/

Padres alemães desafiam doutrina do Vaticano e abençoam uniões entre pessoas do mesmo sexo

3

echiner1 / Flickr

Liebe Gewinnt (o amor vence) é o nome de um grupo de cerca de 100 padres alemães que está a abençoar uniões entre pessoas do mesmo sexo.

Segundo a Euronews, a posição da Congregação para a Doutrina da Fé, que defendeu que a igreja “não pode abençoar o pecado” e decidiu que as uniões de pessoas do mesmo sexo não podem ser abençoadas, foi conhecida em meados de março e contou com o apoio do Papa Francisco.

Em resposta a esta proibição, um grupo de 100 padres alemães, críticos das orientações oficiais da Igreja Católica, está a abençoar uniões entre pessoas do mesmo sexo, desafiando a doutrina do Vaticano.

No seio da Igreja Católica, as posições divergem. Os sacerdotes que integram esta iniciativa defendem que não se deve fechar aos crentes, independentemente da identidade sexual.

“Os casais que participem devem poder receber a bênção que Deus lhes quer dar sem qualquer secretismo”, salienta o grupo, num manifesto.

O Público escreve que, esta semana, sacerdotes de todo o país começaram a abençoar várias uniões, incluindo entre casais de divorciados, recasados, não casados e pessoas do mesmo sexo.

“Vamos ter toda a diversidade do amor”, disse à Reuters o padre Christian Olding, da cidade de Geldern. “Se dizemos que Deus é amor, não posso dizer a pessoas que comungam a lealdade, unidade e responsabilidade uma com a outra que o que têm não é amor, que é um amor de quinta ou sexta categoria.”

A proibição emitida pelo Vaticano em março deixou a ala mais progressista da Igreja Católica frustrada. Para os padres do grupo Liebe Gewinnt, a orientação foi “uma chapada na cara das pessoas de todo o mundo”, uma vez que Francisco era encarado como um Papa abeto a uma doutrina mais inclusiva.

  Liliana Malainho, ZAP //

3 Comments

  1. Deus é amor. Pois é…, mas não é Contra Natura.
    Faz sentido, alguns desses padres também desejariam ser iguais àqueles que são abençoados…

    • Sobre “Contra Natura” (ou seja, contrário ao que é natural): Não são as teorias humanas que determinam o que é, ou deixa de ser, “Contra Natura”. A Natureza trata disso. E desconfio que, se o comportamento existe na Natureza, então certamente não é “Contra Natura”!

  2. Oi Js, só para dizer que parece que não me expliquei do melhor jeito, né?… Quando disse “contra natura” o que eu estava mesmo querendo dizer seria “contra humanae naturae”. Nossa… Eu sei que tem muito bichinho primitivo que gosta… Pois até há bichinho que nasce hermafrodita, né?
    Fica bem… Tchau querido!

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE