Na Bulgária, Papa Francisco afirma que a Igreja é “uma casa de portas abertas” aos refugiados

Mazur/catholicnews.org.uk / Flickr

O Papa Francisco aterrou esta terça-feira na Macedónia do Norte para concluir a sua 29.ª viagem apostólica, que começou no domingo na Bulgária. O líder da Igreja Católica descolou de Sófia, capital búlgara, com destino a Escópia, capital da Macedónia do Norte, após dois dias em solo búlgaro nos quais se focou nas questões das migrações e do diálogo com as comunidades ortodoxas.

À chegada a Escópia, será recebido no palácio presidencial para um encontro com as autoridades políticas e os representantes diplomáticos do país – dois dias após os eleitores terem ido às urnas para a segunda ronda das eleições presidenciais que resultaram na escolha de Stevo Pendarovski para presidente do país, avançou o Observador.

O Papa Francisco será, porém, recebido pelo atual presidente, Gjorge Ivanov, cujo mandato ainda não terminou.

Do programa do Papa Francisco para esta terça-feira fazem parte ainda uma visita ao memorial a Madre Teresa de Calcutá – que nasceu em Escópia em 26 de agosto de 1910, uma missa no centro da cidade -, encontros com religiosos católicos e ainda um encontro ecuménico e inter-religioso, antes de regressar a Roma no final do dia.

Na Bulgária, pediu aos católicos daquele país que “não fechem os olhos, o coração nem as mãos” aos migrantes. Perante Rumen Radev, presidente de um país que construiu uma vedação em arame farpado na fronteira com a Turquia para evitar a entrada de migrantes no seu território, pediu ao povo búlgaro que abrisse as portas a quem precisa.

O Papa argentino foi claro na mensagem que quis passar naquele país, ao incluir no programa da sua viagem uma visita a um centro de acolhimento de migrantes. Fez questão de cumprimentar pessoalmente cada um dos 50 migrantes que residem naquela antiga escola que, em 2013, foi remodelada pela Cáritas para acolher refugiados.

“Não é fácil deixar a vossa terra e inserir-se noutra”, indicou aos migrantes. “Hoje, a experiência dos migrantes e dos refugiados é como uma cruz para a humanidade, e a cruz de muitas pessoas que sofrem”, disse-lhes, agradecendo-lhes pela “alegria” que demonstravam nesse caminho de sofrimento, segundo uma reportagem do Crux.

No discurso às autoridades políticas búlgaras, o Papa Francisco sublinhou que aquele país “sempre se distinguiu por ser uma ponte entre o Leste e o Oeste, capaz de favorecer o encontro entre diferentes culturas, grupos étnicos, civilizações e religiões que durante séculos aqui viveram em paz”.

Mais tarde, depois da visita ao centro de acolhimento de refugiados, falou aos católicos búlgaros lembrando que a Igreja é “uma família entre as famílias, aberta a ser testemunha do mundo de hoje (…), aberta à fé, à esperança e ao amor pelo Senhor e por aqueles por quem ele tem um amor preferencial. Uma casa de portas abertas”.

Lembrando o seu encontro com os refugiados “de vários países que estão à procura de um sítio melhor para viver do que aquele que deixaram”, advertiu os búlgaros de que “para amar alguém não há necessidade de pedir o currículo”, porque o amor “dá o primeiro passo” e “é gratuito”.

“Ver com os olhos da fé é um convite a não passar a vida a colocar rótulos, a classificar aqueles que merecem o amor e os que não merecem, mas sim a tentar criar condições nas quais cada pessoa se possa sentir amada, especialmente aqueles que se sentem esquecidos por Deus porque são esquecidos pelos seus irmãos e irmãs”, frisou.

“Ecumenismo dos pobres”

O outro tema que marcou a passagem do Papa Francisco pela Bulgária foi o ecumenismo e o diálogo inter-religioso. Num país em que os católicos representam menos de 1% de uma população maioritariamente ortodoxa – mas também com uma significativa parcela de muçulmanos -, o Papa encontrou-se com líderes da Igreja Ortodoxa Búlgara para pedir que as várias confissões cristãs estejam unidas em benefício dos mais pobres.

“Somos chamados a caminhar e agir juntos de modo a sermos testemunhas do Senhor, particularmente ao servir os mais próximos e os mais negligenciados dos nossos irmãos e irmãos”, declarou aos líderes ortodoxos, apelando a um “ecumenismo dos pobres”, mais do que um “ecumenismo do sangue”.

A Igreja Ortodoxa Búlgara tem mantido relações de proximidade com a Santa Sé, tendo enviado uma delegação de observadores ao Concílio Vaticano II, nos anos 60, e enviando representantes ao Vaticano anualmente para as celebrações dos santos Cirilo e Metódio.

MNE / Vaticano

O papa Francisco, da Igreja Católica, e o patriarca Bartolomeu I, da Igreja Ortodoxa, os dois responsáveis máximos das igrejas Cristãs.

Porém, tal como a Igreja Ortodoxa Russa, a Igreja búlgara não tem relações formais de diálogo inter-religioso com a Igreja Romana. “Estou confiante de que, com a ajuda de Deus, e no seu bom tempo, estes contactos terão um efeito positivo em muitas outras dimensões do nosso diálogo”, sublinhou o Papa Francisco.

O Papa Francisco escutou também o patriarca ortodoxo da Bulgária, Neófito, que confirmou o “respeito” mútuo entre as duas igrejas, mas sublinhou que a história da divisão entre os católicos e os ortodoxos ainda não foi analisada “de forma imparcial” e as “conclusões necessárias ainda não foram alcançadas”.

Como forma de incentivar a pequena comunidade católica búlgara, o Papa Francisco presidiu ainda a uma celebração em que deu a primeira comunhão a cerca de 245 crianças católicas do país. A missa contou com a participação de pouco mais de 10 mil pessoas.

TP, ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Cientista revela por que os mosquitos só picam a algumas pessoas

O cientista Joop van Loon revelou o motivo pelo qual os mosquitos costumam picar mais algumas pessoas do que outras. De acordo com o especialista, são os compostos químicos presentes na pele dos humanos que …

ESA prepara-se para intercetar pela primeira vez um cometa puro

A Agência Espacial Europeia (ESA) desenvolveu um projeto que visa intercetar um cometa puro - um corpo celeste que nunca passou pelo Sistema Solar -, quando este se aproximar da órbita da Terra em meados …

Astrónomos encontraram uma nova (e surpreendente) cratera em Marte

Marte não se "magoa" facilmente mas, quando acontece, o resultado pode ser quase comparado a uma obra de arte. Uma cratera, descoberta em abril pela sonda Mars Reconnaissance Orbiter (MRO), é a prova disso. Notável não só …

Elon Musk alerta: Civilização pode colapsar daqui a 30 anos

De acordo com Elon Musk, uma "bomba populacional" vai surgir nas próximas décadas, quando uma população mundial cada vez mais idosa chocar com a queda das taxas de natalidade em todo o mundo. Esta não é …

O mundo árabe está menos religioso. Mas continua homofóbico

Há cada vez mais árabes que dizem não ter religião. Esta é a principal conclusão de uma grande sondagem feita a mais de 25 mil cidadãos de países árabes pelo centro de pesquisa Arab Network …

Tina morreu durante 27 minutos e foi ressuscitada 8 vezes. Quando acordou, escreveu "é real"

Uma mulher norte-americana entrou em paragem cardíaca em fevereiro de 2018 quando se preparava para fazer uma caminhada com o seu marido Brian. Depois de desmaiar, Brian ressuscitando-a duas vezes antes de os paramédicos chegarem para …

"Homem-árvore" pede que as suas mãos sejam amputadas

Abul Bajandar, um homem de 28 anos do Bangladesh conhecido como "Homem-árvore" devido às incomuns verrugas que nascem nos seus membros, pediu que as suas mãos fossem amputadas para aliviar as dores insuportáveis.  Bajandar sofre de …

EUA. Senadores republicanos do Oregon fogem para não aprovar lei ambiental

Senadores estaduais do Oregon, nos Estados Unidos (EUA), encontram-se a monte desde quinta-feira para não votarem uma lei ambiental. Procurados pela polícia, voltaram este domingo a faltar a uma sessão legislativa, impedindo que haja quórum …

O planeta enfrenta um "apartheid climático"

O planeta está confrontado com um “'apartheid' climático”. De um lado, os ricos que se podem adaptar melhor às alterações climáticas, e do outro, os pobres que vão sofrer mais, disse esta segunda-feira um especialista …

Governo repõe 40 horas semanais para trabalhadores do CNB. Greve mantém-se

A partir de 1 de julho, os trabalhadores da Companhia Nacional de Bailado (CNB) voltarão às 40 horas semanais, numa uniformização laboral com os trabalhadores do Teatro Nacional de São Carlos. A decisão foi comunicada, esta …