/

Papa enviou 15 mil gelados aos presos de Roma (para os ajudar a fazer frente ao calor)

Recentemente, o Papa Francisco enviou 15 mil gelados à comunidade prisional de Roma, para ajudar os presos a refrescarem-se durante aquele que está a ser um dos verões mais quentes de Itália.

Segundo o jornal The Guardian, os 15 mil gelados foram entregues pelo Esmoler do Vaticano, o Cardeal Konrad Krajewski, nos dois estabelecimentos prisionais de Roma – Regina Coeli, no centro da cidade, e Rebibbia, nos arredores.

Em comunicado, o Vaticano disse que o gabinete de caridade do Papa “não foi de férias” este verão e que, em vez disso, os voluntários gastaram o seu tempo livre para “se continuarem a dedicar, entre outras coisas, a dois dos sete trabalhos de misericórdia: visitar os presos e consolar os aflitos”.

A doação de gelados foi um dos vários “pequenos gestos evangélicos” feitos durante este verão “para ajudar e dar esperança às milhares de pessoas nas prisões de Roma”, acrescenta a mesma nota.

Em junho, conta o jornal britânico, cerca de 20 presos de Rebibbia encontraram-se com o Sumo Pontífice, no dia em que foram também convidados a visitar os Museus do Vaticano. O gabinete de caridade do Vaticano também se ocupou de levar alguns sem-abrigo a passear, onde puderam desfrutar de “uma tarde de relaxamento e jantar numa pizzaria”.

Além disso, a instituição de caridade também forneceu testes gratuitos e vacinas aos sem-sem-abrigo da capital italiana e aos mais carenciados.

Este verão tem sido um dos mais quentes de sempre registados em Itália. No mês de agosto, foi registado em Siracusa, na Sicília, um máximo de 48,8 graus Celsius, que terá sido a temperatura mais alta registada na Europa.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE