Paixão pelo futebol é semelhante ao “amor romântico”

DR FCPorto / Facebook

-

A paixão pelo futebol motiva nos adeptos reacções semelhantes às que se sentem no “amor romântico”, concluiu um estudo desenvolvido, durante três anos, por investigadores da Universidade de Coimbra (UC).

A paixão pelo futebol, como é sabido, “desperta emoções, por vezes irracionais, que atravessam a fronteira entre o amor tribal e o fanatismo”, afirma a UC, numa nota enviada à agência Lusa, a propósito de uma investigação pioneira que lança “alguma luz” sobre o assunto.

Essa tensão entre amor e fanatismo, que “implica simultaneamente o sentimento de pertença a um grupo e de rivalidade com outros grupos”, é o que “define o amor tribal“, sublinha a UC, referindo que a investigação foi realizada no Instituto de Ciências Nucleares Aplicadas à Saúde (ICNAS).

Os investigadores Catarina Duarte, Miguel Castelo-Branco e Ricardo Cayolla estudaram o cérebro de 56 adeptos, na sua maioria das claques oficiais da Académica de Coimbra e do Futebol Clube do Porto, cujo nível de paixão foi avaliado através de pontuações de avaliação psicológica.

Os participantes na investigação, 54 homens e duas mulheres, com idades compreendidas entre 21 e 60 anos, foram expostos a vídeos emocionalmente intensos, quer positivos (golos com significados especiais, por exemplo), quer negativos ou neutros.

No estudo, publicado na SCAN – “uma das revistas de neurociências das emoções mais prestigiadas a nível mundial” –, foi observada “a ativação de circuitos cerebrais de recompensa que são semelhantes aos que são ativados na experiência do amor romântico“, afirma Miguel Castelo-Branco, coordenador da investigação.

“Em particular, os circuitos de memória emocional são mais recrutados pelas experiências positivas do que pelas negativas”, salienta Miguel Castelo-Branco, citado pela UC.

Isto significa que “a paixão tende a prevalecer sobre os conteúdos mais negativos, como, por exemplo, de derrota com o rival, que tendem a ser suprimidos da memória emocional”, acrescenta Miguel Castelo-Branco.

O estudo coloca assim em relevo “os aspetos positivos desta forma de amor tribal e de que o cérebro dispõe de mecanismos para suprimir conteúdos negativos”, realça o especialista, notando que “o cérebro parece ter mecanismos de proteção contra memórias suscetíveis de levar ao ódio tribal”.

“Curiosamente, quanto maior o ‘score’ de paixão clubística medida psicologicamente, maior é a atividade em certas regiões do cérebro associadas a emoções e recompensa, algumas semelhantes às envolvidas no amor romântico”, conclui o coordenador do estudo.

// Lusa

RESPONDER

Bacterias Gram-negativas de Legionella pneumophila

Vítimas do surto de Legionella vão processar o Estado

A associação de apoio às vítimas do surto de legionella de Vila Franca de Xira está inconformada com a acusação do Ministério Público e vai requerer a abertura de instrução e avançar com uma ação …

The Big Bend

Nova Iorque vai ter um incrível arranha-céus em forma de U

O horizonte de Nova Iorque está prestes a receber um dos prédios mais inovadores do mundo. Planos para a construção do primeiro arranha-céu em forma de U do mundo foram oficialmente revelados, e serão um …

O Sol, observado pelo Solar Dynamics Observatory, da NASA, nos dias 27 de Fevereiro e 20 de Março

O Sol está há 3 semanas sem manchas solares

O nosso Sol pode parecer um ponto perfeito de luz intensa, mas raras vezes o é... como tem acontecido nas últimas semanas, em que não têm sido visíveis quaisquer manchas solares. A nossa estrela é bastante …

-

Biquínis enfeitiçados: marca cria coleção inspirada nas princesas da Disney

Com o verão a chegar, a Enchanted acaba de lançar uma nova linha de roupa de banho. A nova colecção de biquínis é inspirada nas princesas da Disney.  A loja e marca de roupa de banho …

Marine Le Pen em comício da Frente Nacional durante a campanha para as presidenciais francesas

Marine Le Pen diz que se ganhar as eleições a União Europeia vai morrer

A candidata da extrema-direita francesa Marine Le Pen afirmou este domingo que se for eleita presidente da França a União Europeia (UE) "vai morrer", porque "as pessoas já não a querem". As afirmações da candidata presidencial …

-

Trump não para de mexer em coisas nas reuniões (entre outras desordens mentais)

O estado mental do novo presidente dos Estados Unidos tornou-se um agitado tema de discussão nas redes sociais, nos meios de comunicação - e até no seio da comunidade científica norte-americana. "Eu não sei o que …

-

Bloco quer preparar com urgência o país para a saída do Euro

A coordenadora do Bloco de Esquerda defendeu hoje a urgência de preparar o país para a saída do euro, rejeitando que Portugal fique "no pelotão da frente" de uma Europa que "caminha para o abismo". Em …

O que poderá ser o novo super-carro McLaren BP23, tal como imaginado pela Autocar

Novo McLaren BP23 vai custar 2,3 milhões de euros

Apesar do seu preço exorbitante, todos os 106 unidades que serão produzidas estão já reservadas por clientes que, além de um sinal de cinco dígitos, tem de já ter hoje em casa, pelo menos, um …

-

Tribunal egípcio condena 56 pessoas por naufrágio que vitimou emigrantes

O Tribunal Penal de Rashid, no Egito, condenou hoje 56 pessoas a penas de dois a 13 anos de prisão pelo naufrágio de um barco que provocou a morte de 203 emigrantes em setembro passado, …

-

Físicos provam que é impossível arrefecer um objecto a zero absoluto

Os físicos Lluís Masanes e Jonathan Oppenheim, da Universidade College London, no Reino Unido, derivaram a terceira lei da termodinâmica a partir dos primeiros princípios. Em janeiro, físicos do Instituto Nacional de Padrões e Tecnologia dos EUA …