/

Pais do Amaral entre os maiores devedores “tóxicos” do Montepio

8

Mário Cruz / Lusa

O empresário Miguel Paes do Amaral

Um pequeno grupo de 50 empresários, alguns bem conhecidos, concentra os principais “calotes” que estão no balanço do Banco Montepio.

Estes 50 clientes são responsáveis por 700 milhões de euros em dívidas em risco – ou, mesmo, incobráveis – que estão no balanço do banco agora liderado por Dulce Mota. Um dos “devedores tóxicos” mais mediáticos é o empresário Miguel Pais do Amaral, que deve 23 milhões ao banco.

A notícia é avançada pelo Público, que acrescenta que apenas dez clientes estão na origem de 40% dos créditos mais ruinosos para o banco, que poderá estar prestes a reconhecer perdas no valor de 400 milhões de euros.

Um dos nomes menos surpreendentes é o do construtor José Guilherme, o mesmo que deu a “liberalidade” de 14 milhões a Ricardo Salgado. Nas vésperas do colapso do BES, o construtor obteve 28 milhões de euros do banco então liderado por António Tomás Correia.

Também no topo da lista dos maiores devedores estão a cadeia de hotéis NH (68 milhões), o empresário Rui Alegre, ex-quadro do Grupo Amorim (40 milhões), a Somague/Sacyr (39 milhões), o Invesfundo (onde José Guilherme tem posição, com 38 milhões) e a Fibeira, do empresário e conhecido colecionador de arte Armando Martins (25 milhões).

A dever 23 milhões de euros está Pais do Amaral, ex-grupo Leya, que chegou a controlar a TVI e ganhou notoriedade pública pela vida social ativa e ligação ao automobilismo. Logo abaixo da fasquia dos 20 milhões, estão devedores como o Grupo Lena (15 milhões), o construtor Aprígio Santos (12 milhões) e a Britalar, empresa do presidente do Sporting de Braga, António Salvador (11 milhões).

Estes são créditos ruinosos que o Montepio terá de reconhecer e, em grande medida, tirar do balanço para conseguir cumprir os máximos que estão a ser definidos pelos reguladores, a nível europeu, relativos à proporção de créditos ruinosos na carteira de cada banco.

  ZAP //

8 Comments

  1. Claro, para brincar como dono de uma estação de televisão, fazer corridas de auomóveis sport caríssmos, o dinheiro dos outros dá muito mais jeito para gastar que o próprio.

    • Muito simples, pagar as dividas do filho.
      Há na praça um banqueiro (r), em que o filho pediu um crédito, não no banco do paizinho, não o pagou, telefonou-se ao paizinho e imediatamente foi liquidado…nem bufou.

    • Ligações perigosas e da média noite…e só sabe a metade….mas quem se mete com o PS leva…será por isso que a do Norte ainda não veio ao baile.

  2. enquanto o zé aceitar que os politiqueiros do Estado colectivista nos obriguem a todos a pagar dívidas que não são nossas, assim continuaremos.

    ninguém olha para a Islândia, onde os zé de lá disseram à banca para ir dar uma voltinha ao bilhar grande, lá não existiram too big to fail, por cá são todos.

  3. Sou mesmo lerdo… Quando cheguei ao fim é que percebi que esta era uma lista de caloteiros… Quando comecei a ler pensei tratar-se de uma lista de “comedores”, perdão, COMENDADORES….

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.