Paisagens “inteligentes” contribuem no controlo de fogos, demonstra estudo

Rodrigo Antunes / Lusa

Uma equipa internacional que envolveu investigadores do Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos (CIBIO-InBIO), associado da Universidade do Porto, desenvolveu um estudo que mostra que paisagens “inteligentes” podem ser a solução para o controlo dos incêndios.

“A implementação de políticas agrícolas que fomentem e protejam as atividades agropastoris locais poderá contrariar os efeitos negativos associados ao abandono rural, podendo reduzir consideravelmente o risco e impacto dos grandes incêndios florestais nas regiões montanhosas de interior da Península Ibérica”, indicou o investigador do CIBIO-InBIO, João Campos, citado pela agência Lusa.

O investigador, juntamente com a investigadora do CIBIO-InBIO e bombeira voluntária Silvana Pais, bem como outros estudiosos da Universidade de Santiago de Compostela (USC), realizaram um estudo recentemente publicado na Ecosystem Servisses, através do qual provam que a integração de uma gestão do território destinada a proteger e a promover o aumento das áreas agrícolas com estratégias de “gestão inteligente do fogo” poderão contribuir para a mitigação de incêndios florestais.

Desta forma também poderá ser possível garantir a conservação da biodiversidade e o fornecimento de serviços de sequestro de carbono. Citado em comunicado da CIBIO-InBIO, João Campos fala de uma redução em cerca de 50% das áreas ardidas.

Este estudo, desenvolvido na Reserva da Biosfera Transfronteiriça Gerês-Xurés, parte da convicção de que as tendências crescentes dos incêndios florestais e seus impactos nas paisagens do sul da Europa estão interligadas com os efeitos pronunciados das alterações climáticas e o abandono regional do território.

Os investigadores acreditam que, adicionalmente, as políticas atuais de gestão de incêndios focam-se principalmente na sua supressão imediata e ignoram os problemas de gestão da paisagem, podendo incrementar ainda mais os impactos do fogo ao proporcionar uma transição das paisagens atuais para outras mais inflamáveis e propensas a incêndios.

Elvira Urquijo A. / EPA

“Tendo em conta este contexto, é necessário avaliar outras alternativas de gestão do território que possam contrariar as atuais tendências do impacto do fogo nestas regiões”, acrescentam, defendendo a implementação de estratégias ‘fire-smart’, isto é “gestão inteligente do fogo”.

Essas alternativas visam controlar o regime de incêndios através da conversão da vegetação atual para uma menos inflamável de forma a criar ambientes mais resistentes e resilientes ao fogo.

“Surpreendentemente, a eficiência destas estratégias na mitigação de grandes incêndios florestais, assim como os potenciais benefícios para a conservação da biodiversidade e prestação de serviços dos ecossistemas, permanece praticamente inexplorada”, aponta o CIBIO-InBIO.

O estudo realizado partiu da simulação da evolução da paisagem de acordo com diferentes estratégias de gestão do território para as próximas décadas, usando como horizonte temporal 2020/2050, e analisando os potenciais impactos no regime do fogo, no sequestro e armazenamento de carbono, e na disponibilidade de habitats para 116 espécies de aves, anfíbios e répteis.

“O estudo demonstra que a proteção e o aumento das áreas agrícolas, combinadas com estratégias ‘fire-smart’ poderão contribuir para uma redução de 50% das áreas ardidas por grandes incêndios florestais previstas para o período entre 2030 e 2050. Uma estratégia de gestão ‘fire-smart’ também contribuiria para um aumento do sequestro de carbono na área de estudo”, lê-se no resumo feito pelo centro, associado da Universidade do Porto.

As políticas integradas também podem, acreditam os investigadores, contribuir para um aumento da disponibilidade de habitat para espécies sem proteção ou não ameaçadas dentro dos limites das áreas protegidas da reserva nos próximos 40 anos, assim como parecem ser os cenários de gestão mais vantajosos para as espécies protegidas, garantindo uma estabilização de habitat disponível durante as próximas três décadas.

// Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. De facto é confrangedor assistir, ano após ano, ao desaparecjmento da nossa floresta. A causa está nas medidas adoptadas pelo estado novo relativamente aos baldios quando decidiu acabar com a pastorícia para plantar as malfadadas resinosas tal como Aquilino tão bem retrata na sua obra” Quando os Lobos Uivam”l Mas, hoje, não se decide melhor! Quando há muito pouco tempo se defendia, como muito importante, o incremento a dar à criação de gado, falando~se muito nas cabras sapadoras, hoje o governo decreta o oposto proibindo os pastores de terem rebanhos com mais do que cem cabeças de gado! Se os pastores já são poucos e se ainda por cima se reduz o número de animais como é possível controlar a vegetação para se dominar os incêndios?

RESPONDER

Após 12 anos de Netanyahu no poder, Israel tem um novo primeiro-ministro

O Parlamento de Israel aprovou, este domingo, o Governo de coligação do novo primeiro-ministro Naftali Bennett, que sucede a Benjamin Netanyahu, que esteve no poder cerca de 12 anos. Dos 119 deputados presentes, de um Parlamento …

Áustria 3-1 Macedónia do Norte | Banco austríaco vale triunfo inédito

A Áustria estreou-se, este domingo, com um triunfo sobre a Macedónia do Norte, por 3-1, no Euro2020, no primeiro jogo do Grupo C da competição, disputado em Bucareste. Stefan Lainer (18 minutos), Michael Gregoritsch (78) e …

Facebook restringe conta de André Ventura

A rede social decidiu restringir, durante 24 horas, a conta do presidente e deputado único do Chega, após terem sido denunciadas duas publicações. De acordo com o Correio da Manhã, denúncias em duas publicações feitas por …

Com parecer desfavorável, arraial da IL juntou centenas (e fez mira a adversários)

A Iniciativa Liberal organizou, este sábado, apesar do parecer desfavorável das autoridades de saúde, um arraial comício, onde se juntaram centenas de pessoas, para dar "esperança" a Lisboa e mostrar que "não há impossíveis". No seu …

Marcelo reafirma: "Comigo não vai haver volta atrás" no desconfinamento

O Presidente da República declarou, este domingo, que, no que depender de si, não haverá "volta atrás" no desconfinamento, e deu a Feira da Agricultura de Santarém como exemplo do “virar de página”. "Já não voltamos …

Líderes do G7 prometem milhões de vacinas, mas evitam apoio claro a suspensão de patentes

Os líderes do G7 prometeram entregar milhões de doses adicionais de vacinas contra a covid-19 ao longo do próximo ano, mas evitaram apoiar claramente a suspensão de patentes, de acordo com o comunicado final. "Os compromissos …

Bolsonaro multado por não usar máscara em desfile de motociclistas

O Presidente brasileiro foi multado, este domingo, em 552 reais (cerca de 89 euros) por estar sem máscara quando participava num desfile de motociclistas no estado de São Paulo. Milhares de motociclistas participaram no desfile "Acelere …

Inglaterra 1-0 Croácia | Três leões matam borrego à décima tentativa

A Inglaterra estreou-se este domingo com uma vitória no grupo D do Euro2020 de futebol, ao bater a Croácia por 1-0, em jogo disputado no estádio Wembley, em Londres. Um golo de Raheem Sterling, aos 57 …

Bloco ataca ministro do Ambiente, que acusa Catarina Martins de fazer declarações "infames e infundadas"

O Bloco de Esquerda anunciou, este domingo, que vai pedir a apreciação parlamentar do decreto que regula a lei das minas e acusou o ministro do Ambiente de ser "mais rápido a defender negócios" do …

Antes de se lesionar, Vertonghen foi ignorado

Defesa do Benfica não cumpriu os 90 minutos da estreia vitoriosa da Bélgica no Europeu 2020. E também ficou esquecido pela realização televisiva. A Bélgica começou muito bem o Europeu 2020, confirmando no campo o que …