Países ricos enfrentam maior risco de sofrer cheias devastadoras

Francis R. Malasig / EPA

-

Os países ricos enfrentam riscos maiores, como as alterações climáticas e as atividades humanas, que tornam as populações costeiras mais vulneráveis a inundações devastadoras, concluiu um estudo divulgado na quinta-feira.

Este estudo vem contrariar o que há muito se pensa: que os países ricos, por terem mais dinheiro para investir em infraestruturas, enfrentam menos riscos de inundação, refere a France Presse.

Embora as nações ricas tenham mais recursos para se protegerem contra as cheias como, por exemplo, as barragens, as alterações climáticas podem aumentar a severidade e frequência das inundações e tempestades, de acordo com um estudo publicado no US Journal Science.

As alterações feitas pelo homem estão também a aumentar o risco que as comunidades costeiras enfrentam, por exemplo, a terra que é usada para produção agrícola provoca consequente erosão que reduz as proteções naturais contra as inundações, segundo o estudo.

Os investigadores calcularam os desafios que mais de 340 milhões de pessoas podem enfrentar em 48 comunidades costeiras em todo o mundo e sinalizaram a foz dos rios Mississippi e Reno como potencialmente vulneráveis, afirmando que, em alguns casos, o risco pode ser multiplicado quatro ou oito vezes.

O estudo afirma ainda que as infraestruturas são a chave para prevenir as inundações e recomenda que os países ricos façam “investimentos inteligentes já”.

“Habilidade económica e decisões para aplicar soluções de engenharia serão fatores chave em determinar quão sustentáveis se tornarão a foz dos rios, a longo termo”, afirma o estudo.

Num editorial, também publicado na quinta-feira no US Journal Science, os investigadores Stijn Temmerman, da Universidade de Antuérpia, e Matthew Kirwan, do Instituto de Ciência Marinha da Virgínia, afirmaram que as comunidades costeiras têm de planear estratégias para diminuir os riscos de inundações, sugerindo que a opção “é restaurar sedimentos na foz dos rios”.

Dados recentes estimam que até 2050, se o nível do mar continuar a aumentar ao ritmo atual, as inundações serão mais frequentes e poderão custar mais de 1 bilião de dólares anuais, causando sérios danos em 136 grandes cidades costeiras do mundo.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Portugal com mais 13 mortos e 552 novos casos nas últimas 24 horas

Portugal contabiliza hoje mais 13 mortos relacionados com a covid-19 e 552 novos casos de infeção com o novo coronavírus, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). Segundo os dados a DGS, a região …

TilTok anuncia acordo com Oracle e Wallmart e adia proibição nos EUA

A aplicação TikTok, detida pela sociedade chinesa ByteDance e ameaçada de ser proibida nos Estados Unidos, anunciou este domingo um acordo de princípio com a Oracle, como parceiro tecnológico, e com a Walmart, em termos …

As gaivotas são inoportunas? Saiba que as suas fezes podem valer mil milhões de dólares

Afinal, as gaivotas podem ser animais bem mais interessantes do que aquilo que a maioria das pessoas pensa. É que as suas fezes são muito valiosas e os seus nutrientes fertilizam campos agrícolas e recifes …

Super-vulcão Yellowstone registou 91 terramotos em apenas 24 horas

Os vulcanólogos têm andado atentos ao super-vulcão localizado no Parque Nacional de Yellowstone, nos Estados Unidos. O Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS) relatou recentemente a ocorrência de 91 terremotos em apenas 24 horas. Estes …

Cartoonista alemão Frank Hoppmann é o vencedor do 15.º World Press Cartoon

O 'cartoonista' alemão Frank Hoppmann, com a caricatura do primeiro-ministro britânico Boris Johnson, é o vencedor da 15.ª edição do World Press Cartoon, foi hoje anunciado nas Caldas da Rainha, na cerimónia de entrega de …

Pequena e funcional. Assim se carateriza a Tiny House (que ainda evita dores de joelhos)

Esta pequena casa móvel pode ser a solução que procura. Devido à sua arquitetura dinâmica é ótima para pessoas com problemas de articulações e que sofrem com dores joelhos, pernas cansadas ​​ou dores nas costas. Hoje …

Chama-se Elios, é um drone e vai explorar as profundezas das cavernas de gelo da Gronelândia

Elios é o drone que está a ajudar os investigadores a descobrirem mais sobre os mistérios da Gronelândia. Inserido numa estrutura própria, tem explorado as cavernas de gelo, facilitando assim o acesso a locais mais …

Milhares de pássaros migratórios estão (misteriosamente) a morrer no Novo México

Um elevado número de pássaros migratórios está a morrer em todo o Novo México, numa misteriosa mortalidade em massa que está a preocupar os cientistas. Estima-se que o número de pássaros mortos seja de centenas de …

Crianças inspiram Lego a livrar-se de todas as embalagens de plástico

As peças da Lego podem acabar no oceano durante mais de mil anos, mas os fabricantes dinamarqueses estão a tentar tornar a empresa ecologicamente correta. Na sua última promessa, a Lego vai começar a usar sacos …

Uma cidade chamada "amianto" está a tentar mudar o nome (e a discussão tornou-se tóxica)

Há uma cidade no Canadá chamada Asbesto - um material de construção altamente tóxico. Os habitantes da cidade não estão felizes com este nome, mas a sua mudança também não está a ser fácil. De acordo …