“Chega de diversidade por hoje”. Óscares esquecem atrizes negras e internet revolta-se

(dr)

Viola Davis em “A Mulher Rei”.

A ausência de nomes como Viola Davis e Danielle Deadwyler nas nomeações para o prémio de Melhor Atriz, nos Óscares, gerou uma revolta na internet.

Ana de Armas (“Blonde”), Cate Blanchett (“Tár”), Andrea Riseborough (“To Leslie”), Michelle Williams (“Os Fabelmans”) e Michelle Yeoh (“Tudo em Todo o Lado ao Mesmo Tempo”) estão nomeadas para o Óscar de Melhor Atriz.

Uma das nomeações que gerou mais polémica foi a de Ana de Armas, pela sua interpretação de Marilyn Monroe, e ainda Andrea Riseborough.

Os atores Joe Mantegna e Courteney Cox apelaram à Academia para considerar Andrea Riseborough para o Óscar e o pedido parece ter surtido efeito.

Por sua vez, o filme “Blonde” recebeu reações mistas, com alguns críticos a não apreciarem de todo o filme. A obra arrecadou oito nomeações para os “Razzies” — uma espécie de Óscares para os piores filmes. Nenhum outro filme recebeu tantas nomeações com a película de Andrew Dominik.

Muitos fãs de cinema questionaram as escolhas da Academia e perguntaram por nomes como Viola Davis e Danielle Deadwyler. “Esta deveria ter sido a quinta nomeação de Viola Davis. Ela está a ser mais roubada do que a casa do ‘Sozinho em Casa'”, escreveu um utilizador no Twitter.

Viola Davis brilhou na sua participação no filme “A Mulher Rei”, enquanto Daniella Deadwyler destacou-se com o seu papel no filme “Till”. Ambas as atrizes, afro-americanas, foram deixadas de fora do painel de nomeações.

Depois de terem estado nomeadas para os galardões do Screen Actors Guild (SAG) e para os prémios BAFTA, esperava-se que as atrizes conseguissem uma nomeação nos Óscares. Os SAG e os BAFTA são considerados uns dos principais indicadores dos nomeados aos Óscares.

A ausência de mulheres negras é apenas mais um capítulo num longo livro dos prémios de cinema da Academia. Na categoria de melhor atriz, houve apenas 13 mulheres negras nomeadas em 95 anos.

Já passaram mais de 20 anos desde que Halle Berry se tornou a primeira mulher negra a ganhar o prémio de Melhor Atriz nos Óscares. Todas as vencedoras desde então foram mulheres brancas. Apenas seis mulheres negras foram nomeadas desde o triunfo de Berry pela sua atuação em “A Última Ceia”.

“Acho que a Academia olhou para Yeoh e [Ana] de Armas, uma latina branca, nos seus boletins e pensou: “Já chega de diversidade por hoje!”, escreve o The Daily Beast.

Apesar de tudo, mesmo que não ganhe, Ana de Armas já fez história ao ser a quinta latina a ser nomeada em 95 anos de Óscares. As outras foram a brasileira Fernanda Montenegro (Central do Brasil, 1998), a mexicana Salma Hayek (Frida, 2002), a colombiana Catalina Sandino Moreno (Maria Cheia de Graça, 2004) e a mexicana Yalitza Aparicio (Roma, 2018).

  Daniel Costa, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.