Padre suspeito de colocar à venda 4 milhões de euros em roupas doadas

Casa do Oeste / Facebook

A associação Viver 100 Fronteiras, na qual foram descobertas as roupas, “não tem nada a ver com a Fundação João XXIII e muito menos com o padre Batalha”

A GNR apreendeu milhares de peças de roupa e de calçado, num armazém pertencente a uma instituição de solidariedade, no âmbito de uma investigação a um padre que é suspeito de burla com roupa doada para famílias carenciadas da Guiné-Bissau.

O caso é relatado pelo Correio da Manhã que refere que o padre Joaquim Batalha, de 79 anos, que exerce as suas funções religiosas em Ribamar, na Lourinhã, é suspeito de ter colocado à venda milhares de peças de roupa e de calçado que tinham sido doadas por uma empresa, com o objectivo de serem entregues a famílias carenciadas da Guiné-Bissau.

Uma mulher que será voluntária da Fundação João XXIII/Casa Oeste, localizada na Lourinhã, no distrito de Lisboa, presidida pelo padre e responsável pelo envio das roupas para a Guiné-Bissau, também foi constituída arguida, segundo o CM.

Os dois suspeitos estão acusados de burla qualificada e fraude fiscal. De acordo com o CM, estão em causa vestuário e calçado avaliados em 4 milhões de euros.

O Conselho de Administração da Fundação João XXIII/Casa Oeste defende o padre Batalha e nega qualquer envolvimento da entidade na alegada burla, imputando culpas à mulher acusada e garantindo que “não faz parte dos/as voluntários/as da Fundação”.

Num comunicado divulgado no blogue da Fundação, o Conselho de Administração assegura que “a associação Viver 100 Fronteiras, na qual foram descobertas as roupas, não tem nada a ver com a Fundação João XXIII e muito menos com o padre Batalha“.

Em defesa do padre sai ainda o delegado da Fundação na Guiné-Bissau, Raul Daniel, que, citado pelo mesmo blogue, nota que o pároco “não merece este tratamento”. “Um homem que deu toda a sua vida à causa Humana e Religiosa não merece ao que estamos assistir”, constata.

Casa do Oeste / Facebook

Padre Joaquim Batalha

Presidente da Viver 100 Fronteiras “estupefacta”

A GNR confirmou, entretanto, a apreensão de milhares de artigos de vestuário das marcas Salsa e Tiffosi, que teriam como destino a comercialização e não a ajuda a pessoas carenciadas na Guiné-Bissau, num armazém da ONG Viver Sem Fronteiras, em Santa Maria da Feira, Aveiro.

Esta ONG, que estará indiciada da prática dos crimes de burla qualificada e fraude fiscal, teria um esquema idêntico ao da Fundação João XXIII/Casa do Oeste, sublinha a Lusa.

Mas a presidente da Viver Sem Fronteiras, Natália Oliveira, assegura à Lusa que “nem a associação nem os seus representantes estão neste momento acusados ou indiciados para qualquer processo judicial”, manifestando-se “estupefacta com tanta mentira e difamação pública”.

Natália Cristina Rocha refere que os artigos apreendidos pela GNR estavam “legitimamente em armazém com várias outras roupas, material médico, produtos e mercadorias destinados a seguir para África nos próximos contentores, por terem sido doados pelas mais variadas empresas e particulares para esse efeito”.

“Nunca esta associação vendeu roupas em feiras, seja de que marca for”, acrescentou a líder da ONG, frisando que “se tal aconteceu, nada tem a ver com a Viver 100 Fronteiras, que nunca teve qualquer tipo de rendimento”.

Natália Cristina Rocha também trata de salientar que o padre Batalha e a Fundação João XXIII não esão relacionadas com a Viver 100 Fronteiras.

A Lusa apurou, entretanto, que, em Março de 2016, a ONG ponderava abandonar a Guiné-Bissau, país para onde enviou entre 2008 e Maio deste ano 46 contentores, de 46 toneladas, com ajuda para os setores da saúde, educação e alimentação, avaliada em 52 milhões de euros.

Na ocasião, o Governo da Guiné-Bissau informou a Lusa que desconhecia a existência da Viver 100 Fronteiras por não se encontrar nos seus registos e ainda por esta “nunca se ter relacionado” com aquela estrutura governamental.

Criada em 2008 para levar ajuda à Guiné, a Viver 100 Fronteiras tem vindo a realizar missões de ajuda no Senegal, São Tomé e Cabo Verde e, em Maio deste ano, anunciou à agência Lusa que tinha previsto prestar apoio no Haiti, Costa do Marfim e Moçambique.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. O Facebook da presidente da Viver 100 Fronteiras tem muitas fotos de atividades referidas como sendo na Guiné, com crianças, copm mães, no Hospital, etc o que me leva a crer que esteve ativa na Guiné Bissau levando muita coisa.

  2. algo triste, mas também a maioria da roupa que é oferecida para a Guiné não é oferecida, mas é vendida.. triste mas uma realidade. Triste é organizações, pessoas ganharem dinheiro com a pobreza dos outros.

  3. São todos iguais, em nome do cristo, tem toda a liberdade para nos enganar e são imunes perante a nossa justiça e ainda estão isentos do livro de Reclamações. GRANDE NEGOCIO, este da Fè, quem diria.

RESPONDER

EUA anunciam fim da isenção de sanções no programa nuclear civil iraniano

Os Estados Unidos (EUA) anunciaram na quarta-feira o fim das derrogações que autorizaram até agora projetos relacionados com o programa nuclear civil iraniano, acordo internacional de 2015 do qual Washington se retirou. "Hoje, anuncio o fim …

Violência doméstica, droga, bairros problemáticos. Agentes da PSP obrigados a usar coletes anti-bala

A Direção Nacional da Polícia de Segurança Pública (PSP) decidiu tornar obrigatório o uso de coletes balísticos em oito tipos de situações. De acordo com o Jornal de Notícias, os agentes da PSP vão passar a …

Benfica e FC Porto estão entre os clubes europeus com maior valor comercial

O Benfica e o FC Porto estão em 24.º e 30.º, respetivamente, na lista dos 32 clubes de futebol europeus com maior valor comercial, que é liderada pelos espanhóis do Real Madrid. O Benfica (24.º) e …

Estados Unidos podem vir a acusar Cilia Flores, mulher de Maduro, por narcotráfico

Os Estados Unidos podem vir a acusar formalmente a mulher do presidente venezuelano, Nicolás Maduro, por crimes de tráfico de droga e corrupção. A notícia foi avançada esta quarta-feira pela Reuters, que cita quatro fontes diferentes. …

PSD quer lay-off até final do ano e Estado menos "dorminhoco"

O PSD apresentou hoje um conjunto de 26 "ideias e sugestões" na área social, incluindo o prolongamento do 'lay-off' simplificado até ao final do ano, a reafetação de recursos na administração pública e um Estado …

Trump prepara ordem executiva contra redes sociais. Quer reduzir proteções legais das empresas

O Presidente norte-americano, Donald Trump, vai assinar esta quinta-feira uma ordem executiva sobre as redes sociais, anunciou a Casa Branca, dois dias depois de o Twitter ter assinalado mensagens de Donald Trump com alertas de …

Mais 13 mortes e 304 novos casos. Reabertura da economia em Lisboa questionada

Embora a região Norte continue a ser a mais afetada pela pandemia, a situação na região da Grande Lisboa tem piorado. O Governo está a estudar o adiamento de algumas medidas de reabertura da economia …

Queixas de consumidores sobre vendas online sobem 250%

A Associação de defesa de consumidores Deco recebeu 3.500 reclamações relativas a compras online entre janeiro e maio, um aumento de 250% face ao número registado em igual período do ano anterior. Paulo Fonseca, da Deco, …

Alto político russo demitido por Vladimir Putin recorre ao Supremo

Um alto responsável político russo, demitido pelo Presidente Vladimir Putin em janeiro devido a acusações de vários escândalos, contestou a decisão perante a mais alta instância judicial do país. É a primeira vez em vinte anos …

Moratória do Estado poderá ser alargada ao crédito pessoal e aos emigrantes

O Governo está a preparar uma revisão da moratória pública do crédito, que será estendida no tempo e incluirá outras categorias de financiamento, passando ainda a abranger as casas dos emigrantes e o crédito ao …