Os tsunamis fizeram a primeira vítima há 6 mil anos em Papua Nova Guiné

Taro Taylor / Flickr

Ossada em praia exposta a cinzas vulcânicas, Tarvurvur, Rabaul, na Papua Nova Guiné

A primeira vítima de um tsunami pode ter morrido há 6 mil anos em Papua Nova Guiné, segundo os fragmentos de uma caveira encontrada em sedimentos com os traços da atividade de uma antiga onda gigante, revela um estudo publicado nesta quarta-feira pela revista científica Plos One.

O fragmento de um crânio foi descoberto em 1929 pelo geólogo australiano Paul Hossfeld, que o encontrou num manguezal – um ecossistema costeiro que faz a transição entre os ambientes terrestres e marinhos – nos arredores da pequena cidade de Aitape, em Papua Nova Guiné.

Originalmente, os estudos indicavam que o crânio pertencia a um Homo erectus, mas a datação por radiocarbono apontou que o objeto teria entre 5 e 6 mil anos.

Novas pesquisas sugerem que o fragmento de osso pertence à mais antiga vítima de um tsunami, o que faz da descoberta uma peça importante que pode ajudar as populações modernas a saberem como se podem ajustar ao aumento do nível do mar.

O estudo foi realizado por equipas da Universidade de Notre Dame, em França, do Field Museum de Chicago, nos Estados Unidos, e de diversas instituições de Austrália, Nova Zelândia e Papua Nova Guiné.

“Se tivermos razão sobre a forma como esta pessoa morreu há milhares de anos, temos provas notáveis de que viver à beira-mar nem sempre é uma vida de bonitos entardeceres dourados e boas condições para praticar surf”, afirmou John Terrell, curador do Field Museum.

O especialista considerou que o fragmento pode ajudar os cientistas a “convencer os mais cépticos de que todos nós na Terra devemos levar a sério o clima e o aumento do nível do mar como as ameaças que realmente são“.

Em 2014, uma equipa de especialistas, entre eles Mark Golitko, da Universidade de Notre Dame, e Terrel, do Field Museum, voltaram ao local exato onde há quase um século foi encontrado o fragmento de crânio para tentar localizar novas pistas que os levassem a descobrir o motivo da morte do indivíduo.

A equipa “agora é capaz de confirmar” o que se tinha “suspeitado há muito tempo”, indicou James Goff da Universidade de Nova Gales do Sul, na Austrália.

“As semelhanças geológicas entre os sedimentos do lugar onde foi encontrado o crânio e os sedimentos depositados durante o tsunami de 1998 que atingiu essa mesma costa fizeram-nos perceber que as populações humanas dessa região foram afetadas por essas inundações maciças durante milhares de anos“, explicou o cientista.

Para Goff, levando em conta as provas que têm nas mãos, os cientistas estão “mais convencidos do que antes de que essa pessoa morreu de forma violenta devido a um tsunami e que o túmulo foi depois aberto por outro desses fenómenos, o que fez com que a cabeça, mas não o resto do corpo, voltasse a ser enterrado de maneira natural, para permanecer no solo sem ser descoberto durante 6 mil anos”.

ZAP // EFE

PARTILHAR

RESPONDER

Renault constitui-se assistente em processo contra Carlos Ghosn para "fazer valer os seus direitos"

A fabricante automóvel Renault anunciou na segunda-feira que se constituiu assistente no processo de investigação do seu antigo presidente Carlos Ghosn por abusos de bens sociais e branqueamento. Segundo noticiou a agência Lusa, em comunicado, citado …

Agentes do ex-Benfica Luka Jovic são suspeitos de branqueamento de capitais

Os agentes do antigo jogador do SL Benfica Luka Jovic, Fali Ramadani e Nikola Damjanac, são suspeitos de terem branqueado mais de 10 milhões de euros em Espanha. Os empresários Fali Ramadani e Nikola Damjanac, da …

Túmulos reais do Taj Mahal limpos pela primeira vez em 300 anos para receber Trump

Os túmulos reais do Taj Mahal foram limpos pela primeira vez em 300 anos como parte da preparação da visita do Presidente norte-americano, Donald Trump, à Índia, escreve o portal Newsweek citando média locais. Donald …

Microsoft revela novos detalhes da Xbox Series X

A Microsoft revelou novos detalhes da Xbox Series X, a principal corrente à Playstation 5 e à Nintendo Switch. A consola vai ser equipada com "12 Teraflops" e memória interna SSD. A Microsoft quer apostar forte …

OMS sobre Covid-19: O mundo "simplesmente não está pronto" para enfrentar a epidemia

O especialista que liderou a equipa da Organização Mundial de Saúde (OMS) enviada à China disse hoje que o mundo "simplesmente não está pronto" para enfrentar a epidemia do novo coronavírus. Bruce Aylward, médico canadiano especialista …

Um quinto das florestas australianas arderam devido a seca extrema

Os incêndios recentes "sem precedentes" que destruíram um quinto das florestas australianas estão ligados a uma seca de vários anos, devido às alterações climáticas, segundo um estudo publicado na segunda-feira. Os climatólogos estão, atualmente, a estudar …

Auditorias aos estádios da I Liga devido a casos de racismo começam amanhã

As auditorias aos estádios onde se realizam jogos da I Liga de futebol, motivadas pelos recentes atos de violência e racismo, vão decorrer até março, diz o Ministério da Administração Interna. As auditorias à segurança dos …

Liverpool já tem tantas vitórias como o invencível Arsenal de Wenger

O Liverpool operou esta segunda-feira a reviravolta sobre o West Ham (3-2) e evitou a primeira derrota na Liga inglesa de futebol, repondo a vantagem de 22 pontos para o Manchester City, no jogo que …

Lenine Cunha campeão de triplo e pentatlo em atletismo adaptado

O atleta paralímpico português Lenine Cunha sagrou-se, esta terça-feira, campeão mundial de triplo-salto e pentatlo, em Torun, na Polónia. Ana Filipe venceu a prova de triplo-salto no feminino. Lenine Cunha venceu a medalha de ouro, esta …

Kroos: Não foi fácil "adaptar-nos à falta de 40 ou 50 golos" de Ronaldo

Toni Kroos assumiu que foi difícil para o Real Madrid superar a saída de Cristiano Ronaldo. O alemão realçou a falta dos 40 ou 50 golos marcados pelo português fizeram-se sentir. Em entrevista ao The Athletic, …