Paraplégicos voltam a andar com a ajuda de estimulação elétrica

Universidade de Louisville

Kelly Thomas foi uma das participantes que conseguiu andar com a ajuda de um andarilho

Um homem de 29 anos ficou paraplégico em 2013 após um acidente na neve. Agora, e graças a um tratamento que combina estimulação elétrica na espinal medula com reabilitação, conseguiu voltar a andar.

E o caso não é único, duas outras pessoas conseguiram voltar andar, ainda com ajuda, graças a esta nova terapia. Os três casos de sucesso foram relatados em artigos científicos publicados na New England e no Journal of Medicine.

O caso específico deste homem foi anunciado nesta semana numa publicação na Nature que revela que um elétrodo implantado na coluna é capaz de enviar mensagens elétricas para que os membros inferiores se movam.

Ou seja, esta estimulação – sempre associada à reabilitação – significa que os neurónios localizados abaixo do ferimento na medula continuam a funcionar mesmo que se tenham passados vários anos desde de a paralisia.

Antes de proceder ao implante, este homem passou por 22 semanas de fisioterapia, de forma a descartar qualquer melhora que não fosse exclusiva da estimulação elétrica. Depois de todos estes meses, o paciente não apresentou melhoras nas capacidades locomotoras, seguindo-se, por isso, para o implante.

Depois, uma equipe de neuro-cirurgiões implantou o elétrodo, que foi aprovado pela Food and Drug Administration (FDA) – a agência que regula medicamentos e equipamentos médicos nos Estados Unidos.

O elétrodo em causa foi desenvolvido para aliviar dores, mas ainda não tinha sido testado em pessoas com paraplegia. Com a ajuda de um controle sem fios, a equipa médica conseguiu aplicar pulsos de corrente elétrica diretamente na sua medula.

“Passos de bebé”

Apesar de bem sucedido, este foi um processo longe. Durante 113 sessões de reabilitação distribuídas em 43 semanas, os investigadores testaram várias combinações de estímulos elétricos e outras variáveis. Pouco a pouco, o homem conseguiu mover as suas pernas.

Inicialmente, o paciente precisava de ver as suas pernas ao espelho para conseguir controlá-las, uma vez que apesar da estimulação elétrica, o homem continuava sem ter a sensação do tato abaixo da lesão medular.

Depois de muito trabalho, o homem conseguiu dar 331 passos recorrendo à ajuda de um andador com rodas na frente – esta distância equivale ao comprometo de um campo de futebol. Quando o elétrodo era desligado, o paciente perdia a capacidade de mexer as pernas – confirmando-se assim que as melhoras eram provenientes do equipamento.

Kendall Lee, neurocirurgião que participou no procedimento, explicou que a equipa está ainda a estuda por que motivo o elétrodo funciona. Um outro paciente já recebeu o implante, mas é ainda muito cedo para avaliar os resultados.

Outros casos de sucesso

Num estudo paralelo, outra equipa de investigadores conseguiu resultados semelhantes recorrendo ao mesmo estimulador utilizado para tratar dores. Este trabalho foi publicado esta semana na revista New England Journal of Medicine e envolveu profissionais da Universidade de Louisville em Kentucky, nos Estados Unidos.

Neste artigo, foram relatos casos de quatro pacientes. Todos os pacientes foram capazes de voltar a andar, sendo que dois não precisam de nenhuma ajuda externa, conseguindo andar no chão.

O artigo mostra que o estimulo elétrico aplicado na coluna, quando combinado com um programa de treino bastante especializado e intensivo, pode reeducar o corpo para voltar a movimentar as pernas.

Universidade de Louisville

Equipa de investigadores de Louisville com dois dos participantes, Kelly Thomas (paciente), Claudia Angeli (investigadora), Jeff Marquis (paciente) e Susan Harkema (paciente)

Neste treino, a equipe envolvida na pesquisa movimenta as pernas do paciente de forma bastante específica para sinalizar à medula que pode agir. “Os treinadores movimentam as pernas em padrões especiais que imitam uma caminhada”, explica Susan Harkema, que lidera o centro de pesquisa da universidade sobre ferimentos na medula.

Depois, o paciente e colocado numa passadeira, onde os exercícios continuam. Mais tarde, os pacientes podem caminhar no chão, com a ajudar de andadores. “A medula pode reaprender a andar de forma independente”, explicou a investigadora.

O chefe de cozinha Jeff Marquis, agora com 35 anos, é um dos casos de sucesso. Aos 28 anos, Jeff sofreu um acidente com uma bicicleta de montanha, ficando paralisado do pescoço para baixo, com um pouco de movimento nos braços e pulsos.

Antes do implante, o cozinheiro precisava de ajuda para se levantar da cama todas as manhãs, mas agora consegue realizar as suas tarefas rotineiras sem precisar de a ajuda de ninguém. Jeff até já cozinha sozinho, recorrendo a equipamentos especialmente desenhados para si. “Mais cedo ou mais tarde vou ter que voltar para a universidade para começar uma nova carreira”, disse.

PARTILHAR

RESPONDER

Turismo nos cemitérios do Porto vira moda. E as visitas nocturnas são as mais procuradas

Os dois cemitérios municipais do Porto, incluídos na Rota Europeia dos Cemitérios, mais do que duplicaram o número de visitantes nos últimos quatro anos. Os portugueses e os brasileiros são quem mais adere à moda …

Matteo Salvini: "Levaremos a política anti-imigrantes a toda a UE. Não entrará mais nenhum"

Uma manifestação convocada pelo ministro do Interior italiano, Matteo Salvini, reuniu no sábado, em Milão, a maioria dos partidos de extrema-direita europeus que pretendem tornar-se na terceira força política no Parlamento Europeu. Houve discursos contra a …

Presidente ucraniano dissolve Parlamento durante o discurso de investidura

O novo presidente da Ucrânia, Volodymir Zelensky, anunciou esta segunda-feira a dissolução do Parlamento, durante o discurso de investidura, antecipando as eleições legislativas. “Eu dissolvo o Parlamento”, declarou o novo chefe de Estado perante os deputados …

Suécia vai pedir a detenção de Julian Assange

A procuradoria sueca anunciou esta segunda-feira que vai emitir uma ordem de detenção de Julian Assange, fundador do WikiLeaks, que se encontra preso no Reino Unido. “Eu vou emitir uma ordem de captura europeia”, disse a …

Governo acelera pedidos de pensões antecipadas

Trinta dias depois da Segurança Social comunicar o valor da pensão, esta será imediatamente deferida, sem que seja necessário o beneficiário dar resposta. Tipicamente, a Segurança Social enviava aos requerentes de pensões antecipadas um documento com …

Taxa turística já rende 30 milhões às câmaras

A taxa municipal turística rendeu já às autarquias que introduziram a medida 29,3 milhões de euros no ano passado, mais 56% do que em 2017, quando foram cobrados apenas 18,8 milhões. A experiência arrancou com um …

Médico de família para todos até ao final do próximo ano "é a prioridade"

A secretária de Estado da Saúde, Raquel Duarte, disse que a prioridade é garantir médico de família a todos os cidadãos até ao final do próximo ano. Atualmente há mais de 700 mil pessoas sem …

Criança morreu em bagageira de carro após acidente no fim da festa do Benfica

Uma menina de 10 anos morreu e um adolescente de 13 anos ficou gravemente ferido após um acidente em Cascais. As duas vítimas estavam na bagageira de uma viatura por falta de espaço nos lugares …

Detetive acredita que o caso Maddie se vai resolver por "confissão"

Jim Gamble, um dos principais detetives envolvidos no caso do desaparecimento de Maddie, acredita que o caso se vai resolver por uma possível confissão ou avanço tecnológico. A polícia portuguesa e britânica fizeram, recentemente, avanços significativos …

Europeias: A obsessão de Costa, Rio como "novo baterista da Malafaia" e a CDU barrada

Com a campanha eleitoral para as europeias do próximo domingo a entrar na recta final, os líderes de PS e PSD procuram dar força aos seus candidatos, com Rui Rio a entregar-se à festa popular …