Padre suspeito de colocar à venda 4 milhões de euros em roupas doadas

Casa do Oeste / Facebook

A associação Viver 100 Fronteiras, na qual foram descobertas as roupas, “não tem nada a ver com a Fundação João XXIII e muito menos com o padre Batalha”

A GNR apreendeu milhares de peças de roupa e de calçado, num armazém pertencente a uma instituição de solidariedade, no âmbito de uma investigação a um padre que é suspeito de burla com roupa doada para famílias carenciadas da Guiné-Bissau.

O caso é relatado pelo Correio da Manhã que refere que o padre Joaquim Batalha, de 79 anos, que exerce as suas funções religiosas em Ribamar, na Lourinhã, é suspeito de ter colocado à venda milhares de peças de roupa e de calçado que tinham sido doadas por uma empresa, com o objectivo de serem entregues a famílias carenciadas da Guiné-Bissau.

Uma mulher que será voluntária da Fundação João XXIII/Casa Oeste, localizada na Lourinhã, no distrito de Lisboa, presidida pelo padre e responsável pelo envio das roupas para a Guiné-Bissau, também foi constituída arguida, segundo o CM.

Os dois suspeitos estão acusados de burla qualificada e fraude fiscal. De acordo com o CM, estão em causa vestuário e calçado avaliados em 4 milhões de euros.

O Conselho de Administração da Fundação João XXIII/Casa Oeste defende o padre Batalha e nega qualquer envolvimento da entidade na alegada burla, imputando culpas à mulher acusada e garantindo que “não faz parte dos/as voluntários/as da Fundação”.

Num comunicado divulgado no blogue da Fundação, o Conselho de Administração assegura que “a associação Viver 100 Fronteiras, na qual foram descobertas as roupas, não tem nada a ver com a Fundação João XXIII e muito menos com o padre Batalha“.

Em defesa do padre sai ainda o delegado da Fundação na Guiné-Bissau, Raul Daniel, que, citado pelo mesmo blogue, nota que o pároco “não merece este tratamento”. “Um homem que deu toda a sua vida à causa Humana e Religiosa não merece ao que estamos assistir”, constata.

Casa do Oeste / Facebook

Padre Joaquim Batalha

Presidente da Viver 100 Fronteiras “estupefacta”

A GNR confirmou, entretanto, a apreensão de milhares de artigos de vestuário das marcas Salsa e Tiffosi, que teriam como destino a comercialização e não a ajuda a pessoas carenciadas na Guiné-Bissau, num armazém da ONG Viver Sem Fronteiras, em Santa Maria da Feira, Aveiro.

Esta ONG, que estará indiciada da prática dos crimes de burla qualificada e fraude fiscal, teria um esquema idêntico ao da Fundação João XXIII/Casa do Oeste, sublinha a Lusa.

Mas a presidente da Viver Sem Fronteiras, Natália Oliveira, assegura à Lusa que “nem a associação nem os seus representantes estão neste momento acusados ou indiciados para qualquer processo judicial”, manifestando-se “estupefacta com tanta mentira e difamação pública”.

Natália Cristina Rocha refere que os artigos apreendidos pela GNR estavam “legitimamente em armazém com várias outras roupas, material médico, produtos e mercadorias destinados a seguir para África nos próximos contentores, por terem sido doados pelas mais variadas empresas e particulares para esse efeito”.

“Nunca esta associação vendeu roupas em feiras, seja de que marca for”, acrescentou a líder da ONG, frisando que “se tal aconteceu, nada tem a ver com a Viver 100 Fronteiras, que nunca teve qualquer tipo de rendimento”.

Natália Cristina Rocha também trata de salientar que o padre Batalha e a Fundação João XXIII não esão relacionadas com a Viver 100 Fronteiras.

A Lusa apurou, entretanto, que, em Março de 2016, a ONG ponderava abandonar a Guiné-Bissau, país para onde enviou entre 2008 e Maio deste ano 46 contentores, de 46 toneladas, com ajuda para os setores da saúde, educação e alimentação, avaliada em 52 milhões de euros.

Na ocasião, o Governo da Guiné-Bissau informou a Lusa que desconhecia a existência da Viver 100 Fronteiras por não se encontrar nos seus registos e ainda por esta “nunca se ter relacionado” com aquela estrutura governamental.

Criada em 2008 para levar ajuda à Guiné, a Viver 100 Fronteiras tem vindo a realizar missões de ajuda no Senegal, São Tomé e Cabo Verde e, em Maio deste ano, anunciou à agência Lusa que tinha previsto prestar apoio no Haiti, Costa do Marfim e Moçambique.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. O Facebook da presidente da Viver 100 Fronteiras tem muitas fotos de atividades referidas como sendo na Guiné, com crianças, copm mães, no Hospital, etc o que me leva a crer que esteve ativa na Guiné Bissau levando muita coisa.

  2. algo triste, mas também a maioria da roupa que é oferecida para a Guiné não é oferecida, mas é vendida.. triste mas uma realidade. Triste é organizações, pessoas ganharem dinheiro com a pobreza dos outros.

  3. São todos iguais, em nome do cristo, tem toda a liberdade para nos enganar e são imunes perante a nossa justiça e ainda estão isentos do livro de Reclamações. GRANDE NEGOCIO, este da Fè, quem diria.

RESPONDER

Antigo ministro da Saúde Leal da Costa admite novo estado de emergência

O antigo ministro da Saúde Fernando Leal da Costa defendeu hoje que em algum momento deve ser decretado de novo o estado de emergência, para que o Governo possa tomar medidas na luta contra a …

Marcelo promulga uso obrigatório de máscara na rua por 70 dias

O Presidente da República promulgou esta segunda-feira o decreto da Assembleia da República que determina o uso obrigatório de máscara na rua, por um período de 70 dias, sempre que não seja possível cumprir o …

Cruzeiros vazios no meio do oceano tornam-se destinos turísticos

Embarcados num pequeno ferry, turistas dirigem-se até aos locais onde grandes navios cruzeiros estão parados e desertos. Esta foi uma solução encontrada para reavivar o setor. A pandemia de covid-19 está a fazer com que, genericamente, …

Todas as pensões mais baixas vão ter aumento extra de dez euros

As pensões mais baixas, até aos 658 euros, vão ter um aumento extraordinário de dez euros no próximo ano. O Governo confirmou a informação avançada pelo PCP. A ministra do Trabalho e Segurança Social, Ana Mendes …

Na fase inicial da pandemia, o setor privado "não quis e não entrou no combate à pandemia"

A antiga ministra da Saúde Ana Jorge considera que os privados podem ser envolvidos na luta contra a pandemia, recebendo doentes não covid-19, mas avisa que é preciso um “equilibro” nessa ação, depois de estes …

Uso de máscara pode salvar 130 mil vidas nos EUA até final de fevereiro, revela estudo

As medidas de distanciamento social, principalmente o uso de máscaras em público, podem salvar até 130 mil vidas nos Estados Unidos (EUA), revelou um novo estudo divulgado na sexta-feira. Em abril, o Presidente dos Estados Unidos …

A guerra contra o plástico está a distrair-nos da poluição invisível

O atual foco na poluição de plástico está a fazer com que as pessoas descurem o tipo de poluição que não é possível ver, alerta uma equipa de investigadores. O plástico é um material incrivelmente útil …

A pandemia veio interromper as touradas no Peru. Mas há quem não esteja muito satisfeito com isso

Em poucos meses a pandemia do novo coronavírus conseguiu um feito há muito desejado por ativistas de todo o mundo: interrompeu as touradas. O cancelamento dos espetáculos - criticados pela sua violência para com os …

Dezenas de sites franceses com propaganda islâmica após pirataria informática

Várias dezenas de pequenos websites franceses foram afetados por uma onda de pirataria informática, publicando mensagens de propaganda islâmica, indica hoje a agência noticiosa France-Press (AFP). Mensagens como “Vitória para Maomé, vitória para o Islão e …

Jogos Olímpicos em 2021 vão mostrar que "humanidade derrotou o vírus"

O primeiro-ministro japonês, Yoshihide Suga, disse esta segunda-feira que o país está "determinado" em organizar os Jogos Olímpicos no verão de 2021 e declarou que o evento servirá "como prova de que a humanidade derrotou …