Os russos ainda não estão prontos para enterrar a múmia de Lenine

Lenine, o símbolo máximo da Revolução de 1917, é lembrado em Moscovo com centenas de estátuas em bronze e um mausoléu na Praça Vermelha, junto ao Kremlin. E para já, ninguém quer pensar na hipótese de retirar o corpo embalsamado do líder socialista do seu Mausoléu.

A necessidade de sepultar o corpo de Lenine é discutida desde a Perestroika. Mas por enquanto, nem a Igreja Ortodoxa nem o presidente Vladimir Putin consideram a hipótese de retirar o corpo embalsamado de Vladimir Ilitch Ulyanov, ou Lenine, do Mausoléu de mármore, aos pés do Kremlin.

Tanto o Governo como a Igreja Ortoxa concordam que a sociedade não está pronta para dar esse passo. Andrei Kolesnikov, especialista do Centro Carnegie, afirma que “nem Putin, nem os clérigos querem  aborrecer o partido comunista”.

Vladimir Legoida, diretor do departamento de comunicação do Sínodo Sagrado da Igreja Ortodoxa da Rússia, sustenta que “o ideal seria enterrá-lo. Mas é preciso que o país esteja preparado”.

Em março, nas comemorações do centenário da revolução, o Sínodo dos Bispos da Igreja Ortodoxa no estrangeiro publicou uma declaração na qual defende que tirar da Praça Vermelha os restos do “maior perseguidor e executor do século XX” seria o símbolo da “reconciliação dos russos com o Senhor“.

No entanto, representantes do Patriarcado de Moscovo vieram a público demarcar-se desta posição, advertindo que os vizinhos próximos estariam a usar o termo “descomunização” como uma espécie de “desrrussificação”.

Segundo Alexander Shchipkov, vice-presidente do departamento de comunicação do Sínodo Sagrado da Igreja Ortodoxa da Rússia, “a presença na Praça Vermelha não tem nada a ver com as tradições cristãs” e que só podem ponderar o enterro, quando “uma campanha de ‘dessovietização’ tiver sido encerrada no território pós-soviético“.

Apesar da discórdia, a verdade é que o culto à imagem do líder bolchevique vai perdendo intensidade. Uma pesquisa realizada em abril pelo Centro Iuri Levada mostra que 58% da população concordaria em sepultar Lenine. Mesmo assim, a maioria (78%) é contra retirar o monumento em sua homenagem na Praça Vermelha, o coração político do país.

É provável que o assunto se dilua com o tempo – ainda que a discussão sobre o que fazer com a múmia de Lenine ressuscite a cada aniversário da Revolução.

ZAP // RFI

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Com tantos problemas no planeta, estão-se a preocupar com múmias. Caramba! Façam como Jesus Cristo, deixem a múmia (os mortos) em paz e cuidem dos vivos!

RESPONDER

CGTP ameaça Costa: “Ou dá resposta às reivindicações ou conta com contestação” nas ruas

O secretário-geral da CGTP-IN, Arménio Carlos, defendeu a alteração das leis laborais e o aumento do salários na próxima legislatura, avisando que caso estas reivindicações não sejam atendida, o Governo terá forte contestação nas ruas. Arménio …

Das eleições resultou um "Governo instável" e Marcelo foi "o grande ganhador sem ter participado"

Para Luís Marques Mendes, o PS teve mais votos, mas tem piores condições para governar. Além disso, na opinião do comentador político, foi Marcelo quem ganhou estas eleições, por não ter havido maioria absoluta. O Partido …

"Querem que pique a bolha?" Conselheiros do Banco de Portugal compararam Montepio ao caso BES

Numa "discussão acesa" no Banco de Portugal, conselheiros da entidade de supervisão compararam a situação do Banco Montepio ao caso BES, com referências a um "esquema de Ponzi", em pirâmide, e a ideia de que …

CGD e Novo Banco vão atrás da fortuna de Paulo Maló

A Caixa Geral de Depósitos (CGD) e o Novo Banco vão tentar executar o património pessoal de Paulo Maló, médico e empresário que fundou a Malo Clinic, empresa especializada em medicina dentária, escreve o Jornal …

Comandante que desviou dinheiro da Proteção Civil recebe avença do Estado

Gil Martins foi condenado de desviar mais de cem mil euros da Proteção Civil. Ainda assim, o antigo comandante recebe uma avença de mil euros brutos por mês. O ex-comandante nacional da Autoridade Nacional de Emergência …

New York Times divulga provas de que a Rússia bombardeou deliberadamente hospitais na Síria

O The New York Times publicou este domingo, segundo avança o próprio jornal norte-americano, provas de que a Rússia bombardeou repetidamente e deliberadamente hospitais na Síria, onde intervém em apoio do regime sírio do Presidente …

Simone Biles torna-se na ginasta mais medalhada de sempre em Mundiais

Esta foi a quarta medalha de ouro para Biles em Estugarda, depois de ter vencido a prova por equipas, o concurso geral individual e a prova de salto. A norte-americana Simone Biles tornou-se hoje a ginasta …

Há um Reino muito pouco Unido na corda bamba. Rainha inicia semana decisiva para o Brexit

Depois do discurso real desta segunda-feira, as conversações entre Londres e Bruxelas deverão continuar e avançar pela cimeira da UE de quinta e sexta-feira. No sábado, o Parlamento britânico reúne-se excecionalmente para votar o que …

Esther Duflo, Abhijit Banerjee e Michael Kremer vencem Nobel da Economia

O prémio Nobel da Economia de 2019 foi esta segunda-feira atribuído à francesa Esther Duflo, ao indiano Abhijit Banerjee e ao norte-americano Michael Kremer, anunciou a Real Academia das Ciências sueca. O Prémio de Ciências Económicas …

Tufão Hagibis faz pelo menos 42 mortos e 200 feridos no Japão

Pelo menos 42 pessoas morreram e 200 ficaram feridas no Japão, após passagem do tufão Hagibis, enquanto mais de 110.000 membros de equipas de socorro continuam as operações de busca e resgate, noticiou a emissora …