, não é só ter gatos.
    Tive gatos toda a minha vida e nunca fui infetada com esse vírus.

Responder a PR Cancelar resposta

Rainha Isabel II está a procura de um gestor de redes sociais

A família real britânica está à procura de um gestor de redes sociais. O salário vai oscilar entre os 53 e 59 mil euros anuais por 37 horas semanais, de segunda a sexta-feira. A rainha Isabel II …

Cinco antepassados de crocodilos viveram há 150 milhões de anos na Lourinhã

Pelo menos cinco crocodilomorfos, antepassados dos crocodilos, viveram na região da Lourinhã há 150 milhões de anos, durante o período do Jurássico. Num artigo publicado na Zoological Journal of the Linnean Society, os paleontólogos Alexandre Guillaume, …

A radiação de Chernobyl está a deixar as vespas esfomeadas (e isso é má notícia)

A Zona de Exclusão de Chernobyl é a área em torno da cidade ucraniana de Pripyat, onde a Central Nuclear de Chernobyl entrou em colapso em 1986. Apesar de não haver humanos na região, e …

Beethoven deixou a 10.ª sinfonia inacabada (e a IA vai completá-la)

Um dos maiores dilemas da história da música é a obra inacabada de Ludwig van Beethoven (1770-1827), a "10ª sinfonia", com muitos músicos a esforçar-se para finalizá-la, utilizando alguns dos fragmentos disponíveis, mas sem sucesso. Desta …

Orcas bebé têm maior probabilidade de sobreviver se viverem com a avó

Crias de orca que vivam com a avó têm uma maior probabilidade de sobreviver quando comparadas às outras orcas. A experiência destas espécimes mais velhas é essencial para o grupo. Tal como nos humanos, as avós …

A "capital mundial das pessoas feias" mora na Itália

Piobbico, na Itália, é uma cidade medieval repleta de grandes edifícios de pedra cercados por florestas exuberantes. No entanto, a cidade é conhecida pela feiura dos seus habitantes. Esta cidade, com cerca de 2.000 habitantes, alberga …

Jovem norte-americano despistou-se e caiu ao rio. Siri chamou os bombeiros

Um jovem norte-americano estava a caminho da universidade quando perdeu o controlo do carro, que derrapou sobre gelo, e foi parar ao rio Winnebago. Como não conseguiu encontrar o seu telemóvel, recorreu à Siri para …

Basta uma máscara impressa para enganar os sistemas de reconhecimento facial

Especialistas da empresa de inteligência artificial Kneron testaram sistemas em três continentes e vários falharam. O reconhecimento facial é, cada vez mais, um método de controlo e de segurança encarado como credível e, inclusivamente, usado …

Pandit olha para as vacas como família e quer produzir "leite ético" para vegans

Um agricultor nos Estados Unidos quer produzir "leite ético" para vegans, mantendo como prioridade o bem-estar e a saúde das vacas. Ultimamente, o consumo de leite tem sido posto cada vez mais em causa. Não só …

Jogadores do Arsenal doam um dia de salário para ações solidárias

Os futebolistas e a equipa técnica do Arsenal vão doar um dia de salário para ações solidárias de Natal. Os elementos técnicos também entraram na iniciativa, que prevê, ainda, a doação da receita do próximo …